Qual a maior barreira para fazer a migração entre duas ferramentas? Interface? Comandos? Na verdade o problema é cultural e de credibilidade. Ao começar a trabalhar em uma determinada ferramenta, nos acabamos nos acostumando com as suas ferramentas e soluções para os mais variados problemas, desde a parte de desenho até a entrega do projeto finalizado ao cliente. Quando mudamos de ferramenta, várias perguntas vêm na nossa cabeça; será que funciona da mesma maneira? Será que consigo fazer meus trabalhos? A qualidade será a mesma? Os prazos de entrega para meus projetos podem ser cumpridos?

Uma das migrações mais traumáticas que já presenciei foi de usuários do AutoCAD, eles estão tão acostumados com o sistema de funcionamento e trabalho do CAD, que qualquer ferramenta aparentando diferenças no funcionamento é rejeitada imediatamente. Pode até ser uma ferramenta otimizada para o desenho arquitetônico, como o ArchiCAD ou VectorWorks, os usuários acabam fugindo.

Os desenvolvedores de software sabem disso, para angariar mais usuários de AutoCAD eles produzem ferramentas parecidas, senão idênticas no que se refere à interface e ferramentas para facilitar a migração.

Hoje resolvi escrever mais um artigo sobre o QCAD, a ferramenta de CAD que utilizo desde que migrei do AutoCAD. Ele é extremamente leve e simples de usar, sendo totalmente projetado para funcionar quase como um clone do AutoCAD. Desde a interface até a famosa linha de comando na parte inferior, tudo remonta ao AutoCAD.

Para ajudar nessa tarefa, resolvi produzir um pequeno vídeo introdutório. Nele eu falo sobre algumas ferramentas do QCAD, assim como as suas semelhanças com o AutoCAD:

Como você deve ter percebido, a interface e ferramentas do QCAD são muito parecidas com as do AutoCAD.

Agora vem a pergunta de “ouro”, ele é gratuito? A melhor reposta é; depende. Apesar de não ser totalmente de código aberto, o QCAD apresenta uma versão chamada de community edition, que é gratuita e pode ser usada sem restrições. A Ribbonsoft disponibiliza o código-fonte do QCAD Community Edition, para usar a ferramenta é necessário compilar o código. Mas essa versão apresenta menos ferramentas que a Professional, que é paga e pode também ser usada sem maiores restrições. Agora vem a surpresa, o custo da versão Professional é de 24 Euros. Para uma ferramenta de CAD estável e que pode ser executada em sistemas Linux, Windows ou Mac OS X, acho esse preço mais que razoável.

Como funciona a parte de plotagem? Quanto a isso você não precisa se preocupar em gerar arquivos compatíveis com a maioria das plotters, para isso é só gerar um arquivo PDF com alguma das várias impressoras de PDF gratuitas, disponíveis para download hoje.

Pronto, agora você já sabe mais sobre o QCAD. O AutoCAD não é a única e melhor solução de CAD existente hoje. Existe vida além das ferramentas da Autodesk, quando usamos o QCAD com o Blender 3D, temos uma combinação poderosa entre desenho técnico e ferramenta de visualização!