Recurso experimental no Maya para ajudar em animação 3D

A pesquisa por novas ferramentas e técnicas para animação e computação gráfica 3d é algo muito comum para usuários do Blender, pois estamos sempre presenciando a aplicação de pesquisas e novas técnicas no software que eventualmente resultam em novas ferramentas. No caso de softwares comerciais esse tipo de pesquisa é mais restrita e fica a cargo apenas de pessoas escolhidas para fazer parte da fase beta fechada, antes que uma versão estável seja disponibilizada. Essa é a situação de softwares de Autodesk, em que vemos pouca coisa relacionada com pesquisa para o 3ds max, Maya ou Softimage. Mas, para quebrar um pouco a tradição a Autodesk publicou um vídeo mostrando o Maya integrado com a possibilidade de ajustar animações diretamente na Viewport de maneira bem diferente.

O vídeo abaixo mostra o recurso em aplicação e funcionamento com o uso de animação bem simples:

Você percebeu o que aconteceu?

Caso não tenha ficado claro o que aconteceu, perceba que a animação aproveitando o que parece um caminho para trajetória, permite que o animador ajuste a distância dos keyframes diretamente sobre o caminho. Os pequenos pontos que estão dispostos sobre a curva são os keyframes da animação, e quando o usuário altera a distância entre esses quadros o resultado é que o movimento do objeto acaba sofrendo pequenas alterações.

A grande vantagem desse tipo de sistema é que não precisamos abrir outras janelas como o editor de curvas ou o dopesheet para fazer o ajuste no tempo da animação, podendo aproveitar a própria curva de trajetória para fazer modificações no tempo da animação. A idéia é muito interessante e pode servir de base para outras ferramentas futuras. A própria Autodesk deixa bem claro que o vídeo é apenas uma demonstração de projetos de pesquisa no Maya, e que pode muito bem não ser lançado em versões futuras do software.

Seria fantástico poder aproveitar esse tipo de recurso e editar o timinig da animação diretamente na Viewport, sem a necessidade de trabalhar com duas ou três janelas ao mesmo tempo apenas para posicionar e escalonar keyframes. Sempre que preciso editar animações acabo ficando com o Dopesheet e o editor de curvas abertos junto da Viewport para poder fazer ajustes rápidos em objetos, e com essa ferramenta poderia até quem sabe trabalhar só na Viewport.

AutoCAD 2011 para Mac OS X em Beta

Os rumores sobre uma versão do AutoCAD que estaria sendo desenvolvida para a plataforma Mac parecem que agora começam a tomar mais forma e veracidade. Até alguns dias atrás esse tipo de notícia era baseada em pistas reunidas por usuários do AutoCAD que perceberam mudanças e ajustes no comportamento da Autodesk, como comento nesse artigo sobre o AutoCAD 2011 para Mac OS X. Coisas como a existência de um sistema de ajuda baseado em documentos web e não mais o famoso chm, que é acessível apenas em Windows. Isso mostraria que essa versão do AutoCAD teria um sistema de ajuda universal, como já faz a Adobe.

Era apenas um rumor, quando um web site especializado em Mac da Itália publicou que teve acesso a informações entre beta testers da Autodesk, que o software já estava sendo testado. O próprio web site conseguiu imagens do software rodando no Os X e que depois acabou se transformando em vídeo! O vídeo abaixo mostra um pouco do AutoCAD 2011 Beta rodando nativamente em Mac OS X:

Como é possível perceber pelo material, o software como um todo ainda está muito simplificado e não deve ser lançado comercialmente nem tão cedo. Até mesmo a interface Ribbon característica do AutoCAD desde a versão 2009, ainda não está presente. Outro ponto interessante são os painéis flutuantes, lembrando muito o sistema de janelas usado pelo GIMP.

Quando a veracidade do vídeo, até agora a Autodesk não se pronunciou ou comentou o caso, mas se o vídeo for confirmado, será uma excelente notícia para os fãs do AutoCAD que não migram para a plataforma da Apple, pela inexistência do software para o OS X. Mesmo com diversas opções mais poderosas e direcionadas para arquitetura no Mac, como o VectorWorks e o ArchiCAD, muita gente ainda se sente confortável desenvolvendo seus projetos no AutoCAD.

Agora é só aguardar até que a Autodesk se pronuncie e confirme o desenvolvimento de uma versão do AutoCAD 2011 para o Mac OS X. Por enquanto, AutoCAD no Mac só rodando com o VM Ware Fusion ou Parallels, que não é a melhor solução em termos de performance, mas resolve.

AutoCAD 2011

A Autodesk está começando a fazer a divulgação em massa da sua linha de produtos atualizada para as versões 2011, assim como já comentei aqui no blog quando anunciei o lançamento do 3ds Max 2011. Agora chegou a vez dos softwares especializados em desenho técnico, como é o caso do famoso AutoCAD 2011. Essa é uma ferramenta muito especial para o nosso mercado local, pois é de longe a mais usada em todos os escritórios de arquitetura e engenharia. Ainda conheço pessoas que resistem em migrar para metodologias mais modernas e eficientes, como o BIM, pois estão muito enraizadas no uso do AutoCAD.

Qual a razão disso? Nos cursos de graduação que tem algum tipo de cadeira técnica, os professores acabam indicando para os alunos o AutoCAD como sendo a melhor opção para criar desenhos técnicos, recomendando que seus alunos realizem cursos dos mesmos. O resultado é uma leva enorme de profissionais e estudantes que só sabe trabalhar no AutoCAD.

Bem, mas quais as novidades do AutoCAD 2011? Para explicar e apresentar as novidades do AutoCAD 2011, a Autodesk publicou no seu web site uma excelente tabela comparativa de recursos entre o AutoCAD 2010 e o AutoCAD 2011.

Pela tabela podemos perceber que muito do que foi anunciado no AutoCAD 2010 como sendo novidade foi aprimorado e expandido nessa nova versão. Entre as novidades listadas na tabela está a inclusão de novas opções para modelagem 3d, como o suporte a:

  • Surface Modeling
  • Surface Analysis
  • Point Cloud Support
  • Materials Library
  • Introductory 3D Workspace

Essas ferramentas permitem crias superfícies mais complexas, analisar a continuidade entre planos diferentes, selecionar materiais pré-definidos e interfaces otimizadas para tarefas diferentes de modelagem 3d.

Os outros recursos que são relacionados ao desenho de forma geral são:

  • Transparência de Layers, objetos e blocos
  • Manipulação aprimorada de hachurias
  • Criação e seleção de objetos com base em objetos similares
  • Controle individual de visualização para objetos em diferentes Layers
  • Melhor acionamento de Constratins na criação de objetos
  • Suporte ao formato FBX para importar e exportar objetos

Com essa pequena lista de recursos já é possível ter uma idéia de como será o AutoCAD 2011, quando as primeiras imagens e tutoriais em vídeo aparecerem na internet. Para saber mais sobre o lançamento, visite o web site da Autodesk e a página do AutoCAD 2011.

Autodesk 3ds Max 2011

A Autodesk anunciou no final da tarde para o público o lançamento da versão 2011 da maioria dos seus softwares e ferramentas para modelagem 3d e animação, estando entre a lista de atualizações o 3ds Max 2011. Essa versão já apareceu aqui no blog diversas vezes sob os estudos do projeto excalibur. Mas, ainda não foi dessa vez que o 3ds Max sofreu uma reformulação completa na sua interface como foi proposto anteriormente. O anuncio da Autodesk não apresentou a lista completa de recursos do 3ds Max 2011, mas o que já foi anunciado é bem animador e apresenta algumas ferramentas interessantes para os profissionais e usuários do 3ds Max.

A lista completa de novidades do 3ds Max 2011 pode ser conferida nesse link.

Mas, o que melhorou? Quais as novas ferramentas?

Com base na lista disponível no web site da Autodesk, compilei os recursos que mais se destacam:

  • Slate – Materiais usando nós: A maioria dos softwares de edição 3d já contava com opções para criar materiais com base em nós. Agora o 3ds Max 2011 tem o slate, que é um sistema de nós especializado em materiais. Pelo que pude perceber nos vídeos de demonstração, ele não é tão poderoso como o Softimage ICE, mas representa um grande avanço na criação de materiais no 3ds Max.
  • Quicksilver – Render por GPU: Esse sistema de renderização promete utilizar o poder das GPUs para acelerar o render na viewport do 3ds Max 2011. Com isso os artistas podem visualizar imagens e cenas de maneira mais realista, sem a necessidade de fazer renders de teste.
  • Edição colaborativa: Novas ferramentas permitem realizar mudanças em modelos 3d com base em camadas, fazendo com que o trabalho em equipe possa ser realizado de maneira mais eficiente até mesmo em partes diferentes do mesmo modelo 3d.
  • Ferramenta completa de composição 3d: Agora é possível fazer boa parte da composição 3d direto no 3ds Max.
  • Integração com o CAT: O sistema de animação que foi adquirido com a Softimage, agora faz parte do 3ds Max 2011. Isso encerra o legado do Character Studio que foi durante muitos anos a ferramenta de animação de personagens integrada ao 3ds Max.
  • Salvar projetos na versão 2010: Esse é um recurso desejado por artistas do 3ds Max já faz um bom tempo! A possibilidade de salvar projetos em formatos de arquivos anteriores. Agora podemos criar um projeto no 3ds Max 2011 e caso seja necessário o mesmo projeto pode ser salvo como um arquivo MAX do 3ds Max 2010.

Essa é apenas uma lista preliminar de recursos do 3ds Max 2011, com mais material sendo lançado quando a versão completa do software começar a ser comercializada no final desse mês.