Clicky

A polêmica do aluguel de softwares para arte digital

O modelo de aquisição de softwares está mudando de maneira rápida ao longo do tempo, e hoje em dia uma boa parte das empresas está descobrindo que não vale mais a pena vender licenças. Veja o caso de plataformas como a Adobe e o seu Creative Cloud. Para alguns usuários pode ser uma boa alternativa conseguir pagar uma mensalidade para usar todos os softwares. Mas, ainda seria bom ter a opção de adquirir a licença para uso por tempo indeterminado. Uma boa parte dos artistas e empresas acaba usando os [...]

Calote na indústria de computação gráfica americana?

Estava lendo a notícias rotineiras sobre o mercado de computação gráfica nesse último final de semana, quando encontro uma notícia alarmante! A possibilidade de calote nos projetos envolvendo computação gráfica e efeitos, para piorar tudo essa notícia vêm do mercado mais desenvolvido no mundo, para essa área, que é o de produção cinematográfica dos EUA. Quem trabalha, ou quer trabalhar, com computação gráfica precisa se preparar para em algum momento da carreira se tornar prestador de serviços e não um empregado com "carteira assinada". Os prestadores de serviço sabem bem [...]

Que tal comprar um software usado?

Calma, não pretendo vender licença de software usado aqui no blog. Mas vou comentar um caso muito interessante, noticiado pelo portal Ars Technica. O que acontece é o seguinte, a Autodesk impediu que um vendedor do e-bay, comercializasse lincenças de seus softwares pelo site de leilões. O problema é o vendedor, indignado com a intromissão da Autodesk, está processando a empresa em 10 milhões de dólares do por "danos morais". Quem está com a razão? Existe essa possibilidade? Vender a licença de um software usado? Vamos aos fatos, segundo o [...]

Grandes empresas podem processar artistas 3D!

Alguns artistas 3D estão sofrendo processos na justiça em países como os EUA e Canadá, devido ao seu trabalho como modeladores 3D. O problema é o seguinte, esses artistas estão criando modelos 3D para comercialização, de objetos que são [BP:215]propriedade industrial[/BP]. Por exemplo, quando um modelo 3D de um carro da Honda ou Ford é criado, você está utilizando um [BP:215]design[/BP] que consumiu alguns anos para ficar pronto e ser desenvolvido, sem falar que custou alguns milhões de dólares em projeto. Quando você cria um modelo 3D desse carro ou produto, para fins de estudo, não há nenhum problema. Mas quando o objetivo é vender o modelo 3D, em sistemas como o TurboSquid ou outro qualquer, então você pode estar entrando em uma enrascada. Tudo porque a empresa que é a proprietária e patenteou o design, não está recebendo direitos sobre a imagem do seu produto. O problema todo reside na comercialização e repasse de direitos intelectuais. […]