Beowulf: Mais um divisor de águas na computação gráfica?

A cada nova produção que investe no uso de computação gráfica, parece que as coisas ficam mais complexas. Bem, melhor para nós que assistimos a esse material de alta qualidade. Filmes que pretendem parecer reais, mas utilizam atores virtuais não são uma novidade, já faz quase 7 anos desde que foi lançado o [fusion_builder_container hundred_percent=”yes” overflow=”visible”][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ background_position=”left top” background_color=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” spacing=”yes” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” padding=”” margin_top=”0px” margin_bottom=”0px” class=”” id=”” animation_type=”” animation_speed=”0.3″ animation_direction=”left” hide_on_mobile=”no” center_content=”no” min_height=”none”][BP:257]Final Fantasy Spirits Within[/BP], na época ele foi revolucionário pela sua complexidade mas a história não agradou.

Depois do Davy Jones e de [BP]Transformers[/BP], ao que parece o próximo divisor de águas na computação gráfica para o cinema será Beowulf. Esse filme é a adaptação de um poema épico, que inclusive inspirou autores como J.R.R Tolkien a escrever o [BP:257]Senhor dos Anéis[/BP]. Antes de continuar a comentar o filme, assista ao trailer:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=v9qpqyO_dmU

Assistiu? Agora vem a parte mais divertida, tudo que você viu no vídeo é produzido em computação gráfica! Isso mesmo, os atores que você viu no vídeo são versões digitais de atores reais. Ainda não acredita? Assista novamente e preste bastante atenção na expressão dos personagens, você vai perceber que eles têm movimentos de rosto e faciais um pouco limitados, mas só um pouco. Um aspecto que dificulta um pouco a identificação dos personagens em computação gráfica é a atmosfera escura do filme. Caso alguma das cenas seja produzida com boa iluminação natural direta como a do sol, poderemos verificar se o trabalho de shaders e iluminação estão bons mesmo!

Pois agora com a realização da Siggraph, a Sony ImageWorks está divulgando várias informações sobre a produção do filme, mas até agora nada vazou das palestras da Siggraph, espero que alguém publique um vídeo ou depoimento na web em breve.

Como a estréia dele nos cinemas americanos será apenas em Novembro, nenhuma ação de marketing mais forte foi realizada pelo estúdio.

Como é a Sony ImageWorks que está trabalhando na produção, podemos supor que o filme está sendo produzido no Maya, com Workstations rodando Linux. Esse é o ambiente de trabalho usado no estúdio, que foi o mesmo que produziu os efeitos para o Homem-aranha 3.

Agora só nos resta esperar por mais material de divulgação e algum Making of.

[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]

Publicado por

Allan Brito

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

Um comentário sobre “Beowulf: Mais um divisor de águas na computação gráfica?”

  1. Pois é, realmente incrível…Mas…Não gostei dos shadders e das texturas, é, achei muito bonitinho…A pele não é limpinha assim. Engraçado que em Animatrix, Em um dos contos, a gente vê uma textura de pele muito boa daquela personagem num dojo lutando de espada com o cara lá. inclusive dá pra ver as estrias da menina…O mesmo é possível se captar em Hulk, que tem texturas muito boas para o gigante esmeralda

    O que me agradou, mesmo, foram os movimentos faciais, que estão muito bons e a modelagem totalmente revolucionária.

    Agora, esse filme, Allan, onde modelam baseando-se em atores reais, me lembra “waking life” e “homem duplo”, onde eles utilizam uma técnica chamada rotoscópia. Eles usaram scanners 3d aí, foi? Ou cpatura de movimentos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *