Tutorial Blender: Criando simulações usando fogo e física

As ferramentas que estão sendo adicionadas ao Blender em cada nova versão estão mantendo o alto nível em termos de recursos e opções desde que a série 2.5 começou alguns anos atrás. E na versão 2.65 que já está para ficar ultrapassada a coisa não foi diferente! Nessa versão do Blender ganhamos alguns recursos interessantes do ponto de vista da simulação baseada em física com a adição da simulação de fogo ao já vasto leque de opções relacionadas com o tema, e disponíveis para o software. Mas, como funciona exatamente essa simulação de fogo no Blender?

Para mostrar como funciona o recurso para as pessoas que ainda não tiveram paciência, ou coragem para usar a simulação de fogo, visto que brincar com esse tipo de coisa é muito perigoso, resolvi gravar um pequeno tutorial mostrando o procedimento necessário para gerar fogo virtual com o Blender.

Aqui está o tutorial:

Gostou do vídeo? Comente e avalie! Aproveite também para assinar meu canal no Youtube, e receba atualizações e novos tutoriais de imediato.

Esse é um recurso que se encaixa perfeitamente dentro dos desejos dos usuários que possuem tendências inclinações a ser piromaníaco. Se essa for a sua situação, pode ficar tranquilo em relação a combustão de objetos virtuais no Blender, pois o máximo que pode esquentar nesse tipo de situação é o seu computador, que dependendo do nível de qualidade da simulação pode ter uma demanda bem alta de processamento.

A configuração básica do fogo é bem simples, mas requer cuidados na parte posteiror ao ajuste inicial para conseguir refinar a animação do fogo. O processo consiste em trabalhar com os mesmos ajustes já usados para fumaça (Smoke) no Belnder, e simplesmente alterar no tipo de simulação a opção de Smoke para Fire, ou quem sabe até usar os dois juntos com o Fire+Smoke. O resultado será a criação de uma chama bem realista que pode ser usada nos mais variados cenários de animação.

Assim como acontece com qualquer simulação baseada em física, o céu não é o limite, mas sim a capacidade computacional do seu equipamento e também a sua paciência ou prazo. O nível de realismo da simulação é exponencialmente proporcional ao tempo de render e pré-processamento necessário para gerar a animação. E nesse tipo de situação você terá que trabalhar com Bake da animação!

Quer aprender mais sobre animação baseada em física com Blender?

Para os que se interessaram em trabalhar com animação baseada em física com Blender, recomendo uma visita ao curso de animação baseada em física com Blender do EAD – Allan Brito que aborda exatamente esse tipo de animação, usando os recursos de física como Smoke, Fluidos e Cloth.

Publicado por

Allan Brito

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *