Tutorial 3ds Max 2010: Renderizando uma cena com luz do dia no Mental Ray

O estudo da iluminação e efeitos relacionados a exposição do sol em edificações pode assumir papel mais técnico em projetos, como o planejamento da eficiência energética dos edifícios, assim como também fazer parte do planejamento estético e organizacional dos elementos. Em ambas as situações é necessário simular e visualizar a posição do sol em relação as edificações. No 3ds Max 2010 foram adicionadas algumas ferramentas muito interessantes para ajudar na simulação da luz solar em projetos arquitetônicos. No tutorial abaixo, um artista apresenta a técnica necessária para simular um ambiente com luz do sol, configurado inteiramente no Mental Ray com objetivos puramente estéticos.

No vídeo disponível em alta resolução, podemos acompanhar também uma série de pequenas melhorias adicionadas no 3ds Max 2010, como o uso de renderização por hardware diretamente na viewport. Isso faz com que as luzes projetem sombras quando o modo de visualização dos modelos 3d está em shade. Isso ajuda muito no planejamento da cena, pois é possível interagir e fazer correções no posicionamento da luz de maneira totalmente interativa.

O tutorial ainda é muito útil para os usuários que não conhecem muito bem o 3ds Max e Mental Ray, pois o autor faz uso de vários presets para configurar tanto o ambiente da renderização como os materiais nos objetos. Nesse caso, como o objetivo é apenas estudar o efeito volumétrico da iluminação no ambiente, os materiais dos objetos são todos configurados para o Arch & Design (mi), que é um material especialmente preparado para representar objetos em projetos arquitetônicos no Mental Ray.

Esse mesmo material recebe um shader do tipo Matte Finish, que é um material bem simples e com objetivo de apenas mostrar a volumetria.

Agora, as partes mais importantes da configuração dessa renderização são apresentadas no final do vídeo. O autor adiciona um sistema de Daylight a cena, para que a iluminação represente de maneira fiel o posicionamento do sol. Mas, o que realmente faz a diferença nesse caso é a configuração do Mental Ray Physical Sky como componente do cenário no 3ds Max. Isso é que fará com que a simulação da luz solar seja realista.

Com o cenário devidamente configurado e ajustado, basta fazer alguns testes com o controle de exposição da cena no próprio painel environment para determinar se a luz do sol será mais forte ou fraca. O resultado final é muito interessante para estudar a volumetria dos modelos 3d e planejar como é que o sol deve interagir em ambientes urbanos.

Tutorial SketchUp: Configurando materiais

Existe um web site chamado Think, que é especializado em recursos e tutoriais para o Maxwell render, sendo em algumas ocasiões eles publicam tutoriais mostrando a integração do Maxwell com outras ferramentas. Ontem descobri um tutorial que mostra como configurar os materiais do SketchUp, para que a cena seja renderizada no Maxwell Render. O tutorial é muito informativo em relação aos materiais e explica em detalhes, as diferenças na configuração de materiais de ambas as ferramentas. O vídeo pode ser acessado nesse endereço, com a possibilidade de fazer download do mesmo.

São aproximadamente 8 minutos de vídeo, que podem ser úteis para quem pretende usar o SketchUp como ferramenta de modelagem, e gerar imagens realistas com o Maxwell Render. O tamanho total do arquivo é de 43 MB aproximadamente e você pode usar o VLC Player para assistir ao arquivo no formato FLV.

Além de mostrar alguns aspectos do SketchUp, o vídeo ensina alguns dos comandos existentes no plugin responsável pela integração entre o SketchUp e Maxwell. Tanto é que ele configura parâmetros dos materiais do Maxwell diretamente no SketchUp. O vídeo é baseado em uma cena padrão, que é configurada com os materiais relacionados a todos os objetos. Por exemplo, ele escolhe as propriedades físicas das superfícies.

O plugin já disponibiliza opções para escolher entre Plásticos, metais e emissores de luz. Mesmo usando o plugin, o autor deixa claro que isso é apenas uma pré-configuração e que para atingir níveis mais altos de qualidade, o artista precisa fazer os ajustes posteriores no editor do Maxwell.

Uma coisa que achei interessante no vídeo é a explicação sobre a configuração de texturas, que ainda atrapalha algumas pessoas no SketchUp. Apesar de ser curta, a explicação é elucidativa.

A imagem que ilustra esse artigo mostra o resultado final da renderização, repare que é realmente uma verdadeira transformação o render do Maxwell, em comparação com a visão esboçada do SketchUp.

Se você trabalha com visualização arquitetônica, usando o SketchUp recomendo que assista e estude o tutorial. Ele mostra o poder da visualização do SketchUp com um renderizador externo. O Maxwell Render é pago, mas você pode fazer a opção pelo Indigo Render ou Kerkythea, que tem princípios semelhantes e níveis de qualidade muito parecidos, trabalhando com física real.