Como será a tecnologia para edição de vídeo no futuro?

Um dos assuntos que mais me interessa é a evolução das ferramentas de edição gráfica, afinal é muito importante conhecer o funcionamento de softwares como o Adobe After Effects, 3ds Max, Maya, Blender 3D e vários outros. Mas, acredite que muito em breve as mudanças nas interfaces que usamos para nos comunicar com os computadores, devem trazer algumas mudanças de paradigma no uso de softwares 3d também. Isso já acontece um pouco na área da pintura digital, em que os artistas podem pintar diretamente no monitor, usando tablets sensíveis a uma caneta especial.

O funcionamento é muito semelhante a uma folha de papel virtual. Mesmo ainda sendo muito caro para a maioria de nós, esse tipo de tecnologia é o futuro. No momento em que a maioria dos computadores migrarem para telas sensíveis ao toque, a maioria dos softwares 3d que conhecemos irá precisa de adaptações para poder usar as novas interfaces, se bem que em minha opinião, acho que a maneira com que eles trabalham hoje é bem satisfatória. Não sei se isso é a voz da comodidade falando, mas não vejo outras maneiras de usar as mãos para criar modelos 3d. Agora, se as interfaces forem 3d, a história muda!

Bem, mas as tendências na modelagem e interação 3d ficam para outro artigo. Hoje vou indicar um vídeo que mostra algumas das ferramentas que podem estar presentes em softwares de edição de vídeo, como o Adobe After Effects e Adobe Premiere. O vídeo faz parte de uma demonstração das novas tecnologias interativas, para trabalhar com vídeo digital.

O mais interessante do vídeo, é que fica evidente que alguma coisa relacionada com interfaces sensíveis ao toque já está sendo preparada. Antes de continuar, assista ao vídeo:


Interactive Video Object Manipulation from Dan Goldman on Vimeo.

No vídeo, é possível perceber que as tecnologias estão mais inteligentes e conseguem separar e identificar personagens e objetos em movimento. Por exemplo, ao invés de usar o Motion Tracking do After Effects para seguir um veículo em movimento, o artista digital precisa apenas desenhar um retângulo na área em que ele deseja seguir. O próprio software identifica aquela parte do vídeo, e faz o tracking automaticamente.

Outra parte do vídeo, mostra como é possível usar o mouse para controlar e até mesmo editar o vídeo, usando apenas gestos. Isso vai livrar o artista de manipular apenas keyframes para trabalhar! Está vendo a integração com ferramentas de interação que não sejam o mouse?

Bem, o vídeo é apenas uma amostra de tecnologias experimentais, mas com grande potencial. O próprio apresentador do vídeo, comenta sobre a improvável disponibilidade desses recursos nos softwares da Adobe no curto prazo, mas sempre é bom conhecer o que nos espera.

Publicado por

Allan Brito

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *