Configurando cabelo com partículas no Blender

A configuração de cabelos e pelos em personagens virtuais é uma das tarefas mais chatas trabalhosas dentro do design de personagens, pois envolve a manipulação de uma dezena de valores e parâmetros de partículas, e a criação de pequenos controladores para conseguir o efeito desejado. Já foi muito mais complicado de configurar cabelos no Blender, mas hoje até que existem opções interessantes para ajustar o processo usando apenas as opções do campo de partículas configuradas como “hair”.

Quer aprender a trabalhar com esse tipo de configuração no Blender? O tutorial a seguir não foi gravado por mim, mas por um artista chamado Matt Heimlich e em quase 50 minutos de vídeo ele mostra todo o processo necessário para configurar cabelos no Blender. É algo que requer um pouco de paciência e conhecimento prévio na manipulação de partículas, mas apenas o básico já ajuda você a acompanhar o que o autor realiza no vídeo.

No vídeo você acompanha o processo completo de configuração de cabelos para a cabeça de um personagem, acompanhando a criação das partículas e os ajustes nos diversos parâmetros disponíveis no painel de partículas do Blender. Para quem nunca trabalhou com partículas pode ser desafiador tentar seguir o tutorial, pois a quantidade de parâmetros e opções é bem extensa!

O processo gera partículas realistas, mas ainda assim prefiro outros métodos para simular cabelos como é o caso do uso de polígonos junto com texturas usando canais alpha. Sim, podemos representar cabelos muito bem usando polígonos e texturas, aproveitando os pixels transparentes de texturas é possível representar cabelo usando pequenos planos, e controlar o movimento usando Shape Keys ou mesmo bones.

Essa solução apresenta um menor nível de realismo em comparação com as partículas, mas o resultado em termos de velocidade de animação é bem considerável. Para alguns efeitos como movimento de cabelos sob o efeito de campos de força, o controle e gravação dos keyframes é um pouco trabalhoso. O ideal é que você experimente com os dois métodos e encontre aquele que melhor se encaixa no contexto do seu projeto, pois um método de animação em 3d não se aplica em todas as situações.

Publicado por

Allan Brito

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *