Como ficou o Indigo Render depois das alterações de licença?

Logo depois que o Indigo Render mudou a maneira com que as suas licenças de uso eram gerenciadas, muitos artistas se dividiram e tomaram rumos bem distintos. Uma parte das pessoas acabou migrando para soluções como o LuxRender e outras acabaram aderindo a alteração, e compraram uma licença do Indigo. A vantagem em comprar uma licença é o direito a suporte e a promessa de atualizações mais freqüentes da ferramenta, assim como do pessoal que trabalha, nos diversos plugins responsáveis pela integração do Indigo com o Blender 3D, SketchUp e outras ferramentas.

O que mudou?

A ferramenta já está na sua versão 2.0 que foi lançada poucos dias atrás e teve a sua interface remodelada. Para testar e mostrar como é que esse novo Indigo 2.0 está se comportando, fiz o download da nova versão e instalei o Blendigo apropriado para o Indigo 2.0. Um ponto positivo nesse novo Indigo é que os scripts de integração são atualizados de maneira bem mais rápida que antigamente, mas agora os desenvolvedores são pagos para fazer esse trabalho. Em termos visuais a interface da ferramenta mudou muito pouco no Blender 3D.

As funcionalidades do Indigo e recursos existentes na versão gratuita, anterior ao aviso da mudança são bem parecidas e se você quiser usar a ferramenta hoje, não deve ter dificuldades em configurar uma renderização.

Quem sofreu mais alterações em termos de interface foi o renderizador em si, que ganhou uma série de pequenos ícones e opções na parte superior da interface, como mostra a imagem abaixo.

indigo-blender-3d-render-20.jpg

Esse foi um render teste que realizei usando o Blender 3D como modelador. No que se refere ao desempenho, sempre tive a impressão que o Indigo era um pouco mais eficiente que o LuxRender no refinamento do render, mas é uma diferença bem pequena. Não tenho dados ou comparações em tempo que possam comprovar isso. Ainda existe uma versão gratuita do Indigo para uso pessoal, que apresenta algumas limitações:

  • Marca d’água presente no render
  • Resolução da imagem limitada a 1024×768

Uma ferramenta que pode se beneficiar do uso de opções avançadas de render com o Indigo é o SketchUp, que não apresentam nenhuma ferramenta robusta de renderização com preço tão atraente como o Indigo. Quem sabe alguém não se anima e desenvolve um script em Ruby para gerar cenas para o LuxRender?

Publicado por

Allan Brito

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *