Compartilhe o artigo!

O curso de animação baseada em física com Blender recebeu uma atualização que não estava programada dentro do cronograma do curso, mas que deve agradar a todos que estão inscritos no curso. Um dos novos recursos do futuro Blender 2.64 será o Add-on chamado de Cell Fracture. Com essa nova ferramenta podemos criar dentro do Blender simulações que misturam o uso de Rigid Bodies com a fragmentação de objetos. O resultado é que podemos construir animações que representam de maneira interessante a dinâmica de destruição de um objeto em 3d.

O vídeo abaixo mostra um exemplo do uso do Cell Fracture nas versões de teste do Blender 2.64, e que consequentemente é a versão indicada para uso na aula 07 do curso de animação baseada em física com Blender.

Essa é uma das vantagens de produzir o curso usando a metodologia de EAD, pois depois de estudar e aprender o funcionamento do Blender 2.64 e do Cell Fracture, percebi que o recurso se encaixa perfeitamente dentro dos objetivos do curso de animação baseada em física. Por isso, o curso que estava originalmente programado para ter 7 aulas, agora ganhou uma aula extra, pois a última será a 8!

Nessa aula você aprende a trabalhar com os seguintes recursos do Add-on:

  • Fragmentação de objetos
  • Configurando a quantidade de fragmentos
  • Adicionando fatores aleatórios na fragmentação
  • Uso de fragmentação recursiva
  • Configuração de materiais nos fragmentos (Internos e externos)

Caso você esteja inscrito no curso, basta visitar o EAD – Allan Brito e depois de fazer o seu login, visite o curso de animação baseada em física para ter acesso ao material da aula 07. Mesmo que você não esteja no curso, e queira testar o Blender 2.64 para usar o Cell Fracture, visite esse endereço para fazer o download da versão de testes que já pode ser usada. Só recomendo cuidado no uso dessa versão, pois ela ainda não está suficientemente estável para ambientes de produção.

A flexibilidade de atualizar o material do curso dessa maneira, é que me faz continuar apostando no uso do formato de vídeos online para o curso. Se o material fosse distribuído em DVD, seriam praticamente impossível oferecer essas novidades para todas as pessoas que estavam inscritas nos cursos.