Como usar texturas com transparência no Blender 2.5?

O uso de texturas que fazem uso de transparência é um recurso extremamente útil dentro de um software 3d como o Blender. As texturas que apresentam os chamados canais alpha permitem trabalhar com simulações de vegetação, pessoas, veículos e até mesmo elementos de cenários que poderiam ser representados como objetos em 3d. No Blender o uso desse tipo de recurso é extremamente simples, mas exige que sejam realizados alguns pequenos passos para que o processo seja realizado por inteiro. Na versão 2.57 existe um Add-on que ajuda nesse processo, chamado de Import images as planes. Apesar de acelerar muito o processo de configuração, o Add-on ainda exige que o artista faça ajustes manuais nos materiais.

O segredo para conseguir utilizar texturas com transparência no Blender é aproveitar os recursos e parâmetros do painel de materiais. O vídeo abaixo foi produzido para mostrar esse tipo de recurso, utilizando como exemplo a textura de uma árvore que está salva em formato PNG com fundo transparente.

Alpha maps in Blender 2.5 from Allan Brito on Vimeo.

O vídeo faz o processo todo manualmente, sem o uso do Add-on. O primeiro passo é criar o plano que vai receber a textura e associar a textura usando a técnica de mapeamento UV. Com isso podemos definir a posição em que a textura será adicionada no plano. Depois que a textura UV está definida, já podemos habilitar a visualização da mesma na 3D View, mas no render a imagem ainda não vai aparecer.

No painel de materiais é necessário adicionar um material ao plano, e determinar que o mesmo é totalmente transparente, marcando o Alpha do material como sendo zero. Esse passo é fundamental para texturas transparentes, e caso não seja realizado, fará com que a textura seja exibida com um fundo preto.

O painel de texturas é o local em que iremos adicionar uma textura do tipo Image, e habilitar a exibição do mapeamento com base nas coordenadas UV. Mas, para realmente fazer a textura alterar a transparência do material, precisamos habilitar a opção Alpha na área da textura chamada de Influence.

Ao renderizar o plano, veremos que o fundo da imagem fica totalmente transparente, precisando apenas de ajustes na iluminação para se integrar perfeitamente a cena.

Texturas UV no Blender 2.5: Como funciona?

O processo de configuração de texturas em qualquer projeto que envolve a modelagem ou animação é de fundamental importância para conseguir atribuir realismo aos objetos. A escolha das imagens que devem fazer parte da composição geral das texturas é apenas o primeiro passo nesse processo de configuração de texturas. Em todas as ferramentas 3d o processo mais usado e conhecido de ajuste das texturas é o chamado mapeamento UV, que é a técnica que consiste na planificação do modelo 3d para gerar um mapa com a localização de cada uma das faces do objeto. Esse mesmo mapa é exportado como uma imagem em formato bitmap ou vetor, para receber a parte de pintura das texturas.

A grande vantagem dessa técnica é que podemos ter controle absoluto sobre a posição e escala da textura em todas as partes do modelo 3d. Entre os pontos negativos do processo está a parte da planificação, que pode demandar uma boa quantidade de trabalho dependendo da topologia do modelo 3d e também da ferramenta usada para realizar esse tipo de trabalho.

Caso você esteja começando a usar o Blender 2.5 e queira saber como realizar esse procedimento na nova versão do software, encontrei um tutorial que pode ajudar muito nesse tipo de conhecimento. Esse material pode dar o pontapé inicial no seu aprendizado com o Blender 2.5, que está cada vez mais estável na versão 2.56.

O tutorial é bem básico mesmo, e mostra apenas o processo de planificação de um cubo simples com a marcação das arestas que devem ser separadas na planificação com a ferramenta “Mark Seam“. Essa é a base para todos os tipos de topologias no processo de mapeamento UV. Depois que isso é realizado, podemos partir para a configuração das texturas usando a opção Unwrap na janela chamada de UV/Image Editor que tem como objetivo controlar esse tipo de informação no Blender.

No vídeo o autor usa uma textura pronta que é apenas ajustada para abranger a área total das faces que foram planificadas no cubo. Mas, a grande vantagem dessa técnica é a possibilidade de exportar uma imagem com a organização das faces e pintar a textura sobre as mesmas.

Caso você queira saber mais sobre texturas no Blender 2.5, recomendo a leitura do Blender 3D – Guia do Usuário quarta edição que foi reformulado para abranger a nova versão do Blender. Existem dois capítulos no livro que abordam apenas o uso de texturas.

Aproveite e faça a atualização para o Blender 2.56a que corrige alguns bugs sérios da versão 2.56.