Blur e The Goon: Exemplo de financiamento para animações 3d

O financiamento de qualquer projeto de animação em 3d é muito complicado, principalmente quando falamos do cenário nacional. Já é complicado encontrar financiamentos para produzir cinema que não tenah apoio do governo, o que dirá em casos de animações em 3d. A situação é melhor fora do Brasil, mas também existem barreiras que produtores e estúdios precisam vencer para conseguir viabilizar seus projetos. E geralmente quando o dinheiro aparece, o estúdio precisa fazer modificações na história como tirar a violência para conseguir uma classificação etária mais ampla, visando retorno financeiro.

Uma outra alternativa para esse tipo de situação é o crowdfunding, que já é praticado de maneira excelente pelo Instituto Blender com os Open Movies. Só para citar os vários casos de sucesso temos o Tears of Steel e o Sintel. Nesse tipo de financiamento o estúdio recebe várias pequenas doações, ou compra antecipada do DVD da animação, e o estúdio usa os recursos para efetivamente produzir o projeto.

O mesmo sistema de financiamento está agora em uso pelo pessoal do estúdio Blur. Sim, é aquele mesmo estúdio famoso pelos seus curtas animados e que produz material para diversos jogos, filmes e TV. O pessoal do estúdio está com um projeto no Kickstart para financiar um filme, sobre as histórias do “The Goon”. Esse é um personagem criado por Eric Powell, sendo publicado em formato de revista em quadrinhos. O objetivo da arrecadação de fundos é conseguir 400.000,00 dólares até o dia 11 de Novembro. Nesse exato momento a arrecadação já está quase passando os 300 mil dólares.

Para mostrar um pouco do que eles pretendem fazer no projeto, o estúdio produziu um teaser do que seria o filme.

A temática da história é bem contemporânea e trata da caça a zumbis, que é exatamente a atividade principal do protagonista da história. E como o objetivo é produzir a animação usando apenas fundos oriundos de doações, o estúdio e o criador da história devem ter total liberdade para definir os rumos do roteiro, inclusive abrindo espaço para situações cômicas com temática mais adulta. Isso seria muito complicado de conseguir em projetos de animação voltados para o cinema “tradicional” em que o público infantil é o maior alvo, fazendo com que a animação seja sempre politicamente correta.

Uma das coisas que não encontrei na página de referência do projeto, é a duração da animação que será produzida. Será mesmo um filme? Com esse valor é possível conseguir mais de 30 minutos de animação.

Publicado por

Allan Brito

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *