Exemplo de configuração para estúdio no 3ds Max

Já mencionei várias vezes aqui no site que uma das melhores técnicas de iluminação para apresentar objetos é a chamada configuração de estúdio. Esse tipo de ambiente tenta simular o que temos em estúdios fotográficos, com a vantagem de que temos total liberdade para fazer ajustes e modificações na iluminação e composição da cena de maneira rápida, diferente de um estúdio fotográfico real. O ambiente é formado por um plano representando um fundo infinito, que é usado para concentrar toda a atenção no objeto presente na renderização, e ajudar a espalhar a iluminação difusa também.

As luzes são geralmente formadas por planos de luz, usando o mesmo preceito dos estúdios fotográficos. A imagem abaixo mostra um desses estúdios fotográficos reais, em que são usados exatamente esses mesmos elementos.

Inside Studio

Em 3d é preciso saber reproduzir esse tipo de ambiente para aproveitar ao máximo do que a fotografia nos ensina para representar objetos da melhor maneira possível.

No tutorial abaixo, você vai aprender a criar esse tipo de ambiente no 3ds Max para mostrar como é possível apresentar o modelo 3d de um sofá.

O autor do tutorial adiciona na cena em que está o modelo 3d um plano de fundo semelhante ao que vimos no estúdio, mas com uma dobra suave. O plano foi adicionado usando uma curva, que modificada com um Fillet e depois extrudada para gerar o prolongamento do plano, acabou gerando o objeto necessário para compor a cena.

Na iluminação da cena o autor utilizou uma abordagem um pouco diferente, adicionando uma Skylight e depois luzes do tipo Direct do 3ds Max para gerar a iluminação. No meu caso, prefiro trabalhar com planos que emitem luz para conseguir a maior área possível de emissão, mas o resultado final dessa renderização não é ruim. O único ponto negativo em relação a uma iluminação de estúdio tradicional é que não teríamos aquelas sombras fortes marcando o piso do cenário.

Mesmo com essas pequenas diferenças, o tutorial ainda é válido para quem quiser aprender um pouco mais sobre o 3ds Max e a criação de cenas para estúdio.

Materiais com iluminação no 3ds Max e V-Ray

No planejamento da iluminação de um ambiente a primeira coisa que pensamos é na distribuição de pontos de luz pelo espaço, para conseguir organizar de maneira adequada a energia emitida pelas luzes, e gerar o efeito desejado. Mas, nem sempre o uso das fontes de luz tradicionais dos softwares 3d resolvem a iluminação dos ambientes. É preciso pesquisar por meios alternativos de iluminação que não estejam relacionados diretamente com os pontos de luz. Esses métodos são chamados de alternativos, pois estão em locais que não são associados diretamente com a iluminação de objetos. Por exemplo, os materiais que conseguem emitir energia luminosa. Nesse ponto é preciso fazer uma divisão entre os que realmente conseguem gerar iluminação, e os outros que servem apenas como meio de deixar mais claros os materiais.

O último caso é conhecido como Self Illuminate, e não serve para ajudar na iluminação dos ambientes e cenas. No V-Ray dentro do 3ds Max existe um tipo de material muito útil chamado de VRayLightMtl que ajuda a gerar um efeito de iluminação em objetos. No tutorial abaixo, você pode acompanhar a criação de um material que simula uma lâmpada fluorescente com a ajuda de um material do tipo VRayLightMtl e um mapa de textura. Mas, a iluminação dessa cena é complementada com uma luz do tipo área do próprio V-Ray.

O procedimento para usar a VRayLightMtl é muito simples e requer apenas a atribuição do tipo de material ao objeto que deve emitir a luz, e a associação da textura, para conseguir as sombras um pouco mais escuras nas pontas da lâmpada, como ocorre com as fontes de luz do tipo fluorescente.

Se você quiser saber mais sobre a VRayLightMtl, visite esse endereço que lista várias configurações diferentes para o material e pode ajudar você a encontrar o melhor ajuste sua iluminação.

A maioria dos softwares e renderizadores possuem um tipo de material que emite energia luminosa como é o caso do VRayLightMtl, e você deve pesquisar no seu software preferido, como esse tipo de iluminação funciona. Entre as vantagens desse tipo de iluminação, está a associação de um perfil do tipo IES para gerar iluminação fotométrica, e conseguir efeitos realistas de iluminação.

Comparando o V-Ray com V-Ray RT

O uso de renderizadores baseados em GPU é uma das tecnologias que prometem reduzir o tempo de render significativamente, e pelo que já pude comprovar pelo uso desse tipo de software a promessa tem fundamento. O uso de GPUs já está sendo inclusive aplicado em softwares especializados em compactação e processamento de vídeo. Basta imaginar o uso de centenas de núcleos de processador manipulando um arquivo de vídeo, fazendo a conversão de formatos de vídeo em poucos minutos, sendo que a mesma usa do apenas a CPU levaria no mínimo o mesmo tempo de duração do vídeo.

Entre os renderizadores disponíveis no mercado que podem fazer uso de GPU, o mais famoso para o 3ds max é o V-Ray RT. Quem nunca teve a oprtunidade de usar esse tipo de software deve se perguntar se ele é realmente rápido, e como seria o mesmo render realizado com o método tradicional em CPU e depois em GPU. Qual é mais rápido?

Para ajudar a responder esse tipo de pergunta, encontrei um vídeo muito interessante que se propõe exatamente a fazer esse tipo de comparação. O autor do vídeo seleciona um projeto e faz o estudo de velocidade usando o V-Ray no modo tradicional e depois na GPU. O vídeo é interessante também para hem tem o V-Ray RT e não faz a menor idéia de como habilitar o render usando GPU.

O vídeo não tem áudio, portanto só podemos acompanhar visualmente o que o autor do material realiza durante o teste de render.

A cena é formada por algumas figuras geométricas que recebem materiais próprios do V-Ray e depois uma câmera real do V-Ray, baseada na física de câmeras mesmo, e depois o processo de render começa. Para quem não conhece aquela pequena janela que abre no meio do vídeo, o autor do material faz uso de um script muito interessante para usuários do V-Ray chamado de Solid Rock. Nesse vídeo o autor está usando o SR 0.98, que é um tipo de script que otimiza ao máximo os ajustes do V-Ray. Ele é indicado para quem não quiser ter trabalho com os ajustes de cena e outros detalhes que podem deixar o processo de configuração do render mais demorado.

Na primeira metade do vídeo acompanhamos a preparação da cena, encerrada pela colocação de um mapa HDRI como plano de fundo e também fonte de luz da cena. Nesse ponto o vídeo começa a fazer os testes entre o render com a versão RT e a baseada em GPU. Para trocar entre as duas opções, precisamos apenas habilitar o modo ActiveShade do 3ds Max para mudar para o V-Ray RT, e depois teremos o render da cena usando GPU.

Qual você achou mais rápido?

Configurações para render mais rápido no V-Ray com 3ds Max

Um dos segredos para conseguir uma renderização com boa qualidade nas diversas opções de renderizadores externos é conseguir entender o funcionamento e lógica, por trás das inúmeras configurações existentes nessas ferramentas. Por exemplo, muitos artistas acabam deixando o Mental Ray um pouco de lado, mesmo o software acompanhando o 3ds Max de maneira totalmente gratuita, e escolhem opções como o V-Ray ou Maxwell Render para trabalhar com opções de iluminação global avançada. O V-Ray é muito famoso por ser um software com ótima relação entre o nível de complexidade dos menus e opções, com o resultado final do render. Então temos um software que requer pouca configuração, e gera imagens com excelente nível de realismo.

Mas, mesmo o V-Ray ainda requer dos artistas 3d um pouco de treinamento e prática para conseguir criar imagens com rapidez. Se você estiver pensando em usar o V-Ray, porém nunca havia tido oportunidade de praticar um pouco com a ferramenta, existe uma excelente lista de configurações prontas do V-Ray para uso no 3ds Max, compiladas por um artista chamado Hugo Fernandez que podem ajudar em muito os iniciantes.

As configurações abrangem diversas situações e cenários em que um artista 3d precisaria ajustar os parâmetros do V-Ray, para conseguir bons resultados no render.

v-ray-3ds-max-render.jpg

(As configurações estão disponíveis em formato de imagem, com excelente resolução)

Todos os exemplos apresentados no material acompanham uma série de imagens com os menus do 3ds Max e o resultado dessas configurações usando uma maquete eletrônica bem simples, representando uma pequena edificação com elementos como vidro e materiais mais complexos. Todo o material está disponível em espanhol, o que facilita muito a consulta para o pessoal que não se identifica muito com o inglês.

No total o artista mostra sete situações diferentes de configurações, que vão aos poucos avançando em complexidade e opções dos materiais. O primeiro render começa com o modelo 3d sem nenhum tipo de material associado, apresentando apenas a volumetria. No segundo render já podemos visualizar os materiais simples e com a terceira configuração o artista adiciona as opções de iluminação global. Isso se desenvolve até chegar em opções como o uso de mapas HDRI para as reflexões apenas dos vidros e materiais do tipo Glossy.