Mapeamento de projeções para superfícies em arquitetura

Uma das técnicas usadas para adicionar elementos visuais em edificações e grandes superfícies é o chamado mapeamento de projeções, que consiste nada mais do que a identificação de pontos chave em superfícies para projetar imagens e vídeos que transformem aquela superfície estática e sem movimento, em verdadeiras interfaces. Essa é uma técnica que mistura ao mesmo tempo os conceitos de realidade aumentada em projetos reais e a simples visualização de projetos de design. Já faz um tempo que apresentei um artigo no blog falando sobre o uso desse tipo de projeção para arquitetura em maquetes, proporcionando maneiras novas de mostrar opções e detalhes construtivos em projetos.

Mas, o uso da técnica não está restrita apenas ao uso em projetos para arquitetura e pode servir para os mais variados propósitos. Por exemplo, com o lançamento do filme Iron Man 2 a produtora do filme criou uma ação de divulgação simplesmente fantástica. Eles pegaram uma das músicas da trilha sonora do filme e criaram um tipo de videoclipe baseado em projeções mapeadas sobre um castelo na Inglaterra. A música escolhida é o Shoot to Thrill do AC/DC que tem várias músicas na trilha do filme.

O resultado do projeto pode ser conferido no vídeo abaixo. Antes de começar a assistir ao vídeo é extremamente recomendável aumentar o volume.

ACDC Vs Iron Man 2 – Architectural Projection Mapping on Rochester Castle from seeper on Vimeo.

No vídeo é possível conferir uma sequência de imagens extremamente bem boladas para a superfície do castelo. Repare na parte do vídeo em que uma das fachadas começa a ser preenchida com tinta, e o excesso acaba escorrendo pelas estacadas laterais. É tudo perfeitamente mapeado e sincronizado com a música.

Além da parte de divulgação do filme Homem de Ferro 2, o vídeo prova que é perfeitamente possível transformar uma obra antiga de arquitetura em um monumento urbano interativo e interessante. É a integração entre o antigo e o novo mediado pela tecnologia.

Para os profissionais de computação gráfica o vídeo demonstra o que pode ser feito em termos de projeção e mapeamento em superfícies, e como uma edificação aparentemente sem nenhum atrativo em termos de tecnologia pode se transformar em algo completamente novo, apenas com o uso inteligente de imagens e mapeamento 3d da superfície.

Você achava que realidade aumentada estava restrita apenas a webcams?

Realidade aumentada com projeções 3d em maquetes para arquitetura

O objetivo da maioria dos projeto envolvendo a produção em 3d é fazer uma apresentação dos resultados para potencializar uma venda ou conseguir participar de projetos maiores. O caminho mais simples para realizar esse tipo de apresentação é o uso da famosa seqüência de slides feitos em softwares como o PowerPoint. Apesar de ser perfeitamente possível usar ferramentas como o PowerPoint para conseguir boas apresentações, se o objetivo do projeto for causar impacto ou uma boa impressão na audiência, existem técnicas mais aprimoradas para conseguir apresentações de impacto.

Quando o assunto é apresentar projetos voltados para arquitetura, ainda existem pessoas investindo na criação de maquetes físicas, que por mais “antiquadas” que possam parecer, ainda são bem aceitas no mercado. Algumas pessoas ainda apresentam dificuldades em visualizar imagens 2d e perceber a volumetria e o espaço tridimensional de uma edificação. Por isso, um bom conjunto de apresentação é formado por imagens 3d e maquetes.

Entre essas técnicas que podem realmente chamar a atenção para a apresentação de projetos arquitetônicos está o uso de ferramentas ou dispositivos de realidade aumentada. Essa é uma técnica que já havia sido comentada aqui no blog, mas com o uso de elementos como vídeo e composição de material 3d e vídeo real. Essa semana, descobri um pequeno guia que mostra como é possível trabalhar com realidade aumentada, projetando imagens 3d sobre maquetes reais.

realidade-aumentada-arquitetura-3d-maquetes.jpg

A técnica é bem simples e envolve o uso de dois projetores e um pouco de cuidado para alinhas as superfícies dos modelos 3d com a maquete usada para a apresentação. O processo começa com o posicionamento dos projetores, usando como referência modelos 3d simples com texturas, para conseguir posicionar a projeção de maneira a ter as superfícies necessárias para fazer animações ou projetar texto.

Basta ter um pouco de imaginação, para perceber que esse tipo de apresentação pode realmente transformar uma simples maquete em pequenos displays multimídia. Por exemplo, é possível projetar imagens para simular texturas ou mesmo pequenos trechos de texto, com explicações sobre o projeto e contornos coloridos que destaquem partes da apresentação.

As possibilidades para esse tipo de apresentação são muito interessantes e baratas também, pois a maior parte do trabalho pode ser feita apenas no software 3d. Basta ter a maquete e os projetores alinhados.

Realidade aumentada e visualização de projetos arquitetônicos

O uso de realidade aumentada está cada vez mais presente em todos os projetos que envolvem algum tipo de visualização, que podem variar desde visualização de produtos em campanhas publicitárias até projetos arquitetônicos. Mas, o que é essa realidade aumentada? Esse é um termo que designa experiências em que elementos reais são mesclados com objetos virtuais para gerar novas interfaces e visualizações dos objetos. Uma das áreas que pode se beneficiar bastante da realidade aumentada é a visualização arquitetônica, como mostra o exemplo em vídeo que estou mostrando aqui nesse artigo.

Nesse caso, o projeto foi o trabalho de graduação de um estudante de arquitetura da Faculdade de arquitetura de Valle Giulia na Itália. O trabalho envolveu o uso de tecnologias para composição de vídeo digital e animação 3d, para mostrar como seria a experiência de um estudante de arquitetura que estivesse imerso em ambientes de realidade aumentada para o aprendizado da arquitetura.

Esse é o vídeo:

Realtà Aumentata – Augmented Reality from soryn on Vimeo.

O trabalho envolveu os seguintes softwares, como é possível conferir nos créditos do vídeo:

  • 3ds Max
  • After Effects
  • PFTrack
  • Photoshop
  • Adobe Moca para After Effects
  • PFTrack
  • Adobe Flash
  • Sony Vegas

O autor do trabalho se chama Sorin Voicu e ele não é o personagem que aparece no vídeo, que no caso é um ator que participou apenas da produção.

Quer conferir algumas imagens que mostram o projeto sendo produzido? O autor disponibilizou um ótimo vídeo que demonstra o processo de composição e pós-produção do vídeo com as fases de correção de cor e o alinhamento dos planos para a animação.

Augmented Reality – VFX Breakdown from soryn on Vimeo.

Isso mostra como os recursos de composição e edição de vídeo digital está mais próximo de pessoas com a necessidade de produzir material multimídia de alta qualidade, como é o exemplo desse vídeo que demonstra muito bem a realidade aumentada na arquitetura.

Boa parte do projeto foi realizado no software de composição, para mesclar a animação 3d com o vídeo. Nesse ponto uma boa solução de tracking para a câmera é fundamental para alinhar e ajustar os materiais produzidos em ambas às ferramentas. O PFTrack é um software famoso para esse propósito, mas poderíamos muito bem usar o Voodoo câmera tracking para o projeto também.

Ainda lembro-me do meu projeto de graduação, que naquela época há quase dez anos atrás ainda foi apresentado unicamente em painéis impressos e sem a possibilidade de projetor. Hoje em dia o projeto seria bem diferente em termos de apresentação!