Tutoriais gratuitos sobre Cinema 4D para modelagem e animação

Com o mercado de softwares sobre computação gráfica cada vez mais polarizado, entre a Autodesk e o “resto”, é cada vez mais importante conseguir uma base sólida e fiel de usuários, para sobreviver. Uma das maneiras de conseguir usuários é manter um bom programa de treinamentos e tutoriais, para sempre oferecer mais que apenas suporte por documentação na internet. Entre essas empresas a Maxon que é a responsável pelo Cinema 4D, é uma das mais atuantes nesse segmento. A empresa organizou um web site chamado Cinevertity, que oferece treinamentos e tutoriais em vídeo para artistas interessados em aprender Cinema 4D, ou simplesmente se manter atualizado em relação as mais novas tecnologias de computação gráfica 3D.

tutoriais-cinema-4d

O funcionamento do Cineversity é semelhante ao que acontece com o Autodesk Area, em que vários artistas convidados da Maxon podem publicar tutoriais em vídeo sobre o uso do Cinema 4D e suas ferramentas.

Existem duas maneiras de usar o sistema, que é fazer uma conta gratuita para ter acesso a uma boa parte dos tutoriais em vídeo, e também existe uma área restrita que só pode ser acessada mediante assinatura. Pelo que pude apurar em fóruns e falando com outros usuários, os tutoriais para os assinantes são melhores que o material gratuito, mas isso não tira o mérito e a qualidade do material.

Esses são alguns dos tópicos abordados em tutoriais, tanto gratuitos como pagos:

  • Animação de personagens
  • Modelagem 3d para arquitetura
  • Tutoriais básicos sobre 3d e computação gráfica
  • Características da iluminação em ambientes 3d

Mesmo sendo voltado para uso do Cinema 4D, recomendo uma visita ao web site, pois alguns dos tutoriais disponíveis lá tem aplicação direta em outras ferramentas 3d, como as que abordam conceitos básicos de animação 3d e configuração de personagens.

Caso você não conheça o Cinema 4D, mas gostaria de conferir alguns dos trabalhos realizados com ele em 2008, a Maxon já publicou no seu web site o Demo Reel do Cinema 4D para 2008, o arquivo apresenta alguns trabalhos fantásticos e serve como referência para mostrar o poder do software. O arquivo está no formato MOV e tem aproximadamente 80 MB.

Qual a melhor ferramenta para modelar, texturizar e iluminar em 3d?

Caso você acompanhe o Blog há algum tempo, deve saber a minha resposta para essa complicada pergunta feita no título do artigo; qual a melhor ferramenta para trabalhar em 3d? Antes de tentar responder essa pergunta, sugiro uma visita a um texto publicado por um usuário nos fóruns do CG Talk. Ele publicou uma comparação fantástica entre várias ferramentas 3d entre elas Maya, 3ds Max, Lightwave, Cinema 4D e Softimage XSI. Nessa comparação foi usada uma mesma cena em que artistas diferentes deveriam tentar chegar a resultados semelhantes. Qual a cena usada? Lembra do tutorial de renderização que Maya e Mental Ray que indiquei na semana passada? Bem, foi essa a cena usada para os testes.

Veja um exemplo do teste, com imagens renderizadas no Maya e depois no Softimage XSI:

Os exemplos mostrados na comparação som fantásticos, mas para fins de avaliação de ferramenta eles não condizem com a realidade. Qual o motivo? Antes de qualquer coisa, cada imagem foi elaborada a configurada por artistas diferentes. Só isso já faz o teste perder credibilidade.

Na verdade, o objetivo dessas imagens foi divulgar um livro eletrônico sobre iluminação. Mas acho que o resultado acabou sendo negativo. Depois de ler as mensagens dos usuários no CG Talk sobre os testes e da análise detalhada das imagens, fica visível que na maioria das vezes o artista responsável pela renderização no Maya, conhece mais da ferramenta e das configurações do Mental Ray.

Outra coisa que não fica clara no teste; qual foi o tempo de render para cada imagem? Qual foi o renderizador usado nos testes? No caso do Maya é visível que o renderizador usado foi o Mental Ray, se você tem dúvidas visite o link que indiquei no início do artigo.

Mesmo sendo um fracasso, é interessante acompanhar esse tipo de comparação, já que é muito difícil esse tipo de coisa acontecer, uma mesma cena ser apresentada em diferentes renderizadores e com artistas diferentes como autores. O ideal mesmo é que esse tipo de teste fosse feito pela mesma pessoa, com o mesmo renderizador, ou ao menos com conhecimentos semelhantes em todas as ferramentas.

Qual a moral da história? A melhor ferramenta 3d é aquela que satisfaz todas as suas necessidades, independente de quem é o desenvolvedor ou da fama dos seus trabalhos.

União entre YafRay e LuxRender?

O YafRay não conseguiu ter nenhum dos seus projetos aprovados pelo SoC 2008, sendo assim podemos esperar mais algum tempo até termos novidades sobre o projeto. Ao menos era isso que eu esperava, mas uma discussão nos fóruns do YafRay trouxe um pouco mais de ânimo aos usuários do Blender, que querem usar um renderizador externo. O tema da discussão? Uma possível união entre os projetos do YafRay e do LuxRender. Caso você não esteja lembrado, o LuxRender é um renderizador que funciona no mesmo sistema do Indigo Render e Maxwell Render, gerando suas imagens com cálculos embasados em física real, a diferença é que o LuxRender é gratuito.

Blender 3D e LuxRender

Autor da imagem: Radiance

Na verdade, a proposta para a união dos projetos partiu do principal desenvolvedor do LuxRender, um artista/desenvolvedor chamado Radiance que está fazendo a proposta a equipe do YafRay. No geral a proposta pode parecer tentadora para a maioria dos usuários do Blender, até porque isso resultaria em mais pessoas trabalhando em conjunto em apenas um renderizador de código aberto.

Quem visitar o link que eu indiquei no início do artigo, vai perceber que a proposta não foi muito bem aceita, ao menos por um dos usuários mais experientes do YafRay. Infelizmente nenhum dos desenvolvedores atuais respondeu ao tópico, mas eles ficaram de marcar uma pequena reunião pelo IRC, para discutir as propostas.

Mesmo que você não seja usuário do YafRay ou LuxRender, a discussão entre o Radiance e o Samo é muito rica em detalhes e no funcionamento dos dois renderizadores. Quem está trabalhando em artigos científicos ou monografias que envolvem a teoria de renderização, pode encontrar ajuda no que se refere aos principais conceitos que envolvem a criação de imagens com ambas as ferramentas.

Outro ponto importante, ambos os representantes do YafRay e LuxRender concordam que a integração com o Blender 3D é uma prioridade para ambos os projetos e que os desenvolvedores do Blender, precisam finalizar a esperada API de renderização. Assim será possível lançar o tão esperado YafRay 0.1.0 baseado no YafaRay e integrar melhor essas ferramentas ao Blender.

Por falar em Blender, sei que isso não tem relação direta com os assuntos abordados, mas existe um for rumor sobre o lançamento do Blender 2.46 RC3 amanhã e se tudo der certo a versão do Blender 2.46 pode sair ainda essa semana. Essa informação é de fonte extremamente confiável!

9 maneiras de melhorar as suas renderizações com Mental Ray

Ontem publiquei um artigo em que comentava sobre configurações padronizadas para o V-Ray. Apesar de ser um dos mais utilizados renderizadores para o 3ds Max, muita gente acaba ficando mesmo com o Mental Ray, para não precisar comprar uma licença extra para trabalhar. Foi pensando nesses artistas que usam o Mental Ray que resolvi escrever esse artigo, falando sobre técnicas e configurações para configurar o Mental Ray, basicamente no 3ds Max.

Em um dos vários fóruns de usuários e artistas que usam 3ds Max, um usuário do Mental Ray chamado Jelmer, publicou um excelente guia sobre como configurar o Mental Ray. Ele é de certa forma equivalente ao que o Vlado escreveu para o V-Ray.

Soft Shadows

Na maior parte do texto o artista passa dicas sobre como ele configura as suas cenas com o Mental Ray, mas algumas dessas dicas são interessantes e úteis para qualquer artista, mesmo que não use o Mental Ray.

A primeira coisa que ele recomenda e que reitero, mantenha as cenas simples. Não adicione luzes desnecessárias, geralmente 2 ou 3 luzes são suficientes para iluminar uma cena simples. Outra dica interessante, ele recomenda que na configuração da cena, você deve em algum momento alterar as cores da luzes, para que elas fiquem com tonalidades únicas. Assim fica mais fácil identificar as luzes que precisam de ajustes.

Veja uma pequena lista dos assuntos abordados no artigo:

  • Mantenha a cena simples
  • Final Gather e Iluminação global
  • Adicione cor
  • Deixe as sombras suavizadas
  • Não se esqueça de suavizar as luzes também
  • Perfeição não combina com realismo
  • Deixe as arestas dos objetos chamfradas
  • Enquadre os objetos de maneira correta com a câmera
  • Use o DoF da câmera para adicionar realismo

Cada um desses tópicos é explicado em detalhes e com dicas de como atingir bons resultados. Repare que são dicas genéricas, que podem muito bem ser reproduzidas em qualquer software como Blender 3D, Maya ou outro.

Se você quer começar a melhorar as suas cenas pelos modelos 3d, leia atentamente o tópico “Deixe as arestas dos objetos chamfradas”. Eu tomei a liberdade de traduzir, e adaptar um pouco, os títulos mas acredito que você não deve ter dificuldades para entender as orientações passadas pelo autor do artigo.

Agora é só colocar em prática as orientações, para criar cenas cada vez melhores!

Bibliotecas de arquivos HDR gratuitos para download

O que é um arquivo com extensão HDR? Para quem nunca teve oportunidade de trabalhar com arquivos dessa natureza, podemos definir ele como uma imagem que consegue armazenar informações sobre a iluminação de um ambiente ou cenário. Por exemplo, para reproduzir a iluminação de uma sala, com o máximo de fidelidade, podemos usar um equipamento especial, para tirar uma foto do ambiente e nessa foto armazenar as informações de luz. Com isso, podemos usar técnicas e ferramentas nos softwares 3d, para gerar a iluminação de cenários virtuais com essas imagens HDR. Algumas pessoas costumam chamam essas cenas iluminadas com mapas HDR, como sendo a base para o hiper-realismo.

Essa é uma ótima opção, para iluminar um ambiente ou cenário com o máximo de realismo. O problema é que a maioria dos mapas HDR, com qualidade é pago. Caso você não tenha condições financeiras de comprar um deles, como as famosas bibliotecas do Dosch Studio, o resultado é aproveitar as imagens do Debevec, autor do famoso HDR Shop, software para editar e criar mapas HDR.

Para ajudar as pessoas interessadas em utilizar esse tipo de recurso, seja no Blender 3d, 3ds Max ou Maya, compilei uma pequena lista, com locais e bibliotecas gratuitas de mapas HDR.

Imagens HDR

Lembre que alguns dos arquivos disponibilizados nessas bibliotecas, por serem gratuitos estão com baixa resolução.

A primeira biblioteca é de um artista chamado smashmethod, que disponibilizou o material em duas páginas no deviantart. A quantidade de mapas HDR disponibilizados até que é impressionante! Para visitar as coleções de mapas HDR, visite os seguintes endereços:

Outra biblioteca com grande quantidade de imagens:

Só um detalhe, não tente abrir esse tipo de imagem no photoshop ou outro editor de imagens tradicional. Esses mapas são para uso em ferramentas 3d, seja ele o 3ds Max, Maya ou Blender. Por sinal, para usar esse tipo de imagem com o Blender você precisará do YafRay.

Só mais um detalhe, talvez o seu render fique um pouco mais lento com o uso dessas imagens, mas geralmente a qualidade da iluminação resultante, vale o sacrifício.