Tutoriais de Krakatoa 1.6 para 3dsmax 2010

Um dos sistemas especializados em renderização de partículas e animação mais poderosos para o 3dsmax acabou de ganhar uma atualização. O Krakatoa está agora na sua versão 1.6 e continua sendo uma referência no render de efeitos e partículas para o 3dsmax. Como forma de divulgar e promover o uso da ferramenta, a empresa responsável pelo seu desenvolvimento criou uma série de três tutoriais em vídeo que mostram um pouco do seu funcionamento. Para os curiosos sobre o 3dsmax, essa é uma excelente e rara oportunidade de conhecer o funcionamento do Krakatoa. Até hoje foram pouquíssimos os tutoriais que encontrei sobre a ferramenta.

Os vídeos mostram como converter um modelo 3d em partículas e adicionar diversos efeitos diretamente da interface do 3dsmax. Mas, afinal o que o Krakatoa pode fazer? Antes de assistir aos tutoriais, você pode conhecer um pouco mais sobre o render nesse pequeno vídeo que mostra testes renderizados com o Krakatoa.

Isso mostra um pouco do que é possível fazer com o render, deixando animações simples de partículas muito mais interessantes.

Agora, os tutoriais sobre como configurar o render no Krakatoa 1.6 e 3dsmax 2010.

No total são três vídeos que perfazem quase trinta minutos de material instrucional. Essa é uma oportunidade rara, pois é até difícil de encontrar livros ou cursos que ensinem a usar o Krakatoa.

Além do fato de ensinar o funcionamento da ferramenta, você pode fazer o download do renderizador de maneira gratuira. Sim, o Krakatoa agora dispõe de uma versão gratuita que permite renderizar vídeos e imagens na largura máxima de 480 pixels sem nenhuma marca d’água. O download gratuito do Krakatoa 1.6 pode ser realizado nesse endereço.

Mesmo que você não tenha pretensões de comprar o software para uso profissional, sempre é interessante estudar e aprender um novo recurso, principalmente em ares relacionadas com efeitos especiais como é o caso das partículas animadas. Junto com o Particle Flow ou Thinking Particles, o Krakatoa compõe o conjunto de opções mais poderosas para renderizar e animar partículas no 3dsmax. É por isso que muitos dos comerciais e efeitos em filmes gerados com partículas usam o Krakatoa no render.

Tutorial 3dsmax: Animando multidões com Thinking Particles

Entre as tarefas relacionadas com a computação gráfica 3d, podemos dizer que a mais trabalhosa e exigente em termos de paciência e atenção aos detalhes é a animação de personagens. A quantidade de pequenos detalhes e configurações que precisam ser ajustadas para criar personagens animados, é fator de desistência para muitos dos animadores iniciantes. Se o trabalho necessário para criar apenas um personagem é grande, imagine quando precisamos trabalhar com dezenas e até centenas de personagens. Sem ferramentas que nos permitissem multiplicar de maneira automática esse tipo de animação, seria muito difícil criar projetos em larga escala.

Para esse tipo de propósito existem diversas ferramentas que podem ser de grande ajuda na criação de animações. Caso você queira aprender os procedimentos necessários para criar esse tipo de animação para múltiplos objetos, um animador criou uma série de tutoriais em vídeo mostrando como elaborar isso usando 3dsmax e Thinking Particles. O plugin de partículas da Cebas que turbinou os efeitos do filme 2012.

O objetivo do tutorial é bem simples e consiste na criação da animação usando dois personagens, sendo um deles um pequeno robô e outro representado por um personagem simples. O robô deve sair eliminando os personagens que andam aleatoriamente pelo cenário. O autor do tutorial criou apenas um ciclo de caminhada para o personagem que foge do robô, para depois replicar o mesmo na cena.

Os vídeos estão divididos em sete partes de quase dez minutos de duração cada:

As animações que precisam desse tipo de recurso geralmente já requerem tratamento e ferramentas sofisticadas para resolver e encurtar o tempo de produção, o que necessariamente envolve investimentos financeiros. O tempo ganho com a criação da multidão pode justificar o investimento na compra do Thinking Particles que não é nada barato. Mas, cada diretor ou produtor de animação sabe o que pode fazer e os limites de orçamento.

Para quem está interessado em aprender ao mesmo tempo o funcionamento do Thinking Particles e criar esse tipo de animação com múltiplos personagens, deve gostar do tutorial. Como o autor executa os procedimentos de maneira devagar e cadenciada, fica bem simples de seguir os passos, mesmo para quem não domina o inglês.