Configurando material de veludo no V-Ray e mental ray

Os renderizadores externos sempre são uma alternativa para quem precisa estrapolar os limites do que é oferecido em termos de qualidade de imagem com os render que acompanham as suítes 3d. Isso é muito com um com softwares como o 3ds max, que mesmo apresentando o mental ray e iray integrados ao seu sistema, permite usar renderizadores como o V-Ray. Esses renderizadores externos adicionam novas opções e algoritmos que prometem renderizar de maneira mais rápida e realista as superfícies e iluminação produzida na cena.

Para muitos usuários a instalação de um novo renderizador adiciona apenas opções relacionadas com a iluminação, mas precisamos configurar muito mais do que isso junto do render. A pior parte, ou seria a mais trabalhosa do processo, é dominar os ajustes dos materiais que são diferentes para cada renderizador.

Configurando material de veludo no V-Ray e mental ray

Mas, em alguns casos particulares é possível encontrar ajustes de materiais que teoricamente funcionam em diveros renderizadores, como é descrito por esse tutorial muito interessante que ensina a configurar veludo no V-Ray e mental ray ao mesmo tempo. Segundo o autor do tutorial, o material pode ser usado sem grandes problemas nos dois renderizadores.

material-veludo-mental-ray-vray.jpg

O material com veludo é um dos mais trabalhosos de configurar em termos de superfícies de tecido, pois o mesmo apreenta um padrão muito particular de reflexões na sua superfície. Para conseguir o efeito, o artista usa um cojunto de ajustes e mapas nos materiais, em que o Falloff tem papel determinante.

O falloff é importante mas não resolve sozinho todas as necessidades do material, e para isso são precisos outros ajustes para conseguir o efeito de veludo. O resultado final pode ser conferido no final do tutorial com a renderização de uma cadeira usando o material.

Se você é usuário do 3dsmax e usa V-Ray ou mental ray para renderizar os seus projetos, recomendo muito a leitura do tutorial. Mesmo com as descrições estando em inglês, o texto é repleto de imagens que descrevem visualmente os passos necessários para configurar o material de veludo, portanto não perca essa oportunidade de aprender a cofigurar esse tipo de material.

Exemplos de render com iray usando GPU

A transição entre a renderização baseada em CPU para a que uso GPU parece que ainda irá ser motivo para dúvidas e questionamentos por parte de artistas e profissionais. Os softwares especializados em usar apenas GPU como base para renderização está se proliferando cada vez mais, e até mesmo suítes gráficas como o 3ds max está começando a incorporar na sua versão 2012 o iray, que é uma espécie de versão do mental ray que usa GPU para acelerar a renderização. Já tive vários alunos e colegas me questionando sobre o ganho de velocidade desses softwares quando usados em conjunto com uma boa placa de vídeo.

Esse mesmo tipo de dúvida é enviada para artistas que já divulgaram projetos usando esse tipo de ferramenta, e para ajudar a elucidar essas dúvidas, principalmente no que diz respeito aos recursos disponíveis em softwares como o iray, um artista chamado Jeff Patton publicou um artigo muito elucidativo, mostrando exemplos de materiais renderizados com o iray. Todas as renderizações usaram resolução fixa de 1200 por 1200 pixels, e variam entre 3 e 4 minutos.

iray-exemplo.jpg

Essas imagens renderizadas mostram como o nível de flexibilidade e recursos do iray já permite trabalhar com praticamente qualquer tipo de projeto, assim como acontece com o mental ray no 3ds max. Por exemplo, opções avançadas como materiais usando diversos tipos de reflexões e até mesmo displacement maps.

O artigo é muito interessante por mostrar para muitos usuários que ainda não sabem muito bem se devem investir no iray. Claro que os materiais são apenas o pretexto para conseguir explicar as vantagens do iray, pois o software é forte mesmo na sua solução hibrida. Se você nunca teve oportunidade de usar o iray, recomendo visitar esse artigo que explica o funcionamento do iray dentro do 3ds max, apresentando o método de configuração do iray com uma placa de vídeo dedicada para jogos, que é a GTX 570.

Para os que estão procurando soluções mais acessíveis de render por GPU, recomendo uma consulta a softwares como o Octane Render ou LuxRender. O primeiro é um render totalmente baseado em GPU quem tem custo acessível, e o LuxRender na sua versão 0.8 irá suportar render por GPU.

Simulando a luz do dia com 3dsmax e mental ray

Nas diversas etapas de preparação e desenvolvimento de um projeto de animação ou criação de imagens estáticas com softwares 3d, a iluminação dos ambientes é vista por várias pessoas como a chave para conseguir uma boa imagem. Isso pode ser encarado como verdade, mas está longe de ser o único fator que determina a qualidade visual de uma imagem em 3d. Como parte de um conjunto maior a iluminação serve para atribuir contexto e dar vida a uma imagem gerada em ambiente frio e sem vida que é o computador.

O tipo mais comum de iluminação que podemos trabalhar para projetos 3d é a simulação da luz do dia. Muitas pessoas preferem recorrer a técnicas avançadas de iluminação para trabalhar com projetos de simulação da luz do dia. Caso você não tenha trabalhado com esse tipo de iluminação ou esteja aprendendo a trabalhar com luzes em 3d, encontrei dois tutoriais que devem ajudar muitas pessoas. Os vídeos mostram a preparação da mesma cena para render usando o tradicional scanline render do 3dsmax e depois o mesmo projeto com o mental ray.

A parte interessante do render usando scanline é que o autor mostra diversos gráficos e dicas sobre o funcionamento das luzes do 3dsmax, e quais delas se aplicam melhor a simulação da luz solar.

Para resolver o problema da iluminação externa a melhor solução é realmente usar um Array de luzes com intensidade bem reduzida, que gera um excelente efeito de iluminação global usando poucos recursos de hardware. Esse sistema e interessante também por ser universal e funcionar em praticamente qualquer software 3d.

Já no segundo vídeo podemos acompanhar a mesma cena sendo que agora com a ajuda do mental ray e recursos avançados de iluminação. A quantidade de pontos de luz é drasticamente reduzida nesse caso, fazendo com que o usuário precise apenas de um ponto de luz na cena.

Com o mental ray renderizando a cena o autor do vídeo pode fazer uso dos materiais próprios do mental ray como o Arch & Design e mapas do tipo HDRI para ajudar na iluminação. No final temos uma imagem com resultado bem semelhante ao que foi conseguido usando apenas luzes tradicionais do 3dsmax.

Memória insuficiente no mental ray?

O uso de computadores cada vez mais rápidos e sistemas com grande capacidade computacional acabou deixando boa parte dos artistas 3d, que tem acesso a equipamentos e computadores poderosos, mais animados em tentar renderizar cenas complexas. Muitos desses artistas acabam escolhendo softwares para renderizar seus projetos como o mental ray, reconhecidamente um dos melhores renderizadores. Ele é conhecido pela qualidade com que é capaz de gerar imagens, e também pela dificuldade em dominar todos os seus parâmetros de configuração e ajustes. Motivo esse que faz com que muitos artistas 3d abandonem o software, mesmo acompanhando de maneira gratuita o 3dsmax, para usar o V-Ray.

Mas, mesmo com todo esse poder de processamento nas mão e o mental ray preparado para gerar imagens complexas, alguns artistas acabam encontrando mensagens de erro estranhas quando renderizam seus projetos. Uma das mais intrigantes é o aviso de memória insuficiente, mesmo com o computador estando livre de outros softwares e usando sistemas de 64-bits com mais de 4GB de RAM. O que é isso? Como resolver esses erros de memória?

erro-mental-ray.jpg

Esses erros podem ter diversas origens e os sinais podem ser identificados com o console de erros do mental ray. Caso você esteja passando por essa situação, esse artigo com soluções para erros no mental ray pode trazer alguma luz ao seu problema.

Muitos dos casos listados no artigo tem solução e envolvem modificações nos ajustes da cena e também nos modelos 3d. O primeiro erro abordado pelo autor do artigo são os de proxy. Esse tipo de erro mostra uma mensagem característica no console de erros do mental ray. A correção é simples e envolve a alteração do tipo de aceleração usada no ray tracing para BSP2, quando o normal é usar BSP. O que é esse BSP? Esse é um acrônimo para Binary Spacing Partitioning. É a técnica usada no mental ray para dividir a cena em áreas menores, para facilitar a análise no processo de ray tracing.

Com o BSP2 apresentado junto com o 3dsmax 2009, a capacidade e velocidade desse processo foi melhorado, fazendo com que a ocorrência de erros seja menor. Se você quiser saber mais sobre a otimização de ray tracing com o mental ray, visite o endereço indicado. Depois de ajustar a aceleração do ray tracing, ainda é recomendado otimizar o uso de proxies na cena e reduzir a quantidade de polígonos.

Outro erro comentado pelo artigo são os relacionados com o uso de mapas de displacement, que podem ser facilmente detectados.

No final do texto temos uma dica final do autor para resolver a maioria dos projetos que apresentam problemas de memória, e acabam abortando o processo. Isso é feito na configuração do render, habilitando a opção “use fast rasterizer”. Para os usuários do mental ray, o artigo é mais que recomendado!

Como converter materiais entre V-Ray e Mentay Ray?

O trabalho em escritórios de arquitetura ou como profissional especializado em visualização apresenta diversos pequenos desafios, como o gerenciamento de materiais e grandes bibliotecas de objetos 3d. Quando optamos por trabalhar com softwares que apresentam grande quantidade de opções em renderização como o 3ds Max, a incompatibilidade entre alguns objetos e materiais é fato corriqueiro. Por exemplo, imagine que você está usando apenas o VRay para renderizar os seus projetos, e depois de muita pesquisa por blocos de mobiliário, aquele modelo da cadeira Eames que faltava para completar o projeto foi encontrado! Mas, para sua decepção o autor do modelo configurou o couro e madeira da cadeira usando o Mental Ray. Ao acionar o render no VRay as coisas acabam ficando estranhas, como texturas borradas ou reflexões fortes demais.

Como resolver isso?

A maneira mais simples de resolver esse tipo de problema é com a configuração manual do material, usando os conhecimentos do artista 3d. O problema nesse caso é que o artista precisa conhecer as configurações e ajustes dos dois renderizadores, e que nesse caso são o VRay e o Mental Ray. Só isso demanda uma boa quantidade de estudo e prática, pois as opções de ajustes para materiais nas duas ferramentas são bem variadas.

Para os usuários do 3ds Max, existe um script que pode ajudar significativamente nesse tipo de tarefa, permitindo converter de maneira automática os materiais ajudstados para VRay, Mental Ray e Maxwell Render. O Script pode ser copiado de maneira totalmente gratuita nesse endereço.

Script 3ds Max - Converter VRay Mental Ray Maxwell Render

A ferramenta considera alguns dos ajustes do 3ds Max para materiais como sendo padrão entre as ferramentas, mas isso não excluí a possibilidade do artista realizar algum tipo de configuração manual, pois nem tudo pode sair da maneira como esperamos. O script acaba fazendo a maior parte do trabalho, mas o ajuste das superfícies e reação a luz pode variar de artista para artista.

Esse é o tipo de problema pelo qual todos os artistas 3d um dia acabam passando, seja com a manipulação de materiais no Blender 3D que sofram configurados no YafaRay, mas o render será executado no LuxRender ou em ferramentas como o 3ds Max, Maya e outros.