Já faz umas duas semanas que escrevi um artigo falando sobre o novo curta-metragem em animação do Blur Studio, chamado A Gentlemen's Duel. Encontrei um link para o vídeo no Youtube e vou publicá-lo aqui, caso você não tenha assistido a essa animação, essa é a sua chance! Com mais esse curta, o Blur Studio dá mais um grande passo antes de se aventurar na produção de um longa-metragem em animação. Mas porque eles não fazem um longa-metragem direto? Essas animações de curta duração podem parecer sem propósito, ou até coisa de louco, já que toda a parte financeira da animação foi bancada com recursos próprios. Mas ai é que você se engana, esses vídeos têm um propósito claro! Eles estão treinando, para conseguir dominar o processo criativo. Passar uma idéia para uma animação não é nada fácil! Ainda mais se eles querem entrar para o mercado de longas-metragens, com concorrentes como a Pixar.

Deixando um pouco a conversa de lado, assista a animação:

Devo dizer que em termos técnicos, essa animação está muito melhor produzida que os curtas-metragens anteriores. Será que isso é reflexo da mudança de plataforma?

Toda essa animação foi produzida utilizando o Softimage XSI, que é a nova plataforma de animação do estúdio. Durante muito tempo o Blur Studio utilizou única e exclusivamente o [BP:215]3ds Max[/BP], mas agora eles migraram todo o seu processo de trabalho para o XSI. Existe até uma entrevista, publicada no sítio da Softimage, falando sobre essa migração. Claro que o texto enfatiza as vantagens do Softimage, frente à plataforma tecnológica utilizada anteriormente (3ds Max). Esses foram os pontos positivos, que foram exaltados pelo pessoal do Blur Studio, sobre o Softimage XSI:

  • Perfeita compatibilidade com outros formatos;
  • Grande diversidade de ferramentas para animação
  • Estabilidade
  • Capacidade elevada no processamento de grande volume de dados

Seria essa uma alfinetada na [BP:215]Autodesk[/BP]? Bem, com certeza será uma perda considerável para a base de usuários, já que os trabalhos produzidos com o Max, pelo Blur Studio sempre eram referência para a própria Autodesk. Porque será que eles não migraram para o Maya? Será que não houve algum interesse comercial? Ou até quem sabe um incentivo por parte da Softimage? Nesse mercado, em que o portfólio de animações produzidas com uma ferramenta, pode atrair mais consumidores, sempre é de se duvidar dessas alterações na base tecnológica.

A única coisa com a qual nós podemos nos contentar é que; a animação é muito boa!