Renderizando imagens usando a GPU? Como começar?

O hardware necessário para trabalhar com computação gráfica sempre foi notório por demandar quantidades razoáveis de memória e poder de processamento, fazendo com que artistas 3d e estudantes procurassem em lojas especializadas por equipamentos de última geração e consequentemente muito mais caros. Com o passar dos anos as exigências de hardware aumentaram, mas o ponto de equilíbrio desse equipamento também foi alterado. Uma das partes que não fazia tanta diferença assim no momento da chamada renderização, alguns anos atrás, hoje pode realmente cortar os tempos de render para períodos extremamente curtos! Estou me referindo a placa de vídeo (GPU).

Com o advento dos renderizadores que conseguem aproveitar o poder das modernas GPUs, é possível jogar toda a carga de render de um projeto para a placa de vídeo e distribuir tarefas que antes eram manipuladas apenas por dois, quatro ou quem sabe oito núcleos do processador (CPU) para até mil núcleos! Sim, você não leu o texto errado. Algumas GPUs existentes hoje em dia oferecem até mil núcleos para distribuir processamento e ligar com renderização de imagens e outros processos.

Exemplos de placas gráficas para alta performance

Um exemplo disso é a GeForce GTX Titan Black com seus insanos 2880 núcleos. A placa de vídeo é voltada para o mercado de jogos com alta performance, mas graças a uma tecnologia chamada CUDA da NVIDIA é possível aproveitar esses núcleos para gerar imagens em softwares de renderização.

É evidente que existem outras opções mais humildes em termos de processamento e quantidade de núcleos, mas independente da opção escolhida é praticamente certo que a sua placa terá muitos núcleos a mais do que qualquer processador acessível para computadores pessoais.

Além da quantidade de núcleos existentes na placa de vídeo, é preciso tomar cuidado também com a memória existente nessas placas. Caso a placa possuam pouca memória, você ficará limitado a manipular apenas aquela quantidade de dados no momento da renderização. Por exemplo, uma placa que possua apenas 1GB de memória, só terá capacidade para manipular e carregar texturas e outras informações até essa capacidade. Quando passa dessa capacidade, o software simplesmente não consegue aproveitar o poder oferecido pela placa de vídeo para gerar o render.

Como começar a renderizar na GPU?

Nesse ponto você já deve ter ficado interessado em começar a renderizar seus projetos usando uma GPU. Mas, como começar? O primeiro passo é um pouco deprimente, pois envolve adquirir uma dessas placas. A minha recomendação nesse caso, para fins profissionais, é preferir um modelo da NVIDIA. As placas da ATi/AMD da série Radeon são excelentes para jogos, mas não oferecem muito suporte para render em softwares gráficos. Caso alguém conheça softwares que usem esse equipamento, indique nos comentários pois não conheço nenhum.

Antes de adquirir a placa de vídeo para renderizar, recomendo consultar a documentação do software que você deseja usar para renderizar seus projetos. Será que ele suporta aceleração por GPU? A maioria já oferece algum tipo de suporte como o iray no 3dsmax e o Cycles no Blender. Ainda existe outros renderizadores externos dedicados como o V-Ray RT, Octane Render e Arion.

Para escolher o modelo da placa, e para isso você deve levar em consideração as especificações técnicas somadas ao investimento necessário para adquirir a placa. Algumas vezes fica mais barato comprar duas placas mais simples, e usar recursos como o SLi da NVIDIA para usar as duas placas no mesmo computador e compartilhar os núcleos e a memória.

Benefícios de usar GPU?

O principal benefício de usar renderização por GPU é a redução significativa do tempo necessário para gerar imagens e animações. Quem já teve a felicidade oportunidade de usar esse tipo de recurso, percebeu que a visualização e manipulação da cenas pode ser realizada em tempo real! Esse é o motivo pelo qual algumas versões de renderizadores que usam a GPU para gerar imagens adotam o sufixo RT para Real Time.

Usando render por GPU

Tem uma placa de vídeo da família GeForce GTX? Quer começar a renderizar seus projetos agora mesmo? Basta fazer o download dos drivers apropriados no web site da NVIDIA e usar o Blender Cycles, que é capaz de utilizar os núcleos dessas placas de vídeo para gerar imagens e animações. Se quiser uma ajuda para começar a usar o Blender Cycles, no EAD – Allan Brito você encontra dois cursos específicos sobre renderização com o Blender Cycles:

Ao fazer a inscrição nos dois cursos ao mesmo tempo na página dos combos, você ainda consegue um desconto em ambos os cursos.

Publicado por

Allan Brito

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

5 comentários sobre “Renderizando imagens usando a GPU? Como começar?”

  1. Qual placa vc usa Allan? .. estou querendo comprar uma com Cuda, mas estou meio em duvida sobre qual :/

  2. No momento estou usando uma GeForce GT 750M já que estou apenas usando um Macbook. Pelo menos o Cycles suporta essa GPU.

    Quer uma sugestão? Qualquer placa GeForce da série 600 ajuda muito no render, e tem custo mais acessível. O ideal mesmo são as da série 500, mas não vendem mais 🙁

  3. Bom dia Allan! Qual a diferença de uma NVidia Quadro k4000 para a GForce Titan Black? Qual a mais indicada para trabalhos de animação 3D.

  4. Oi Allan, Bom dia, antes de tudo sou um assíduo leitor ! parabéns pelo site.

    Tenho uma Ge Force 550 Ti com 8 Gb de Ram e um i5 – 2310.
    Estou muito interessado em migrar do render tradicional para a renderização por GPU. Essa configuração me permite trabalhar com tranquilidade ? Meus produtos são em sua grande maioria ilustrações de arquitetura.

    abraços !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *