Clicky

Como usar luzes fotométricas no Blender 3D?

Quem trabalha com visualização de projetos arquitetônicos e precisa representar ambientes com certa precisão, tanto nas dimensões com o na iluminação final do projeto, deve necessariamente trabalhar com luzes fotométricas. Já não faz muito tempo, que recomendei uma biblioteca gratuita de luzes fotométricas, também chamadas de IES. Naquele artigo eu tinha prometido mostrar com usar esse tipo de luz no Blender 3D, para que qualquer pessoa pudesse simular iluminação de ambientes de maneira realista.

Para trabalhar com esse tipo de iluminação no Blender, farei uso do renderizador Indigo. Desde a sua versão 1.0.2, o Indigo suporta o uso de luzes do tipo IES. Recomendo que você leia atentamente o artigo sobre luzes IES, indicado no início desse texto. Ele aponta para uma biblioteca gratuita dessas luzes, assim como mostra as ferramentas necessárias para manipular e abrir esse tipo de arquivo.

Bem, vamos ao que interessa, para começar esse tutorial, irei utilizar os seguintes softwares:

  • Blender 3D 2.46
  • Indigo Renderer 1.0.9 (Versão estável mais recente)
  • Blendigo Versão 1.0.9 (Script para integrar o Blender com o Indigo)
  • Python 2.5 (Necessário para usar scripts no Blender)

Para aprender a instalar e configurar o Blendigo, leia esse outro tutorial. Se você estiver lendo esse tutorial quando versões mais atualizadas dessas ferramentas estiverem disponíveis, as configurações apresentadas podem mudar.

Antes de começar, me permita explicar com funciona essa integração para que fiquem claros os passos necessários para modelar e ajustar a cena. Quando usamos luzes IES no Indigo, precisamos ajustar um material de qualquer objeto, para que ele emita luz. Na configuração do material podemos acionar a opção Photometrics, para esse material apenas, e escolher um arquivo IES para que o material adquira as mesmas propriedades fotométricas da lâmpada, representada pelo arquivo IES.

Bem, chega de conversa e vamos ao tutorial! Para poder trabalhar com o Indigo criei uma cena bem simples, que vai servir com o cenário para o nosso teste.

Ele é composto por um cenário simples, sem luzes (Lamp) e apenas um pequeno plano, que deixei um pouco maior que o normal, para que fique mais fácil de localizá-lo na imagem. O plano será o nosso emissor de luz.

Se você não tiver paciência, para criar a cena, estou disponibilizando a mesma aqui para download, assim você pode seguir o tutorial com a atenção concentrada na iluminação.

Depois que o modelo estiver pronto, acione o Blendigo no menu File -> Export -> Blendigo 1.0.9 para que a janela de configuração do Script apareça.

Lá você deve escolher a opção material. Essa é a parte do Blendigo que configura os materiais, nele precisamos configurar o material do plano. Como ele ainda não tem nenhum, selecione o plano e adicione um novo material nele. No meu caso, ele ficará com o nome “Material.001”, você pode alterar o nome se quiser.

Agora no painel de materiais, você deve fazer o seguinte, escolher o nome do material “Material.001” e configurar na aba inferior o Indigo Mat, como sendo “EMITTER = lights+meshes”.

O próximo passo é acionar o botão Photometric, para que o material possa receber informações de um arquivo IES. No seletor de arquivos escolha um arquivo IES.

Pronto! Antes de acionar a renderização, precisamos apenas fazer mais uma coisa, acione o botão Environment na parte superior, para desligar qualquer iluminação adicional, escolha a opção “None (lit by mesh emmiters)”.

Isso fará com que a cena seja iluminada apenas pelos emissores de luz.

Agora sim, você pode acionar o render! Nesse caso, aperte o botão EXPORT Scene. Se tudo correu bem, você deve ver a cena renderizando no Indigo.

Algumas coisas que você deve saber, sobre as luzes IES no Indigo:

  • A direção da luz é controlada pela normal do plano emissor, caso a sua luz seja emitida na direção errada, verifique a normal do plano
  • Algumas luzes IES não podem ser emitidas de planos, você verá um erro no momento de renderizar com o Indigo, mude de arquivo IES para resolver
  • Escolha bem o arquivo IES, você pode visualizar informações sobre a luz, com o a potência e dimensões no IES Viewer (Link para download no início do artigo).

Para não deixar a cena tão simples, adicionei algumas poltronas ao cenário e deixei renderizar por alguns minutos, eis o resultado.

Agora você já sabe como usar luzes fotométricas no Blender 3D.

Sobre o Autor:

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

10 Comentários

  1. Fabio 04/06/2008 em 1:23 pm

    bem legal, mas muitas delasnao funcionaram aqui…da aquele erro do indigo de angulo..sei la oque..

    mas muito boa dica ;]

  2. Fabio 04/06/2008 em 2:08 pm

    ah..outra coisa, vc consegue usar outro tipo de emitter se na cena tiver uma IES? por exemplo um plane como emiter normal? aqui não funcionou.

  3. Allan Brito 04/06/2008 em 10:23 pm

    Oi Fábio,

    Pode usar sim, sem problemas. Dá uma olhada nessa cena, adicionei mais um objeto com emitter:
    http://www.allanbrito.com/ima/ies_emitter2.jpg

    Depende do tipo de luz IES que você usa, o Indigo pode não aceitar.

    Abraços

  4. Fabio 05/06/2008 em 11:40 am

    aceitar ele ate aceita, mas digo na diferença na iluminação.. o segundo emiter qse nao influencia os objetos… é só comprar as duas imagens que vc mostrou…as cadeiras estão qse iguais qto a iluminação… aqui aconteceu isso tmb, e se fosse ver pela ‘esfera de luz’ que vc colocou ali deveria fazer uma boa luz extra…

    ou não?

  5. Rodrigo Santiago 05/06/2008 em 4:19 pm

    Não necessariamente, pois ele pode configurar o material emissor da esfera com um power baixo.
    Já quebrei a cabeça de monte com essas luzes IES, mas até hoje ainda não consegui o que queria, que é colocar uma luz sun externa entrando pelo ambiente e nos locais de penumbra ascender uma photometrica dessa, juntamente com outros emissores na mesma cena. Até hoje não consegui. 🙁
    Nem editando os arquivos IES com aquele programinha deu.
    Quando ascendia tudo o IES ficava apagado, ou vice-versa.
    Se alguém souber, fala pra gente. 🙂
    []

  6. Fabio 06/06/2008 em 11:20 am

    pois é… ele só aceita ou um tipo de iluminação ou outro…ia ser legal poder usar os dois juntos… ms isso só se vc fizer dois renders separados e depois fazer uma pos.

    agora sobre o power.. aqui é outra coisa q praticamente nao da diferença.. eu coloca no maximo e fica qse, se nãop igual..au um valor baixo..

    outra coisa q eu reparei, vc’s ja tentaram renderizar com o indigo usando o border? qdo vc seleciona só um trecho da imagem e mand renderiza aqui ele estoura as luzes… bem doido

  7. ISABELA DOURADO 21/07/2008 em 9:00 pm

    oi, quer dizer que NÃO há possibilidade alguma de criar no blender uma iluminação com o .IES e outra SUN?

  8. Rodrigo Santiago 22/07/2008 em 2:07 pm

    Tem sim, mas dependendo da forma que estiver configurado seu IES, ele pode não aparecer corretamente, pois quando mais luz tiver no ambiente, mais ele perde a força… o bom mesmo é você tentar achar um meio termo, ou tentar simular o sun com objetos emissores ou mesmo baixar o energy das outras lampadas.

  9. gerson boscarato 04/11/2008 em 6:28 pm

    quero começar a desenha moveis da uma força pelo menos para começar depois eu me viro grato

  10. Samuel Amarante 16/06/2009 em 2:16 pm

    Bom,de acordo com oque vcs descreveram isso não me parece um defeito,eu nunca trabalhei com o indigo mas acredito que o ocorre é o seguinte,o Indigo utiliza controle de exposição fotografico e qnd vc coloca uma luz tipo um sol físico e vc deixa a configuração da camera com a exposição automática o indigo automaticamente configura a exposição de acordo com a energia emitida pelo sol e por conta disso as luzes artificiais parecem estar apagadas,o ideal seria configurar a exposição manualmente e ver como ficam as luzes.

Deixar Um Comentário