Goalem: Animação de multidões gratuita para o Maya

Já houve uma época em que animações de multidões eram consideradas assunto relegado apenas a grandes produções com orçamento suficiente para pagar por softwares absurdamente caros. Mas, com o passar do tempo a tecnologia foi se tornando mais acessível e barata.

Se você é usuário do Maya e gostaria de criar animações de multidões, existe uma opção ao mesmo tempo poderosa e gratuita que pode ser aplicada nos seus projetos. Caso você não conheça, recomendo uma visita ao site do Goalem 6 que permite animar centenas e milhares de personagens ao mesmo tempo.

Com a versão PLE (Personal Learning Edition), você consegue usar os recursos do software de maneira gratuita.

Só para você ter uma idéia de como esse software é usado nos mais variados projetos, o Goalem é usado em projetos de jogos AAA e também seriados e filmes.

Quer alguns exemplos? O software foi usado para fazer simulações em Game of Thrones, Halo Wars 2 e no recente filme Hacksaw Ridge. Esses são apenas alguns dos exemplos de projetos que fizeram uso do Goalem no Maya.

O simples fato de ter esse tipo de ferramenta como opção para criar seus projetos é uma grande vantagem para alguns projetos. Você pode tranquilamente criar diversos cenários em que centenas de personagens realizam uma tarefa, ou ajudam na contextualização de uma cena.

Sem o uso desse tipo ferramenta você teria uma incrível quantidade de trabalho para conseguir realizar simulações com apenas algumas dezenas de personagens.

Aprenda a fazer animação 3D

Aprenda a fazer animação 3d usando os mais variados tipos diferentes de softwares como o Blender, 3ds max e outros. No EAD – Allan Brito é possível encontra cursos relacionados com rigging, animação e render. Será possível adquirir as habilidades necessárias para conseguir realizar os mais diferentes tipos de projetos.

Aqui estão os cursos recomendados para aprender animação:

Download gratuito Autodesk Maya: Personagem para animação

É preciso conhecer a fundo o processo de rigging para ser um bom animador? Esse é o tipo de pergunta que os meus alunos sempre me fazem nas aulas sobre rigging, e a resposta para ela é não. A configuração de um personagem para animação usando os controladores e ajustes de deformação, é algo extremamente trabalhoso e complexo. O conhecimento das ferramentas necessárias para criar um bom rig do zero é bem razoável e acaba sendo desenvolvido ao longo de vários meses de testes e e estudos, algumas vezes envolvendo até mesmo o uso de scripts.

Um bom rig deve possibilitar ao animador criar vários movimentos e ajudar na atribuição de emoções ao personagem. Se o seu objetivo é estudar animação apenas, recomendo começar a manipular um dos vários rigs gratuitos disponíveis na web, como é o caso do Stewart! Esse é um personagem completo disponível para os usuários do Maya que ajuda no início dos estudos sobre animação.

download gratuito Maya

O personagem foi desenvolvido pela escola online de animação Animation Mentor e pode ser copiado de maneira totalmente gratuita diretamente desse endereço. A vantagem no uso do Stewart é que um artista usando o Maya, pode partir diretamente para a criação de animações sem a preocupação de precisar começar a fazer um rig completo.

Se você quiser é possível até mesmo usar o personagem em projetos comerciais, pois a licença de uso do Stewart permite a criação de trabalhos derivados, para isso basta citar a fonte.

A versão do Maya para a qual o personagem está otimizado é a 2013 ou superior, mas você pode tentar sem problemas usar o rig no Maya 2012 e anteriores. O que deve acontecer é que alguns dos controles devem parar de funcionar.

Caso você não seja usuário do Maya, outras opções de rigs gratuitos para outros softwares 3d são os seguintes:

Esses recursos são fundamentais para qualquer artista interessado em começar a trabalhar com animação 3d de personagens, pois evita a necessidade de conhecer o processo de Rigging a fundo. Mas, é sempre bom ter uma base sobre a construção do personagem para ter condições de alterar as configurações do personagem caso seja necessário.

Renderização com Maya: Octane Render

A renderização é um dos estágios mais delicados de qualquer projeto envolvendo modelagem 3d, pois muitas vezes é possível salvar o projeto com os ajustes certos na renderização ou então estragar a modelagem com um conjunto ruim de iluminação, materiais e render. É por isso que muitos artistas 3d recorrem ao uso de renderizadores baseados em física real, usando algoritmos como o Path Tracing que oferecem grande qualidade de iluminação e realismo, sempre cobrando um alto preço em termos de processamento da imagem. Mas, a alta demanda de processamento pode ser compensada hoje em dia com o uso das GPUs dos computadores para acelerar o processo de renderização. A renderização com Maya não é diferente, e apesar do software possuir de maneira nativa um poderoso render que é o mental ray, diversos artistas recorrem a soluções com o Octane Render.

Renderização com Maya

Renderização com Maya: Usando o Octane Render

Já faz um bom tempo que não escrevo absolutamente nada sobre o Maya aqui no blog, e depois que encontrei um vídeo mostrando o processo de configuração usado por um artista para configurar o Octane Render no Maya, passando por aspectos como iluminação e materiais, achei que valeria a pena fazer um artigo sobre o assunto.

O vídeo é bem longo passando de uma hora de duração, e o conteúdo apresentado no material é muito interessante pelas dicas passadas pelo autor e também o modelo 3d usado como exemplo que recebe diversos ajustes de materiais diretamente da interface do Maya. O Octane Render tem um plugin que permite a integração perfeita com o Maya, facilitando a criação de um processo automatizado de render.

A renderização com Maya acelerada por GPU como é o caso do Octane pode trazer vários benefícios em termos de produtividade para qualquer artista 3d, pois as imagens com qualidade fotográfica são geradas com muito menos tempo de espera.

Se você é usuário do Maya e gostaria de outra opção de renderização diferente do mental ray e que não custasse uma fortuna, é interessante considerar o Octane Render. Ainda é possível escolher outras opções como o V-Ray, mas o custo para usar o software é muito alto.

Animação com Rigid Body no Autodesk Maya

Os sistemas de animação que utilizam simulações baseadas em física são parte integrante de qualquer software que se destine a trabalhar com animação em 3d, e no Maya esse tipo de sistema não poderia ficar de fora do já robusto sistema de simulação de uma das ferramentas mais conhecidas entre os artistas 3d. Você conhece o sistema de animação por Rigid Body do Maya? No artigo de hoje, vamos relembrar dois vídeos interessantes produzidos usando o Maya 2010 que mostram como trabalhar com o sistema de Rigid Body do software e também como usar o constraint do tipo Hinge.

A animação com Rigid Body do Maya é muito simples de entender, e se você já trabalhou com qualquer outro software de simulação baseada em física o processo de configuração será muito natural. A primeira coisa que devemos fazer nesse tipo de simulação é escolher quais objetos devem sofrer ação da gravidade e quais precisam ficar estáticos. No Maya isso é determinado pela escolha dos objetos ativos e passivos. No caso, os objetos passivos participam da simulação mas funcionam apenas como obstáculos da simulação e não se movem com a ação da gravidade. Já expliquei demais, é hora de assistir ao tutorial:

Apesar do vídeo mostrar o funcionamento do sistema de Rigid Body, ainda é possível deixar a simulação mais realista usando sistemas de constraints. Nesse caso podemos usar um constraint do tipo Hinge para criar um sistema semelhante a uma roldana, em que o objeto fica fixo em um determinado eixo.

Com esse tipo de ajuste, as simulações de Rigid Body podem ser usadas para simular objetos como gangorras, catapultas ou qualquer coisa que possa aproveitar o uso do constraint hinge.

Agora você já conhece mais sobre o funcionamento do sistema de animação baseado em Rigid Bodies do Maya e pode adicionar física nas suas animações e projetos, possibilitando a criação de movimentos mais realistas. Já pensou ter que configurar esse tipo de dinâmica em objetos usando apenas keyframes? É por isso que o conhecimento de ferramentas desse tipo é fundamental para qualquer animador trabalhando com o Maya e que queira facilitar um pouco o seu trabalho!

Tutorial Maya: Animação com nParticles e polígonos

As animações usando partículas são sempre algo muito interessante de observar, seja pela complexidade que algumas dessas animações podem atingir, ou mesmo pelo simples fato de serem extremamente complexas de configurar em algumas situações. A complexidade nas animações com partículas aparece quando precisamos criar algo que exige o uso de muitos parâmetros desse tipo de objeto em softwares de animação 3d, e quem já teve a oportunidade de trabalhar com partículas sabe que não são poucos esses parâmetros e opções.

E quando o software possui mais de um sistema de partícula e física? Esse é o caso do Maya que possui basicamente partículas “normais” e outro sistema chamado de nParticles que faz parte do chamado módulo Nucleus Animation que é um pacote de animação avançada baseada em física que acompanha o Maya já faz um bom tempo. Dentro desse pacote encontramos opções para simular partículas, tecidos e outros. Um dos pontos positivos do nParticles no Maya é que podemos trabalhar com opções realmente avançadas de animação baseada em física.

Para ter uma idéia de como converter partículas em polígonos usando o sistema nParticles do Maya, e ainda aprender a criar uma animação muito interessante que usa como recipiente para um sistema simples de fluido a cabeça de um personagem, você pode assistir ao tutorial abaixo. Os usuários que já conhecem o Maya não devem ter dificuldades em seguir as opções apresentadas no tutorial, para reproduzir esse mesmo efeito.

Shaping NParticles in Maya from Pat Imrie on Vimeo.

A parte realmente interessante do tutorial é a possibilidade de converter o sistema de partículas com todo o seu movimento em polígonos, o que gera um efeito muito interessante no final. Em outros softwares é possível fazer algo parecido, mas seria necessário muito mais trabalho e até mesmo retoques na pós-produção para conseguir efeito semelhante.

Ainda me recordo do tempo em que ministrava aulas sobre o Maya, e da aplicação no nParticles e outros sistemas em projetos de animação. Apesar de ser muito bom e avançado, o sistema não está livre de bugs e outros pequenos problemas na criação de cenas complexas. Mas, é sem dúvida um sistema que gostaria de ter a disposição sempre que fosse necessário criar algum tipo de animação usando física avançada. E felizmente isso é a exceção!