Tutorial de composição para vídeo com o Apple Motion

Sempre que falo sobre composição em vídeo aqui no Blog, uso o After Effects da Adobe como referência, por ele ser a ferramenta mais usada no nosso mercado para esse propósito. Mas, esse tipo de referência estaria errada em mercados como o americano, em que o After Effects não é nem de longe a ferramenta de composição em vídeo mais usada. O que acontece aqui é o predomínio de PC's em que o After Effects é o mais conhecido, até pelo fato da Adobe ter representantes para vendas aqui no Brasil, facilitando o acesso ao After.

Quais as outras opções para fazer efeitos e composição em vídeo? Existem várias, sendo quem uma das opções que melhor trabalham em plataformas diferentes do PC é o Motion da Apple, que funciona muito bem com o Final Cut. Na verdade o Motion faz parte de um pacote da Apple chamado Final Cut Studio, que disponibiliza várias ferramentas para autorar DVDs, editar áudio e criar efeitos especiais em 3d.

O Motion é a solução para criar animações 2d e 3d para usar no Final Cut e ilustrar produções em vídeo de todas as escalas.

Quer aprender um pouco como ele funciona? O tutorial abaixo mostra um truque bem comum no Motion, usando máscaras e efeitos em perspectiva, para trabalhar com vídeos.

O autor do tutorial nos apresenta algumas ferramentas de edição do Motion encontradas no After Effects, como o controle de camadas, timeline e opções de desenho para elaborar formas e máscaras no vídeo.

O efeito que ele mostra consiste na criação de duas camadas com o mesmo vídeo, em que na camada superior, um efeito de repetição do vídeo semelhante a um Array e a distorção do plano em forma de perspectiva, permite simular uma parede de imagens. Nessa parede, uma máscara desenhada sobre a posição do vídeo na parte inferior, faz com que um buraco apareça na parte central do vídeo.

Esse é apenas um exemplo do que é possível fazer com o Motion. A Apple praticamente tirou a Adobe do mercado de edição de vídeos para Mac, com essas e outras ferramentas muito poderosas e incrivelmente fáceis de usar.

Para quem quiser conhecer, a ferramenta mais poderosa de composição da Apple é o Shake. A maioria das grandes produções que assistimos nos cinemas é finalizada com essa ferramenta.

Compressão de vídeo digital usando Final Cut e Compressor

Por muito tempo, usei o Adobe Premiere para fazer os meus trabalhos de edição de vídeoe até mesmo ministrei aulas sobre motagem e edição com ele por um tempo também. Depois que tive a oportunidade de usar o Final Cut da Apple para fazer alguns trabalhos em um estúdio, durante um semestre, devo dizer que não queria mais saber do Premiere para fazer edição. Além do Final Cut ser “igual” ao Premiere, ou como costumo dizer para os meus alunos “a cara cuspida dele”, ficou fácil começar a usar a ferramenta mesmo sem nunca ter aberto o software aterioremente.

Uma das coisas que me impressionou no Final Cut Studio, que estava disponível no estúdio era uma ferramenta chamada compressor, que finciona como um módulo do Final Cut. O que ele faz? Como o próprio nome diz, a ferramenta é especializada em compressão de vídeo e para isso ele é muito bom! Tem configurações prontas para comprimir vídeo para DVD e H264, de maneira rápida e fácil.

Quer saber como ele funciona? Esse tutorial em vídeo que mostra o processo de edição básica de um vídeo no Final Cut e a posterior compressão do mesmo no Compressor, para o formato de DVD.


Using compressor for mpeg2 compression from ske on Vimeo.

Repare no vídeo que o autor faz duas marcações que uma ferramenta idêntica a uma existente no Premiere, até a tecla de atalho é a mesma.

Depois que o vídeo está devidamente marcado ele aciona o Compressor de um menu do próprio Final Cut. As opções do Compressor são muito simples, quem não quiser fazer configurações complexas conta com uma enorme lista de configurações prontas, para DVD e outros tipos de vídeo. Você precisa apenas escolher o formato, clicar e arrastar as configurações sobre a trilha de vídeo.

Após um curto tempo de processamento o vídeo está finalizado, com um arquivo para o vídeo em MPEG2 (M2V) e outro para o áudio (AC3), pronto para autoração do DVD.

Esse é apenas um exemplo do que é possível fazer com o Compressor. Já conversei com alguns editores de vídeo iniciantes, que não sabiam que o Final Cut Studio acompanhava esse tipo de ferramenta. Bem, agora você já sabe.

O Premiere CS3 está disponível para Mac OS hoje em dia, mas conheço poucos estúdios e profissionais que migraram do Final Cut para o software da Adobe. Se você está pensando em trabalhar exclusivamente com vídeo, recomendo um teste com as ferramentas da Apple, que são muito boas. Depois do teste você pode fazer melhor a sua escolha.