Como usar a VRay Sun no 3ds max?

Os artistas que trabalham com visualização de projetos ou design de cenários sempre precisam representar ambientes externos, pois a maioria desses projetos é ambientado a céu aberto. Isso acaba gerando uma grande demanda por informações sobre a simulação de iluminação baseada apenas na luz solar, que é bem fácil de identificar, principalmente quando ministro alguma aula sobre visualização de projetos. Para criar esse tipo de iluminação existem várias técnicas que vão desde o uso de estruturas semelhantes a anéis que circundam uma edificação, e uma luz mais intensa que simula o sol. Esse tipo de configuração pode ser conferida nesse tutorial que utiliza o 3ds max como referência.

Ainda podemos aproveitar as ferramentas de iluminação de renderizadores como o V-Ray que dispõe de uma luz própria para simular o sol, que nesse caso é a VRay Sun. Esse tipo de luz já apresenta os parâmetros e opções necessárias para gerar de maneira extremamente simplificada a iluminação e efeitos necessários para criar o sol virtual.

Apesar de ter citado a demanda por render externo, é nas vistas internas que as pessoas realmente ficam perdidas e confusas na configuração dos seus projetos. É nesse ponto que o V-Ray pode ajudar e facilitar a configuração usando a VRay Sun.

Se você nunca teve a oportunidade de usar o V-Ray com o 3ds max e gerar uma cena iluminada com a VRay Sun para cenas internas, o tutorial abaixo pode ser de grande ajuda. No vídeo, o autor aproveita os recursos do V-Ray para iluminar uma cena que apresenta um modelo simples, composto apenas por elementos geométricos com deformações básicas, apenas para compor o cenário. O cubo inicial acaba se transformando em um pequeno quarto com uma janela.

Com o modelo 3d criado e a cena preparada, basta adicionar a fonte de luz e preparar tanto os materiais como os parâmetros do V-Ray. Nesse caso, a parte mais trabalhosa de todo o processo é o painel de configuração do V-Ray, que pode ser bem desafiador para usuários iniciantes. Por isso, se você nunca usou o V-Ray, pode seguir os mesmos passos realizados pelo autor do vídeo, para conseguir um resultado semelhante em ambientes internos. Os únicos ajustes que podem ser necessários nos parâmetros do render, são relacionados com alterações na escala do cenário.

A iluminação de cenários dificilmente é algo que segue um padrão que possa ser repetido nas mais variadas cenas e ambientes, mas é sempre bom ter alguma referência para começar.

Lançado o VRayPattern para gerar modelos com tiling

Uma das principais técnicas para gerar grandes superfícies 3d é com o uso do chamado tiling em que blocos especialmente preparados são distribuindo, usando linhas e colunas para copiar várias vezes esse objeto ou textura para gerar grandes superfícies. Antes do advento de técnicas como o mapeamento UV e pintura de texturas, esse era o procedimento principal para criar esse tipo de área. Quando o assunto é modelagem 3d, o uso de tiling está associado a ferramentas como o Array para distribuir blocos e gerar objetos mais complexos. Mas, será que poderíamos melhorar essa técnica?

Já faz algumas semanas que comentei aqui no blog sobre o VRayPattern, um tipo de plugin para o 3dsmax e o VRay para gerar modelos 3d com base em técnicas avançadas de tiling. Como funciona esse plugin? Como ele pode ajudar na modelagem 3d? Imagine a possibilidade de criar pequenos blocos como paredes, janelas e outros detalhes e distribuir esses elementos de maneira a conseguir criar uma edificação completa usando apenas tiling. Essa é a promessa do VRayPattern, e tudo com uma demanda bem pequena na memória e processamento do computador.

A imagem abaixo é um excelente exemplo do que o VRayPattern consegue fazer em termos de modelagem, pois usando os pequenos blocos demonstrados na imagem é possível gerar o modelo 3d que está no fundo.

Nesse caso o processo de modelagem 3d fica muito mais rápido e dinâmico, pois assim é necessário gerar apenas os moldes necessários para reprodução. Ainda não existem vídeos de demonstração sobre a ferramenta, mas no link disponível no início desse artigo é possível fazer o download do manual completo do VRayPattern em PDF que apresenta todo o procedimento para configurar o software. Por enquanto, apenas os usuários do 3dsmax podem aproveitar o plugin. A criação de superfícies baseadas em repetição e com superfícies curvas é um dos destaques da ferramenta.

Apesar de não ser gratuito, para alguns projetos de modelagem ou processos que permitam o uso de tiling, essa pode ser a diferença entre a conclusão de um modelo no prazo determinado, ou então fazer sobrar tempo para conseguir adicionar detalhes extras ou caprichar na renderização.

Tutorial 3dsmax e VRay para exteriores

O uso de renderizadores externos e softwares que ajudam a acelerar o processo de representação de projetos é bem comum em arquitetura, principalmente quando o software usado para esse tipo de trabalho é o 3dsmax. Entre os profissionais dessa área é quase uma unanimidade a adoção do VRay como ferramenta de render, devido a facilidade, qualidade e principalmente a qualidade do render obtido no 3dsmax. Mesmo para usuários iniciantes o VRay se mostra bem amigável, com o uso de alguns procedimentos básicos é possível conseguitos resultados satisfatórios, sem o conhecimento profundo das configurações do software.

Ainda acredito que para o trabalho mais profissional, o ideal é entender o funcionamento e parâmetros da ferramenta para conseguir bons resultados, mas isso não se aplica a usuários iniciantes que precisam de resultados de qualidade em pouco tempo. Se você está nessa situação, encontrei um tutorial que pode ser de grande ajuda.

O CG Digest publicou em setembro um pequeno guia sobre como configurar uma cena com iluminação para exteriores no VRay com a descrição sobre como criar uma cena parecida com a da imagem abaixo:

vray-exterior.jpg

Nesse tutorial você vai aprender a:

  • Utilizar o chamado “Linear Workflow” para corrigir as cores e texturas na imagem;
  • Criar uma câmera física do VRay para visualização;
  • Utilizar um VRay Sun para gerar a iluminação que simula a luz do sol;

Depois de adicionar a câmera e o ponto de luz, e tomar cuidado para fazer o ajuste na importação dos elementos para o seu projeto, basta seguir a descrição dos parâmetros existentes no tutorial. O resultado final é bem satisfatório e deve se encaixar na maioria dos projetos. É sempre interessante lembrar que nessa área não existe método que se encaixe totalmente em todos os projetos, pois sempre existem particularidades na escala e também posição da câmera.

Ainda lembre de um esquema de iluminação em anéis que usada muito no 3dsmax, quando não existiam opções de plugins para render como o mental ray. Inclusive tem uma descrição desse tutorial nesse endereço, usando apenas Omnis para iluminação em arquitetura.

O importante é entender o procedimento e conseguir fazer ajustes que se enquadrem no seu projeto. Assim você não fica dependente de nenhum render ou método.

Tutoriais sobre SketchUp e VRay para arquitetura

O SketchUp apresenta uma interface e metodologia extremamente amigável na parte de modelagem, mas oferece poucos recursos para renderização embutidos no próprios software. Entre as soluções comerciais mais usadas para a ferramenta estão o SU Podium e o Vray. Ambos os softwares diferem muito na parte de configuração e ajustes para cada cena, sendo o Podium o mais usado por usuários que gostam de simplicidade e rapidez, sem perder a qualidade. Mas, para conseguir qualidade máxima nas renderizações é necessário partir para soluções como o Vray, Indigo ou mesmo Maxwell Render.

Como parte do desafio em trabalhar com o SketchUp e VRay está o domínio da enorme quantidade de parâmetros e recursos do software, que mesmo sendo um pouco menor em relação ao encontrado no 3dsmax, ainda é significativamente mais extenso que a maioria dos renderizadores. Para ajudar nesse processo, encontrei um vídeo muito interessante que apresenta três dicas para melhorar a renderização no SketchUp e VRay. O material foi produzido pela asgvis, empresa responsável pelo porte do VRay para o SketchUp e diversos softwares.

A primeira dica envolve o uso de parâmetros do Image Sampler do VRay para reduzir a quantidade de manchas e defeitos em renderizações que aparecem quando os materiais apresentam reflexões borradas. A escolha do método usado para o Image Sampler pode ajudar de maneira significativa no processo de eliminação desse tipo de defeito na imagem.

Na segunda parte do vídeo o autor explica a importância do parâmetro Samples existente no painel Irradiance Cache, em que é possível controlar as chamadas sombras de contato dos objetos. O objetivo dessas sombras é realçar o efeito de que os objetos estão sobre uma superfície e não flutuando no espaço. Com o uso do parâmetro Samples é possível fazer com que esses objetos tenham menos ou mais sombras.

Para finalizar o conjunto de dicas o autor do vídeo explica como fazer para adicionar uma cor na reflexão de objetos com o editor de materiais. O processo é bem simples e envolve apenas o uso do parâmetro Filter do editor de materiais para atribuir uma cor as reflexões criadas com o VRay. Isso pode ajudar muito em projetos de design para interiores, ajudando a condicionar a maneira com que as cores são refletidas no material.

Com isso os usuários do SketchUp que renderizam projetos no VRay podem aprender a melhorar seus projetos ainda mais.

Opção de render interativo para o SketchUp

A crescente oferta de renderizadores e softwares baseados em GPU pode deixar qualquer pessoa insegura sobre quais opções escolher para seu projeto. Apenas alguns meses atrás tínhamos poucas opções disponíveis, deixando a escolha relativamente simples. Depois que os primeiros renderizadores baseados em GPU apareceram, uma verdadeira leva de produtos com boa qualidade apareceu no mercado. Uma dessas opções foi anunciada como um beta gratuito para o SketchUp chamado de Shaderlight, prometendo opções para animar e manipular objetos de maneira interativa.

A promessa do render é bem parecida com o que vemos na maioria dos softwares baseados em GPU, em que a cena é editada e renderizada em tempo real, usando janelas separadas para finalização da cena. Um vídeo com o render em ação foi divulgado e mostra muito bem o funcionamento da ferramenta, que segue o mesmo padrão da maioria dos renderizadores e softwares que funcionam no SketchUp que é a simplicidade.

Como podemos perceber pelo vídeo, a velocidade com que as imagens são renderizadas é relativamente alta e de acordo com web site do desenvolvedor do render as configurações usadas no vídeo são bem modestas. Assim como o posicionamento dos objetos na cena, os materiais e ajustes em shaders e outras configurações são todos atualizados de maneira automática pelo render.

O padrão dos softwares que são executados junto com o SketchUp, a que me referi anteriormente, é a simplicidade com que tudo é abordado e criado dentro do SketchUp. Para entender esse tipo de conceito, basta comparar softwares como o próprio Vray sendo executado dentro do 3dsmax e do SketchUp. Dentro do 3dsmax existem inúmeras opções extras de controle da cena e materiais que não existem para o SketchUp. O mesmo conceito se aplica ao Shaderlight.

Como você já deve ter percebido, esse render provavelmente terá apenas uma versão paga quando for lançado e apenas agora na sua fase de testes é que foi disponibilizada uma opção funcional e gratuita do software. Mas, para os que gostam de testar novos softwares e técnicas de visualização, vale a pena fazer o download e brincar com as cenas do SketchUp em tempo real. O render é bem rápido e leve, mesmo rodando em sistemas virtualizados com Windows. Por enquanto, ainda não há opção do software para Mac OS X.