O projeto gooseberry precisa da sua ajuda!

O Instituto Blender está divulgando e promovendo já faz algumas semanas o seu novo projeto de nome código Gooseberry, e esse promete ser um dos mais ambiciosos projetos abertos organizados com o Blender. Mas, antes de continuar falando sobre o projeto e descrevendo os benefícios que os usuários do software podem ter caso esse projeto seja um sucesso, já devo adiantar que o projeto gooseberry precisa da sua ajuda! Mas, como é possível ajudar o projeto? Você pode ajudar o projeto com algo fundamental para qualquer empreitada envolvendo produção e animação ou cinema: financiamento. Até o último projeto desenvolvido pelo instituto Blender, que resultou no curta Tears of Steel o modelo de financiamento era muito simples:

  • Você realizava a pré-compra do material em DVD do projeto (geralmente o custo é de aproximadamente 50 dólares)
  • Assim que o projeto fosse finalizado você recebia um box com diversos DVDs e todo o material usado na produção
  • Seu nome aparecia nos créditos como parte das pessoas que financiou o projeto

Se você tem dúvidas sobre isso, pode procurar pelo menu nome nos créditos dos projetos desenvolvidos pelo instituto, pois adquiri o DVD em todos os projetos!

O modelo de financiamento pela pré-venda dos DVDs funcionou muito bem para todos esses projetos, e todos eles conseguiram os recursos financeiros necessários para que as animações fossem concluídas. Todos esses projetos envolviam a produção de animações ou vídeos com no máximo 15 minutos de duração, e o custo aproximado dessas produções girava em torno dos 150.000 Euros. Estou usando o valor que o Ton Roosendaal divulgou em uma entrevista sobre o Big Buck Bunny.

Qual a diferença para o projeto gooseberry? A principal diferença nesse caso é que o objetivo do gooseberry é criar um longa metragem! Nesse caso a coisa muda completamente de figura, escala e complexidade. Nos projetos anteriores o tempo médio de produção era de 6 a 8 meses, e a previsão agora é de 18 meses. Tudo no projeto gooseberry é extremamente complexo e grande em escala, e por isso a campanha de financiamento do projeto precisou mudar para se adaptar ao novo desafio.

O objetivo da campanha de financiamento do projeto gooseberry agora é angariar 500.000 Euros para o início do projeto, e com um novo serviço oferecido pela fundação Blender chamado de Blender Cloud que funciona com base em assinaturas, se espera conseguir algo próximo de 1.9 milhões de Euros em 18 meses. Será que eles precisam de tanto dinheiro assim? Claro que sim! Veja que esse orçamento é praticamente nada quando comparamos aos custos envolvidos em projetos de animação para cinema de grandes estúdios que giram em torno dos centenas de milhares de dólares.

Um dos maiores benefícios para os usuários do Blender que apoiam esses projetos é ter a certeza de que muitas novas ferramentas são desenvolvidas e adicionadas ao longo da produção, especificamente para esses projetos. Várias opções existentes hoje no Blender surgiram graças a esses projetos com o sistema de Tracking, Cycles e muitos outros.

Como ajudar o projeto gooseberry?

Como ajudar? As opções para financiar o projeto e se inscrever na Blender Cloud estão disponíveis nesse endereço, e são várias opções com valores iniciando em 25.60 dólares. É praticamente o preço que pagamos em uma sessão de filme 3D no final de semana, considerando a pipoca e refrigerante. Para as pessoas que usam o Blender diariamente seja para diversão, estudos ou trabalho o momento de ajudar no desenvolvimento do software é agora.

A opção que realmente ajuda é a assinatura do Blender Cloud, que é um serviço de assinatura que custa 12.80 dólares por mês. Visite o link e leia a descrição de cada modalidade de financiamento para ter todos os detalhes.

Essa é a hora de trocar aquele ovo de páscoa tamanho 96 pela ajuda ao projeto gooseberry!

Unity 5 com melhor suporte para render por GPU

As plataformas de desenvolvimento de jogos estão evoluindo muito nos últimos anos, e em pouco tempo a criação de jogos digitais poderá ser muito mais simples e rápida do que se imagina. A quantidade de frameworks e bibliotecas de recursos que aceleram o desenvolvimento dessa mídia é assustadora, permitindo que pequenos estúdios e artistas independentes possam trabalhar de maneira muito eficiente. Entre as plataformas de desenvolvimento comercial de jogos mais populares encontramos o Unity 3D que até pouco tempo era focada em jogos tridimensionais, e recebeu um módulo para trabalhar com jogos bidimensionais aproveitando as mesmas ferramentas já existentes na plataforma 3D.

Alguns dias atrás foi anunciada uma grande atualização para o Unity com a chegada da versão 5 do software, que trouxe muitas novidades e avanços, principalmente no uso de recursos avançados de hardware como a aceleração por GPU.

A primeira novidade relacionada com o Unity que chama muito a atenção é o novo sistema de shaders baseados em física real. Esses novos shaders permitem trabalhar com materiais e iluminação extremamente realista em todos os sentidos dentro do Unity, e resultam em imagens como a que ilustra esse artigo. E como se isso não fosse suficiente o Unity agora utiliza o motor de render chamado Enlighten, que é a plataforma de renderização usada por alguns dos maiores produtores de jogos triple A do mercado como Blizzard, EA e outros.

Unity 5 Render por GPU

Isso é apenas uma pequena parte das novidades anunciadas para o Unity 5 que envolvem também:

  • Sistema de sons totalmente reformulado
  • Maior integração com o Unity Cloud
  • Possibilidade de pré-visualizar lightmaps diretamente no editor do Unity

A lista é longa e só faz com que o desejo de usar a nova versão do software aumente! Mas, para usar muitos dos recursos apresentados é muito recomendável o uso de uma boa placa de vídeo, pois o consumo de recursos é significativamente maior. Assim que tiver mais novidades sobre o software, publico aqui no blog junto com tutoriais!

Quer começar a utilizar o Unity agora mesmo? No EAD – Allan Brito você encontra um curso online básico gratuito de Unity que apresenta as ferramentas necessárias para que você possa começar a criar jogos em 3d usando o software. O curso é totalmente gratuito e requer apenas a sua inscrição no web site.

Tutorial 137: Usando camadas de ajustes no Photoshop

A manipulação de imagens e fotografias em softwares como o Photoshop são muitas vezes simples de realizar e executar para usuários que conhecem bem a ferramenta, e até mesmo para os menos experientes. Mas, existem alguns procedimentos que alteram a composição das imagens de maneira irreversível, prejudicando uma possível reversão das edições no futuro e potencialmente complicando a vida de qualquer artista digital. É por isso que sempre é interessante realizar procedimentos para manter cópias de segurança dos arquivos fonte ou então encontrar maneiras de preservar a base de pixels usada para a edição.

Uma das melhores práticas nesse sentido para o uso cotidiano do Photoshop é a aplicação dos chamados Adjustment Layers ou camadas de ajustes em tradução direta. Você já usou esse recurso do Photoshop? Caso nunca tenha usado, preparei um tutorial em vídeo mostrando como o recurso funciona e as vantagens em investir nesse tipo de ferramenta do Photoshop.

Como você pode perceber pelo tutorial, o recurso das camadas de ajustes preserva muitas características dos pixels originais da imagem, permitindo que você aplique ferramentas e alterações nas imagens, e possa no futuro reverter essas edições para ter acesso aos pixels sem alterações. Isso é uma tremenda ajuda para as pessoas que não costumam fazer cópias de segurança dos arquivos quando retira os mesmos dos cartões das máquinas fotográficas, ou os designers que montam layouts complexos em PSD e depois se arrependem de alguma edição aplicada no início do processo criativo.

Quando usamos esse tipo de camada para fazer ajustes em imagens, você estará realizando o que é chamado por muitos de edição não-destrutiva. Esse é um tipo de edição muito desejada por ambientes corporativos, pois é possível reverter o produto final para as imagens originais a qualquer momento.
Gostou do vídeo? Não esqueça de deixar a sua avaliação no Youtube e também assinar o meu canal para ser avisado sobre novos tutoriais e vídeos publicados lá. Para aprender mais sobre Photoshop, recomendo visitar o EAD – Allan Brito para conhecer os cursos online de Photoshop disponíveis no site, inclusive um básico que é totalmente gratuito.