Renderização e iluminação de estúdio com o Cinema 4D usando HDRI

A melhor opção para apresentar produtos criados em softwares 3d é o chamado ambiente de estúdio, composto por um conjunto de planos que emitem energia luminosa sobre uma superfície curva que serve como cenário. Esse é um dos ambientes mais simples de criar, mas com grande variedade de aplicações que vão desde a apresentação de produtos até mesmo avaliação de modelos 3d. Já indiquei diversos tutoriais e técnicas para configurar ambientes de estúdio com o Blender 3D e YafaRay, 3ds Max e VRay e outros softwares. Hoje a indicação é para um excelente tutorial sobre a criação e configuração desse tipo de ambiente usando iluminação global com o Cinema 4D.

O tutorial se destaca em relação aos outros que já mostrei aqui no blog, por explicar alguns detalhes bem interessantes sobre a composição de materiais e reflexões usando imagens HDRI. O autor do tutorial explica em detalhes como é possível elaborar os materiais e reflexões como mostra a imagem que ilustra o vídeo:

C4D Basics: Reflections and Global Illumination from rob redman on Vimeo.

O objetivo do tutorial é mostrar a criação e configuração do ambiente de estúdio que é formado por nada mais que uma curva, em que foi aplicado um extrude para criar uma superfície mais alongada. Depois que a curva é criada, o autor adiciona algumas esferas sobre o plano de fundo do estúdio. O segredo do tutorial está na configuração do material dessas esferas, que a princípio pode parecer um material bem simples, mas guarda alguns pequenos segredos nos ajustes para que as reflexões fiquem realistas.

Entre os itens de configuração abordados no tutorial que podem ajudar na criação de reflexões, está a escolha correta das cores nos materiais. Nenhum dos elementos usados nos materiais das esferas emprega texturas, apenas cores sólidas. Uma das dicas que encontramos no vídeo é que para representar preto, nunca devemos usar necessariamente a cor pura. Por exemplo, ao configurar o preto no material da esfera o autor faz uma mistura entre preto e azul.

Fora isso, ainda podemos acompanhar:

  • Configuração de reflexões nos materiais com opções para reflexão do tipo glossy
  • Aplicação de imagens HDRI para gerar reflexões realistas nos objetos

Esses são apenas alguns dos assuntos abordados no tutorial que tem aproximadamente 30 minutos de duração. É um dos mais completos em termos de configuração de ambientes para estúdio que já encontrei.

Configurando materiais semi-transparentes no Cinema 4D (SSS)

A configuração de materiais em projetos 3d é uma arte que exige muito treino e prática para conseguir bons resultados. Qualquer artista 3d já deve ter enfrentado situações em que não conseguia resultados satisfatórios em projetos de renderização, por dificuldades em encontrar os melhores ajustes para representar uma superfície. Por isso, a prática da configuração de materiais é muito importante no processo de aprendizado de qualquer ferramenta 3d. Qual o material mais complicado de configurar e usar? Sem sombra de dúvida, os materiais que apresentam algum nível de transparência sempre são os mais difíceis, principalmente quando envolvem Sub Surface Scattering, conhecido também como SSS.

Esse é um fenômeno ótico que acontece em várias superfícies semi-transparentes de natureza orgânica. Basta colocar a sua mão na direção de uma fonte de luz bem forte como o Sol, e você verá o SSS em ação, com níveis diferentes de luz passando pela sua pele. A dificuldade em configurar esse tipo de fenômeno em materiais 3d está relacionado com a relação que esse efeito tem com a luz. Para conseguir representar o SSS bem, o artista precisa ajustar a direção de fontes de luz para direcionar o efeito de transparência em gradiente na direção da câmera.

Caso você queira aprender a configurar esse tipo de efeito no Cinema 4D, assistindo um tutorial em vídeo que encontrei ontem e que aborda muito bem o assunto, pode conferir no link abaixo como configurar SSS no Cinema 4D.

SSS tutorial 001 from rob redman on Vimeo.

No tutorial o autor não trabalha com materiais tão orgânicos, como a pele humana, mas aborda a criação de superfícies transparentes inorgânicas que podem muito bem representar diversos tipos de plásticos ou líquidos.

Repare que durante o tutorial o autor faz diversos experimentos com posicionamento e configuração de pontos de luz, para criar o efeito no objeto 3d. Dependendo do ângulo e direção da luz, o efeito do SSS é alterado significativamente. Os artistas que usam Cinema 4D podem aproveitar o tutorial para aprender o funcionamento do SSS, mas o conceito relacionado com a técnica pode ser aproveitado por todos.

Esse tipo de conhecimento é útil para diversos softwares pois desde o 3ds Max, Maya, Softimage, Blender 3D e outros, permitem trabalhar com SSS. Inclusive renderizadores externos também permitem usar versões otimizadas do SSS com shaders especiais nos materiais. Por exemplo, com o 3ds Max é possível usar SSS em shaders do Mental Ray, V-Ray, FryRender, Maxweel Render e vários outros. Com o Blender 3D também podemos usar SSS junto com o LuxRender e YafaRay usando shaders especiais.