Essa é uma das perguntas que mais recebo por e-mail; qual a melhor ferramenta 3D? Um artigo publicado na TDT3D, tenta responder a essa questão fazendo uma comparação entre várias ferramentas 3D, inclusive o Blender! Sabem a qual resultado eles chegaram? Não existe melhor ou pior ferramenta 3D, a única maneira de escolher a ferramenta própria para o seu trabalho é usando e testando.

Qual a melhor ferramenta 3D?

Mesmo assim, o artigo é interessante para compararmos os recursos entre:

  • 3ds Max
  • Maya
  • Cinema 4D
  • Lightwave
  • Softimage XSI
  • Blender 3D

O que foi usado para o teste? Para realizar a comparação, várias pequenas tarefas foram usadas além de uma comparação direta de recursos. Veja a lista com algumas dessas tarefas:

  • Como os materiais e texturas procedurais se comportam em cenas pesadas?
  • Facilidade de uso e reaproveitamento de dados? É possível clicar e arrastar?
  • Opções de configuração para iluminação.
  • Compatibilidade com versões anteriores do software.
  • Estabilidade na manipulação de modelos 3D complexos, com uma grande quantidade de vértices.
  • Usar ambientes do Vue.
  • Importar arquivos DXF no formato CAD, com layers e separações.
  • Importar arquivos do Silo 3D e [BP:215]ZBrush[/BP], com altos níveis de subdivisão.

Esses são apenas alguns dos parâmetros, verifique o artigo original para conferir a lista completa.

Depois de mostrar essa lista, o autor do artigo criou uma tabela com uma comparação de recursos entre as ferramentas. Para avaliar os recursos, as ferramentas receberam notas ou comentários. Na maioria das vezes foi apenas um Low (Baixo), Poor (Pobre), Good (Bom), Very Good (Muito Bom), Robust (Robusto), Excellent (Excelente) ou Amazing (Incrível).

Na maior parte dos recursos o Blender consegue ficar em pé de igualdade com as outras ferramentas, mas ainda tem pontos a melhorar. Como na documentação, ferramentas de animação, modelagem NURBS e Interface. Mesmo assim a pesquisa colocou como tempo de aprendizagem para o Blender, o mesmo tempo que foi destinado às outras ferramentas.

Qual a conclusão? Como o próprio autor do artigo comenta no início do texto; não existe maneira de fazer uma comparação exata. O melhor a fazer é que o artista realize os testes, para verificar qual ferramenta se encaixa melhor no seu processo de produção. Esse tipo de pesquisa pode servir como ponto de partida, em que você vai encontrar algumas referências, mas a palavra final será sempre a da experiência.

Então, se você quiser conferir o artigo na íntegra, visite essa página no TDT3D.