Testando o AutoSeam para texturas no Blender 2.5

Os projetos do Google Summer of Code desse ano que envolvem o Blender estão indo muito bem, com alguns deles em estágio bastante avançado, como é o caso do projeto que adiciona recursos para Tracking de câmera no Blender. Um desses projetos promete ajudar a realizar uma das tarefas mais tediosas na parte de configuração de texturas para objetos 3d. Quem já precisou aplicar uma textura usando mapas UV sabe do que estou falando, e o recurso conhecido como AutoSeam do Blender promete automatizar o processo de mapeamento.

Mas, o que é esse Seam?

Para explicar o que é um Seam, precisamos entender antes o funcionamento do chamado UV Unwrap. Esse processo consiste na planificação de um modelo 3d, para que possamos exportar um mapa das suas faces, e depois pintar uma textura sobre os planos. A parte chata desse processo é que precisamos escolher as arestas que devem ser separadas na planificação.

O novo recurso do Blender chamado de Autoseam promete facilitar esse processo, escolhendo as arestas que apresentarem o melhor resultado para a planificação. Como ele funciona? Para mostrar o seu funcionamento, montei um pequeno tutorial em vídeo que demonstra o seu resultado no modelo de uma parede:

O vídeo é curto, e pelo resultado final você vai perceber que ainda é preciso um pouco de trabalho por parte do desenvolvedor para refinar o AutoSeam. A organização dos Seams ainda não ficou muito boa, mesmo fazendo alterações nos parâmetros do recurso. Lembre que o recurso ainda está em fase experimental, e se realmente funcionar com modelos 3d de complexidade mediana, será uma grande ajuda no processo de texturização em 3d.

Para testar esse mesmo projeto, recomento visitar o graphicall.org e fazer o download dos builds do Blender identificados como Avocado.

Publicado por

Allan Brito

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *