Como escolher o Hardware para aplicações 3D?

Antes mesmo de começar a usar uma ferramenta 3d, os usuários iniciantes já estão cheios de dúvidas, sendo a primordial o hardware. Durante as minhas aulas sempre recebo perguntas sobre a melhor configuração, para modelagem e renderização. Além da montagem em si do computador, me perguntam sobre a pouca diferença nos tempos de render, quando o computador passa por um upgrade. Algumas pessoas acham que dobrar a memória RAM fará com que o tempo de render caia pela metade. Bem, não é assim que as coisas funcionam.

Para solucionar esse tipo de problema, os usuários do Maxwell render tiveram uma excelente idéia. Eles criaram um web site chamado Bechwell, que proporciona a todos os usuários do renderizador a possibilidade de comparar os tempos de render, para os mais variados tipos de hardware. Tudo funciona com base na cena abaixo:

Bechwell

Funciona assim, qualquer pessoa com uma licença comercial do Maxwell Render pode fazer o download do arquivo com a cena, e acionar a renderização. Depois ele retorna ao sistema e preenche quanto tempo demorou a atingir um determinado nível de qualidade e o hardware utilizado.

Alguns dos testes são impressionantes, usuários com computadores com até 4 processadores quadcore, totalizando 16 núcleos conseguem tempos de render de 10 minutos, em comparação com sistemas mais “humildes”, que renderizam a mesma cena em até 1 hora.

A cena é complexa e exige bom nível de processamento do hardware. O objeto é iluminado por um mapa HDR, que é exibido através da parte transparente.

Mesmo que você não use o Maxwell render, essa pode ser uma ótima base de comparação para conhecer como diferentes tipos de configuração encaram o render. A conclusão da análise? Em computação gráfica 3d, costumo dizer aos meus alunos que “quanto mais hardware você tem; é pouco”. Ou seja, as ferramentas 3d sempre são ávidas por poder de processamento.

Como a dinâmica de funcionamento do Maxwell é semelhante ao Indigo e Kerkythea, usuários do Blender que usam essas ferramentas para renderizar podem se aproveitar desses estudos. O problema é segurar a vontade de montar um renderizador com 16 núcleos para “testar”.

Publicado por

Allan Brito

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

Um comentário sobre “Como escolher o Hardware para aplicações 3D?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *