Compartilhe o artigo!

Você já tentou explicar para uma pessoa leiga em computação gráfica, o que significa a palavra Render? Quem sabe já tentou explicar o significado da palavra Renderização? Esse é um desafio interessante! Apesar de utilizar esses termos diariamente, muitos profissionais e usuários não sabem explicar o seu significado ou até mesmo compreender o que acontece nesse processo.

Caso isso nunca tenha acontecido com você, se prepare! Logo você vai estar em uma mesa de reuniões tentando explicar aos seus clientes o que é “renderização” (Isso se você quiser trabalhar a sério com 3d).

Uma vez eu estava apresentando um projeto, e sem querer acabei soltando a palavra renderização no meio da apresentação. Umas das pessoas pediu a palavra, e perguntou “ren….oque”?


Não saber o que é renderização é perfeitamente normal, mas explicar o processo pode ser uma tarefa complexa, principalmente se a pessoa não está acostumada. Esse é um jargão técnico de quem trabalha na área de computação gráfica e 3d.

Depois de fazer uma breve pesquisa é possível encontrar o significado da palavra Render. Um dos seus significados é “acabamento”. Caso a pesquisa se estenda um pouco mais, vamos perceber que o termo Render não é exclusivo da computação gráfica. Ele é aplicado em outras áreas, como a ilustração e design gráfico.

Mas e como explicar para uma pessoa leiga?

Para simplificar o processo, geralmente eu descrevo o render ou ato de renderizar como sendo o processo em que geramos uma imagem simulando condições reais. Quando os modelos e cenários 3d são construídos, tudo é gerado usando arames e superfícies, o chamado Wireframe. Essa estrutura em arame não serve para alguns propósitos do 3d. Já pensou tentar vender uma perspectiva de um prédio só em arame? Até profissionais treinados teriam dificuldade em visualizar o modelo! Sem falar da dificuldade em perceber a volumetria.

O Render entra exatamente para finalizar o Wireframe. Nesse acabamento são considerados vários aspectos, como a projeção dos raios luminosos, materiais e simulação das superfícies entre outros. Esse é o último passo de um trabalho em 3d e onde uma boa parte da “mágica” acontece!

Agora eles já sabem, o que mais é necessário?

Além de explicar o conceito, pode ser uma tarefa muito difícil explicar para os leigos que o render é em alguns casos a parte mais demorada de uma produção em 3d. Dependendo da situação pode até demorar mais que a fase de modelagem e configuração dos cenários, ainda mais se o objetivo do trabalho for uma animação.

Por incrível que pareça nessas horas o Blender pode ser de grande auxílio! Sim, o Blender ajuda a explicar e mostrar na prática.

Caso mesmo depois da explicação detalhada, sobre o render, ainda restar espaço para dúvidas, o melhor é partir para a prática. Então eu sempre levo o Blender na minha Pendrive e eventualmente faço uma pequena demonstração nas reuniões. Assim é possível mostrar alguns exemplos em que gradativamente demonstro que quanto mais complexa a cena, mais demorado é o render. Começo com o render normal e depois mostro o raytracing. Por último, para fechar a explicação o YafRay.

Vejam que o Blender ajuda até na prática profissional! Só não ache que os seus clientes vão ficar sensibilizados depois da explicação. Eles só não vão mais ficar com a impressão que você está enrolando para entregar o trabalho.