Novas tecnologias para gráficos em jogos 3d

A área de desenvolvimento de jogos 3d é uma das que mais consome material oriundo de softwares como 3ds max, Maya e Blender. O mercado consumidor de jogos é inclusive muito maior que o de cinema, em que muitas pessoas acabam mirando como objetivo profissional, quando a área de criação para jogos oferece muito mais oportunidade. Já existe até um movimento sério de estúdios de cinema, que contratam profissionais de jogos para gerar storyboards interativos, usando recursos de iluminação avançado para planejar melhor filmes e economizar dinheiro.

No final de fevereiro e começo de março foi realizada a edição 2011 da GDC (Game Developers Conferece), em que são apresentadas novidades e tendências na parte de tecnologia voltada para jogos. O espaço é usado por empresas para mostrar softwares que poderemos usar para gerar jogos, sendo que um dos destaques foi a apresentação da CryEngine 3. Para quem não conhece a CryEngine é uma das mais avançadas engines para jogos em termos gráficos, permitindo usar efeitos óticos avançados de iluminação e interação de elementos com o cenário. A versão 3 da engine mostra vários elementos que até pouco tempo atrás seriam inimagináveis para jogos que usam aceleração de hardware.

O vídeo abaixo é uma demonstração do que a CryEngine 3 pode fazer:

A qualidade das animações e elementos mostrados no vídeo é de impressionar, principalmente devido ao fato que tudo é baseado em render em tempo real, sem o uso de keyframes para realizar os movimentos. Isso significa dizer que poderíamos interagir com todos os elementos existentes no cenário.

A qualidade não muda muito quando mudamos para outra engine muito usada em projetos que demandam de gráficos avançados, como é o caso da Unreal Engine 3, que também ganhou um vídeo de demonstração na GDC 2011.

A única limitação para esse tipo de tecnologia para projetos de jogos envolve os requisitos de hardware necessários, principalmente para conseguir reproduzir gráficos com esse nível de qualidade. É complicado encontrar pessoas dispostas a investir pesado em placas gráficas para reproduzir jogos nessa qualidade. Os preços cobrados por essas placas aqui são proibitivos, devido a soma da nossa carga tributária e o rótulo de produto de luxo que essas placas adquirem. Em outros países é muito mais barato adquirir placas com poder de processamento suficiente para gerar esse tipo de gráfico.

Mas, quando mudamos o foco para aplicações profissionais a coisa muda de figura, e o retorno financeiro que podemos ter com o investimento em hardware e software assim pode ajudar bastante um pequeno projeto.

Publicado por

Allan Brito

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

Um comentário sobre “Novas tecnologias para gráficos em jogos 3d”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *