Clicky

Tutorial Mental Ray: Como usar a iluminação global com Final Gathering?

Esse é um ótimo tutorial para quem trabalha com maquetes eletrônicas, fazendo visualização de projetos arquitetônicos. O pessoal do CG Arena, publicou um tutorial em vídeo, mostrando como trabalhar com as opções de iluminação global do Mental Ray, usando Final Gathering. Apesar de ser realizado no Softimage XSI, todos que usam o Mental Ray como renderizador podem se aproveitar das dicas apresentadas no vídeo. Isso mesmo, o tutorial é apresentado em vídeo, podendo inclusive ser copiado, mas apenas usuários registrados nos fóruns do CG Arena têm acesso ao arquivo.

Tutorial Mental Ray - Final Gathering

Para assistir ao vídeo ou fazer o download do mesmo, visite esse endereço.

Mas o que é esse final gathering? Essa é uma variação do Photon Mapping, que possibilita aos renderizadores computar as informações da iluminação indireta nos ambientes 3D. Nesse tutorial o autor tentará mostrar uma técnica que mescla as ferramentas de GI e o Final Gathering, para segundo ele mesmo, atingir um resultado diferenciado.

Como a narração do vídeo é em inglês, resolvi fazer um pequeno resumo sobre os assuntos abordados no tutorial:

  • O autor do tutorial começa mostrando de maneira rápida, como a cena que ele usará ao longo do tutorial está organizada. Depois de abrir o arquivo no Softimage, ele fala um pouco sobre as configurações das luzes, assim como os valores de fótons usados para os pontos de luz.
  • Depois ele mostra uma pré-visualização da cena, com uma renderização.
  • O próximo passo é deixar claro que o Final Gathering será usado para ajudar o processo de iluminação global, mas apenas na qualidade, sem comprometer o tempo de render.
  • Para começar a mostrar as vantagens do Final Gathering, o sistema de iluminação global é desligado e o Final Gathering é acionado. Com isso uma nova visualização, apenas com o Final Gathering é gerada.
  • O efeito é bom, como se fosse uma iluminação global enfraquecida. O próximo passo será fazer uma composição entre os dois métodos.
  • O autor então desliga o Final Gathering e volta a acionar a iluminação global. Ele descarta o Photon Map que já existia no arquivo, para gerar outro. Mas para que o processo fique mais rápido, ele diminui o número total de fótons emitidos pela luzes.
  • O resultado é finalizado de maneira mais rápida, mas a qualidade cai com menos fótons. Algumas manchas aparecem nas superfícies.
  • Com um render mais rápido, mas com baixa qualidade, o Final Gathering aparece como solução. Aproveitando o mapa de fótons (Photon Map) gerado anteriormente, o autor aciona o Final Gathering e escolhe a opção Irradiance from Photon Map, para que o processo use o mapa de fótons existente.
  • O resultado é que o Final Gathering acaba “limpando” as manchas da superfície, eliminando o problema gerado pela pouca quantidade de fótons.

Depois de todo esse processo o autor ainda faz alguns ajustes, para deixar a imagem mais clara. Mas o conteúdo principal do tutorial é esse.

Qual a moral da história? Com essa técnica é possível gerar uma imagem com ótima qualidade, mas com menos fótons.

Eu sei que essa parte mais teórica, com detalhes e técnicas de GI pode ser um pouco confusa para quem não está acostumado, mas existem vários artigos e textos que explicam esses termos. Caso você queira saber um pouco mais sobre o Final Gathering e Photon Mapping, recomendo a leitura desse artigo, com links para alguns textos mais científicos.

Sobre o Autor:

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

Deixar Um Comentário