DraftSight: Ferramenta de CAD gratuita para Linux

A escolha de um software de CAD depende de vários fatores, sendo que a familiaridade do usuário com as opções oferecidas pelo software podem ser determinantes para a escolha. Por exemplo, uma ferramenta de CAD que ofereça opções que facilitem a criação de projetos elétricos pode ser muito mais interessante para engenheiros que trabalham com esse tipo de desenho. Mas, em algumas situações é o próprio ambiente que molda as escolhas por softwares do tipo CAD. Já faz um bom tempo que pesquiso e procuro por alternativas ao AutoCAD que possam ser executadas em ambiente Linux. Esse tipo de ferramenta poderia muito bem servir de referência para que empresas ou instituições tenha a opção de migrar para esse tipo de ambiente.

Agora já temos mais uma opção robusta de softwares CAD para ambientes Linux chamada de DraftSight, que ainda está em versão beta mas já pode ser usada para criar projetos e conjuntos complexos de desenhos CAD. Um dos destaques para essa versão do DraftSight é a possibilidade de usar o software em três diferentes sistemas operacionais que são o Windows, Mac Os X e Linux. Nesse link você encontra opções de download para o DraftSight nos três ambientes.

DraftSight_Linux.jpg

Mesmo sendo compatível com o Linux, o DraftSight não é distribuído sob a licença GPL presente nos softwares de código aberto. A ferramenta tem uma licença fechada, estando mais próximo de um Freeware que pode ser usado de maneira gratuita. Se você queria um clone do AutoCAD que pudesse ser executado em ambientes Linux, o DraftSight é uma excelente opção nesse sentido.

Por muito tempo os profissionais de CAD precisavam necessariamente recorrer a ambientes Windows para conseguir ter uma boa gama de opções, começando pelo próprio AutoCAD que até pouco tempo atrás só era oferecido em ambientes Windows. Mas, a Autodesk percebeu esse novo mercado para profissionais de CAD que estão migrando para outras plataformas e criou uma versão do AutoCAD que pode ser executada no Mac OS X. O AutoCAD para Mac já foi mencionado várias vezes aqui no blog, e mostra como essa tendência em expandir as opções de sistemas para ferramentas CAD.

Agradeço ao leitor Pablo Assis pela dica!

MSCAD: Alternativa nacional ao AutoCAD

O desenvolvimento de projetos que envolvem desenho técnico requer obrigatoriamente o uso de um software de CAD, que permita criar e modificar desenhos e pranchas técnicas para projetos de arquitetura e engenharia. No Brasil existe um domínio do AutoCAD nessa área, devido a fatores históricos e a disseminação de que o AutoCAD é a melhor opção para desenho técnico por professores de faculdades e universidades. Já tive a oportunidade de conversar com vários estudantes de arquitetura e engenharia, que procuraram cursos de AutoCAD por recomendação dos professores.

Antes de procurar estudar, e principalmente, adotar o AutoCAD como ferramenta de desenho técnico principal na sua prática profissional, é importante conhecer algumas alternativas para a ferramenta. Nos últimos dias tive contato com uma alternativa nacional ao AutoCAD chamada de MSCAD que me chamou a atenção em relação ao custo e ferramentas.

O primeiro ponto positivo do MSCAD é que ele é todo em português, um requisito para muitas pessoas que tem dificuldade em trabalhar apenas com softwares em língua inglesa. A leveza do software também chama a atenção, pois não é necessário ter computadores com configurações robustas para executar o software, diferente de muitas ferramentas de CAD atuais, que praticamente demandam uma workstation compatível com modelagem 3d para criar desenhos técnicos.

mscad-pro

Tirando as ferramentas de desenho que são as mesmas que encontramos em ferramentas de desenho como Mirror, Offset e outras, existem alguns diferenciais bem interessantes. O primeiro deles é a capacidade de converter múltiplos arquivos entre os formatos DWG, DXF e PDF. A conversão de arquivos PDF é muito útil e deve ajudar bastante as pessoas que recebem arquivos em PDF e precisam editar os arquivos. Já tive casos em que recebi arquivos em PDF de projetos que precisavam ser usados para gerar modelos 3d. Como o ideal é usar arquivos DXF ou DWG para importar em softwares como o SketchUp, Blender ou 3ds Max, o MSCAD teria ajudado bastante nesse tipo de situação. O contrário também é muito útil, pois é possível selecionar múltiplos arquivos DWG e converter para PDF.

Na parte da conversão existe também a possibilidade de converter arquivos PLT para DXF, o que ajuda bastante a resgatar arquivos de projetos que você só tem em PLT. Eu mesmo tenho alguns projetos que tem versões diferentes salvas em arquivos PLT, e que posso transformar em DXF.

A possibilidade de de abrir e visualizar arquivos de praticamente todas as versões do AutoCAD (DWG), inclusive do AutoCAD 2011, é outro diferencial para o software, possibilitando a edição desses arquivos e o aproveitamento de blocos salvos nas versões mais recentes do AutoCAD.

A conversão de arquivos é um diferencial do MSCAD, mas é apenas uma parte do software. Além disso temos todas as ferramentas de desenho que são capazes de criar e editar desenhos técnicos nos mais variados níveis de complexidade para engenharia e arquitetura.

Se você quiser testar o software é possível fazer o download de uma versão Trial no web site do MSCAD, que funciona por 21 dias. O arquivo tem apenas 56 MB! No futuro devo publicar mais artigos mostrando outros recursos interessantes do MSCAD que ajudam bastante no desenvolvimento de projetos.

Tutorial AutoCAD: Usando o Array polar

O uso de ferramentas que facilitem a distribuição de elementos em projetos sempre é de grande ajuda em qualquer área, e quando falamos na parte de desenho 2d a coisa não muda de figura. Ainda me recordo da época em que ministrava mais cursos de AutoCAD para pessoas que não tinham experiência com modelagem 3d e aprendiam o funcionamento da ferramenta chamada de Array. Depois quando essas mesmas pessoas partiam para projetos em 3d sentiam falta da flexibilidade que o Array do AutoCAD oferecia. Existem até mesmo dois tipos diferentes de Array no AutoCAD que podem ser tanto 2d como 3d.

Mas, um dos modos mais úteis no Array do AutoCAD é que chamamos de Array polar, que consegue distribuir objetos com base em um ponto de referência e rotações. Essa ferramenta é extremamente útil na distribuição de objetos que perfazem uma linha em forma de arco ou círculo. Como funciona essa ferramenta no AutoCAD? O vídeo abaixo mostra o funcionamento do Array polar no AutoCAD, e pode servir de guia para quem possui o software, mas nunca teve a oportunidade de usar o Array polar.

O tutorial mostra o funcionamento do painel de configuração do Array no AutoCAD, que permite fazer diversas seleções e opções para o funcionamento da ferramenta. Por exemplo, nesse painel é possível escolher quais os elementos que devem fazer parte do Array e também o local do ponto de referência do Array polar, usado para distribuir as cópias ao redor de um ponto central. O procedimento é relativamente simples, e envolve o ajuste das seguintes informações:

  • Seleção dos objetos que participam do Array
  • Escolha do ponto usado para as cópias
  • Número de cópias que devem ser geradas pelo Array
  • Ângulo de rotação usado pelo Array

Antigamente essas opções era todas informadas usando apenas a linha de comando do AutoCAD.

Como você pode perceber, o uso do Array polar é de grande ajuda para projetos tanto em 2d como 3d, pois é perfeitamente possível aplicar a mesma ferramenta com o modelos 3d. Por exemplo, se tivermos uma cena repleta de cadeiras em 3d, que precisam ser distribuídas ao redor de uma mesa. O Array polar do AutoCAD resolve esse tipo de problema de maneira bem simples, sendo de conhecimento obrigatório para qualquer pessoa que trabalhe com o software.

Tutoriais gratuitos de Revit para arquitetura e engenharia

A tecnologia BIM é um dos melhores aliados quando o assunto é desenvolver projetos para arquitetura ou engenharia, usando ferramentas paramétricas e que tem a capacidade de informar dados e informações reais, sobre como a edificação será ainda na fase de projeto. Ainda existe muito espaço para a tecnologia crescer, pois muitas pessoas ainda dedicam muito do seu tempo de desenvolvimento de projetos em ferramentas como o AutoCAD. Na mesma família de aplicativos da Autodesk encontramos o Revit, que é a solução baseada em BIM (Building Information Modeling) que ajuda no desenvolimento dos projetos.

Para as pessoas que nunca trabalharam com a tecnologia BIM, encontrei uma série de tutoriais gratuitos no web site da própria Autodesk, sobre o funcionamento e uso do Revit. A lista de tópicos abordados é bem extensa, e deve deixar os usuários interessados em trabalhar com o Revit animados.

REVIT SEQ 06

Abaixo a lista de tutoriais em vídeo gratuitos para o Revit:

  • Unit 1 — BIM Modeling Basics

    • Lesson 1: Modeling Building Element
    • Lesson 2: Building Envelope
    • Lesson 3: Curtain Systems
    • Lesson 4: Interiors and Circulation
    • Lesson 5: Fixtures, Fittings, and Furniture
    • Lesson 6: Views and Visualization
    • Lesson 7: Materials, Lighting, and Rendering
  • Unit 2 — BIM Design Process

    • Lesson 1: Area and Space Planning
    • Lesson 2: Project Phases and Phased Design
    • Lesson 3: Design Options
    • Lesson 4: Detailed Design / Construction Documents
    • Lesson 5: Detailed Design / Schedules and Quantities
  • Unit 3 — Green Building Design

    • Lesson 1: Passive Design
    • Lesson 2: Material Properties and Energy Impact
    • Lesson 3: Water Use and Collection
    • Lesson 4: Power Use and Generation
    • Lesson 5: Daylighting
  • Unit 4 — Multidisciplinary Coordination

    • Lesson 1: Preparing to Share Models
    • Lesson 2: Modeling Structural Elements
    • Lesson 3: Modeling Electrical Systems
    • Lesson 4: Modeling Plumbing Systems
    • Lesson 5: Modeling Mechanical Systems
    • Lesson 6: Coordination and Interference Checking
  • Unit 5 — Using BIM in Integrated Project Delivery

    • Lesson 1: Model Integration and Management
    • Lesson 2: Identifying and Resolving Issues
    • Lesson 3: Scheduling and 4D Simulation
    • Lesson 4: Presenting the Project Model

O material está dividido em cinco partes que abordam desde o funcionamento básico da ferramenta, até mesmo o planejamento de arquitetura eficiente em termos de energia. Todos os vídeos estão em formato MP4 e disponíveis para download direto.

Tutorial ArchiCAD: Criando telhados para maquetes eletrônicas

Os softwares e tecnologias próprias para ajudar a desenvolver projetos para arquitetura e engenharia, como as famosas ferramentas de CAD, acabam deixando muita gente confusa e sem ter noção sobre qual é a melhor opção para a sua área. Aqui no Brasil é inegável que a grande maioria dos cursos de graduação aposta e incentiva o uso do AutoCAD, seja para trabalhar com projetos elétricos ou topografia a maioria tem um curso de AutoCAD na própria faculdade. Muito disso é resultado das indicações dos próprios professores e de uma base tecnológica já adquirida e que não pode ser desperdiçada. Imagine se uma instituição que gastou um bom dinheiro para montar um laboratório de informática com o AutoCAD, vai incentivar os alunos a trabalhar com outro software?

Bem, ainda acredito que o certo mesmo é aprender o funcionamento do software e tentar se adaptar ao máximo de ferramentas possíveis. Assim você domina os meios de produção e não o contrário.

Uma das principais vantagens em usar ferramentas que são especializadas em apenas certos segmentos, como o ArchiCAD para arquitetura, é que temos opções próprias para criar elementos da própria área. Ao aprender o AutoCAD apenas, você tem domínio sobre o ambiente de desenho, mas sem controle sobre opções como o desenho de telhados. Por exemplo, para conseguir criar um telhado em 3d é necessário trabalhar com sólidos, usando uma mescla de extrude e operações booleanas. No final do processo, teremos um sólidos com aparência de telhado, mas que o AutoCAD reconhece apenas como um modelo 3d genérico.

Quando o mesmo processo é executado pelo ArchiCAD, a modelagem é direcionada para os elementos que estão sendo elaborados. No vídeo abaixo, podemos acompanhar os métodos para criar um telhado em 3d no ArchiCAD, em que fica fácil de perceber como o próprio software já faz boa parte do trabalho.

O vídeo mostra a criação de um telhado com múltiplas águas, em que o usuário precisa apenas identificar as bordas das paredes, para que o próprio ArchiCAD posicione e organize as águas do telhado, depois que o usuário adiciona algumas informações sobre o objeto. No segundo exemplo o telhado é criado apenas com uma água, mas o diferencial é que as paredes em 3d foram adaptadas automaticamente a inclinação do telhado.

Se você não tinha idéia das diferenças, agora já sabe um pouco mais sobre as vantagens de uma ferramenta especializada. O mundo do CAD não se resume apenas ao AutoCAD.