Autodesk Maya: Tutorial básico de modelagem de edifícios em 3D

As técnicas e opções disponíveis para conseguir criar modelos 3d são bem variadas e oferecem tipos e níveis diferentes de controle. Entre as mais famosas e utilizadas entre artistas 3d estão as variações da chamada modelagem por subdivisão, que consiste na deformação de primitivas geométricas que são transformadas em objetos e elementos mais complexos. Entre as derivações desse tipo de técnica encontramos a chamada edge modeling que consiste na manipulação apenas das arestas dos objetos 3d, com extrudes e cortes para criar geometria. Essa é a técnica que sempre uso para construir elementos para maquetes eletrônicas e mobiliário em 3d para meus projetos, pois com o uso de arestas é possível ter excelente controle sobre os detalhes do projeto.

O controle sobre os detalhes no projeto pode ser bom para criar modelos realistas, mas por outro lado é um pouco difícil e trabalhoso para usuários iniciantes, pois requer muito uso de ferramentas como o Snap e atalhos para alinhar os objetos. Sempre que mostro essa técnica nas minhas aulas de modelagem, o resultado é uma tendência dos alunos a escolher a derivação conhecida como Box Modeling, pois o seu resultado é derivado de um cubo deformado. Com isso a modelagem fica mais rápida, porém o resultado sempre acaba sendo um modelo 3d mais simples.

Por outro lado, o exercício é excelente para usuários menos experientes, pois a prática do Box Modeling é fundamental para que o mesmo domine e passe a trabalhar com o Edge Modeling.

Como funciona essa técnica? Se você é usuário iniciante e gostaria de conhecer a técnica do Box Modeling aplicado a modelagem de prédios, encontrei três vídeos que ajudam muito no entendimento da técnica. O material foi todo gravado no Autodesk Maya, que não é muito usado para visualização de projetos, mas ilustra bem a técnica do Box modeling. Os vídeos estão organizados como uma lista de reprodução.

O processo é bem simples de seguir e consiste apenas na manipulação de um cubo, em que o artista adiciona várias divisões para depois seletivamente deformar e transformar algumas faces. As transformações dessas faces, que podem ser de translação ou escala acabam resultando na criação da geometria do cubo. Com um pouco de extrude também é possível trabalhar com diversas variações.

Para usuários mais experientes o tutorial é bem básico, mas os com menos experiência e prática com modelagem 3d devem achar o mesmo exercício, uma excelente oportunidade de praticar.

Esse é o tipo de exercício que uso nas minhas aulas de modelagem 3d.