Tutorial de introdução ao Terragen 2: Criando nuvens em 3D

Desde que publiquei na última semana um artigo falando sobre o lançamento do Terragen 2, algumas pessoas me solicitaram um pequeno tutorial em português, com algumas dicas de como começar a trabalhar com o software. Nesse final de semana acabei gravando um vídeo mostrando o básico sobre a interface do Terragen 2, assim como uma introdução a configuração de paisagens e efeitos atmosféricos do software. Para produzir esse tutorial, foi usada a versão gratuita do Terragen, que apresenta algumas limitações em termos de renderização, como limites para o anti-aliasing e detalhamento dos objetos no cenário, mas nada que dificulte a criação de ambientes e paisagens.

Antes de continuar, assista ao vídeo com a introdução ao Terragen:

Na parte superior da interface do Terragen, encontramos vários botões com opções para configurar a cena e adicionar efeitos e propriedades a atmosfera, iluminação, terreno, elevações e outros. Todas as vezes que você quiser editar ou adicionar elementos, use um desses botões. No menu localizado a esquerda da interface, aparecem as opções de ajuste e configuração dos elementos geométricos.

Um dos pontos interessantes para quem está conhecendo o Terragen pela primeira vez, é a quantidade de parâmetros e opções que simulam ambientes e características reais de paisagens. Por exemplo, repare no nome que cada um dos tipos de nuvens recebe. Como forma de estudar a composição climática da nossa atmosférica, os itens de configuração do software ajudam muito. Principalmente pela possibilidade de adicionar e visualizar em tempo real as alterações.

Por isso, o uso do Terragen é muito interessante para estudantes e pessoas na criação de paisagens realistas.

No tutorial é apresentada a técnica necessária para acionar nuvens volumétricas ao cenário virtual, que são uma representação em 3D das nuvens. Existem outros objetos que representam simulações das nuvens em 2D. O consumo de recursos nesse caso é bem menor, mas por outro lado à qualidade visual das nuvens é inferior ao efeito de nuvens volumétricas.

Se você quiser continuar com a criação dessa interface, recomendo que adicione algum tipo de elemento ao terreno, como elevações ou mesmo superfícies com água. O resultado do render com esse tipo de paisagem é excelente. O processo de criação para esse tipo de objeto é bem semelhante ao que fizemos para os itens da atmosfera, quando foram adicionadas as nuvens.

Terragen 2: Lançado o simulador de paisagens virtuais com versão gratuita

O que esperar de um software que ficou mais de uma década em desenvolvimento? Ainda na época em que estava terminando a faculdade de arquitetura, descobri esse ótimo software que tinha uma versão gratuita e permitia gerar imagens de paisagens. Como ele era gratuito para fins não comerciais, resolvi usar o mesmo para elaborar planos de fundo e paisagens com céus para meus trabalhos acadêmicos. Se você já tentou tirar uma fotografia do céu para mesclar com uma imagem renderizada, sabe o quando é trabalhoso acertar os tons e cores para uma boa composição. Com o Terragen é possível fazer esse tipo de ajuste sem maiores problemas, e com a possibilidade de controlar a mistura de cores.

A empresa que desenvolve o Terragen acaba de lançar o Terragen 2, que esteve por muito tempo em desenvolvimento pela Planetside. Hoje temos o chamado Terragen Classic, que é o software que conheço e uso desde a época da faculdade e o Terragen 2. A versão chamada de Classic é gratuira para fins não comerciais, portanto você pode usar livremente para fins educacionais, apenas com algumas restrições como a limitação no tamanho máximo do render.

Mas, acredite em mim quando digo que é uma experiência interessante e criativa, começar a pintar mapas de displacement no Terragen e com isso gerar paisagens. Ao misturar os mapas com a geração de oceanos, é possível criar paisagens bem diferentes. O Terragen 2 é bem mais sofisticado e caro, mas mesmo assim a Planetside fez questão de manter uma versão gratuita para fins educacionais.

Quer aprender como funciona o Terragen Classic? O vídeo abaixo é uma demonstração breve de como funciona o software.

Apesar de ser breve, podemos perceber a maneira com que o Terragen trabalha baseado em mapas. Você pinta a imagem e o software faz o trabalho de deslocar os objetos e gerar a paisagem.

Com o Terragen 2 a coisa fica um pouco mais complexa e podemos interagir com mais objetos na cena, como uma interface com mais opções de manipulação, e a visualização da geometria. No Terragen Classic, tinhamos que em algumas vezes “chutar” a posição da câmera.

Se você quiser um software que não apresenta muitas opções e pode se transformar rapidamente em hobby, afinal criar paisagens é divertido também, recomendo experimentar o Terragen. Eu mesmo sempre que posso, acabo criando algumas paisagens ainda no Terragen Classic.