Teste de render com Indigo, Kerkythea e Maxwell Render

Qual é o renderizador mais rápido? Você consegue responder a essa pergunta de maneira rápida, mas com precisão? Na verdade a resposta para esse tipo de pergunta é complexa. Hoje existem várias opções de renderizadores no mercado, desde os mais caros e sofisticados em termos de recursos até ferramentas experimentais como o LuxRender, que é uma promessa na área do software livre. Quem sabe até um futuro substituto do YafRay, como software externo de renderização do Blender com melhor integração.

Voltando ao assunto principal do artigo, uma das únicas maneiras de saber quando um software de renderização é mais rápido que a outra é com cenas de teste. Nesse final de semana, descobri um ótimo teste realizado entre três ferramentas, sendo duas gratuitas e uma proprietária. A mesma cena foi renderizada com o Indigo, Kerkythea e Maxwell Render. Lembrando que os dois primeiros podem ser usados sem problemas com o Blender 3D!

Cena teste com Indigo

Esse teste é um pouco diferente dos outros que costumamos encontrar na internet, pois as ferramentas não são baseadas em geração de imagens “tradicionais”. Todas elas produzem as imagens por refinamento constante, o nome apropriado é Unbiased Render. Se você nunca usou uma ferramenta dessas, elas funcionam assim:

  • Quando o render é acionado, o software começa a computar as informações e gerar a imagem.
  • As primeiras imagens apresentam baixa resolução e “pontos”.
  • Com o passar do tempo, a imagem fica cada vez mais limpa.

O autor da comparação deixou as imagens sendo geradas por 1 hora e 40 minutos, para comparar até que ponto os softwares conseguiram refinar as imagens. O resultado?

Em minha opinião, o Maxwell render ganhou por pouco! Entre as três imagens a que teve o pior rendimento foi o Kerkythea, mas o que me deixou impressionado foi que o resultado gerado pelo Indigo foi muito parecido com o do Maxwell. Eu costumo chamar o Maxwell Render de primo rico do Indigo, pois ambos usam sistemas de renderização semelhantes. A diferença é que o Maxwell é pago, tem interface e controles fáceis. O Indigo é gratuito, mas por outro lado obriga os seus usuários a editar o arquivo XML para gerar as imagens.

A conclusão para o teste? Se você usar o Blender com o Indigo, pode conseguir imagens para maquetes eletrônicas de qualidade muito semelhante, ao que usuários do 3ds Max e Maxwell render conseguem. Sendo a visualização arquitetônica o maior chamariz do Maxwell, eu tinha que fazer essa comparação.

O artigo completo, com a comparação dos renders pode ser encontrado aqui.

Publicado por

Allan Brito

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

Um comentário sobre “Teste de render com Indigo, Kerkythea e Maxwell Render”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *