Tutorial Cinema 4D: Ajustando o ISO de câmeras para render

A iluminação de cenários e ambientes ainda é um dos temas que mais geram dúvidas em artistas 3d iniciantes, principalmente se o ambiente envolver a mistura de elementos com luz natural e artificial. Os renderizadores modernos com algoritmos sofisticados de iluminação global acabam ajudando bastante o processo, mas ainda é comum encontrar pessoas que não sabem bem o que fazer para iluminar ambientes de maneira correta ou mesmo fazer pequenos ajustes em cenários já prontos. Isso é reflexo da falta de experiência e conhecimento sobre assuntos que ajudam muito no trabalho com computação gráfica 3d.

Entre esses assuntos está o conhecimento sobre fotografia que é primordial para usar renderizadores modernos, principalmente os que são baseados em física. Sempre que me perguntam sobre cursos ou conhecimentos importantes para artistas 3d, o primeiro que recomendo é relacionado a fotografia. Como os renderizadores baseados em física utilizam parâmetros e valores reais nos ajustes das suas câmeras, os artistas acabam tendo que lidar com propriedades como:

  • ISO
  • Shutter
  • Exposure
  • Film Type

Essas são apenas algumas dessas propriedades presentes na maioria das câmeras. Com o conhecimento sobre o funcionamento desse parâmetros, um artista poderia realizar modificações na iluminação de uma cena, sem modificar nenhum parâmetro relacionado diretamente com luzes da cena.

Modificando o ISO das câmeras no Cinema 4D

O vídeo abaixo mostra o resultado dos ajustes e modificações realizados no parâmetro ISO das câmeras físicas do Cinema 4D. Com esse parâmetro ISO podemos deixar o filme a câmera mais sensível a luz. Valores altos de ISO permitem trabalhar com baixa luminosidade, pois registram variações pequenas e fracas de iluminação. Já para ambientes em que existe luz em abundância, o ideal é usar valores baixos de ISO como 100, 200 ou 400.

Esse é um exemplo bem interessante e prático de como podemos fazer ajustes e modificações em uma determinada cena, sem precisar necessariamente modificar a intensidade das luzes ou mesmo adicionar novas fontes de luz na cena. Para quem não conhecia o procedimento, a mudança de comportamento é muito interessante, pois a maioria dos artistas que não conhece essa possibilidade só trabalha pensando em adicionar ou remover pontos de luz, ou no máximo mudar a intensidade das luzes existentes.

A fotografia pode ajudar muito na configuração da iluminação de cenas em 3d!

Animação com deformadores no Cinema 4D R13

O uso de sistemas baseados em simulações físicas como o Rigid Body Dynamics é uma das maneiras mais simples que temos de iniciar uma animação básica, pois é necessário apenas configurar o comportamento dos objetos 3d. Depois de configurados os comportamentos, basta iniciar a simulação para conferirmos os objetos caindo e colidindo com outros participantes da simulação, e teremos uma animação configurara da maneira rápida. Mas, os sistemas de simulação física não servem apenas para esse propósito como mostra o pessoal da Maxon em um vídeo muito interessante sobre o uso da ferramenta chamada Collision Deformer do Cinema 4D R13.

Usando o Collision Deformer do Cinema 4D

O procedimento para usar o novo Collision Deformer do Cinema 4D pode ser conferido no vídeo abaixo, que apesar de ser curto, mostra muito bem o processo completo de configuração da ferramenta.

O primeiro passo para usar o Collision Deformer é escolher a opção Collision dentro do painel de deformadores, e fazer com que o mesmo seja filho da geometria que será deformada. Na parte inferior do painel de opções ficará disponível uma opção chamada Colliders, que são os objetos que podem deformar a malha 3d. Selecione o objeto desejado e arraste o mesmo até esse campo, para que o mesmo consiga deformar objetos 3d. Uma das dicas do vídeo consiste na escolha do solver, que pode determinar a maneira com que a deformação acontece.

No tutorial o autor escolhe Inside Stretch, o que faz com que ao deslocar os objetos e causar uma colisão, o resultado será o efeito do modelo 3d sendo esticado. Esse tipo de animação seria trabalhosa de criar sem o uso desse tipo de ferramenta, e o Collision Deformer se mostrou bem rápido para deformar a malha toda. Mesmo sem dados mais concretos sobre a densidade da malha 3d e do computador usado para gravar a simulação, o resultado é bem interessante. Isso transforma a malha em algo muito parecido com tecido.

Esse é apenas um dos recursos recém-adicionados ao Cinema 4D R13 como parte do seu sistema de simulação baseada em física. Assim que tiver mais material sobre as outras ferramentas, publico os vídeos aqui no blog.

Ferramentas de animação para personagens no Cinema 4D R13

As ferramentas existentes para criar animações em 3d hoje em dia são bem sofisticadas, e se formos analisar opções como o Softimage ICE, 3ds Max com CAT e outros o resultado será sempre uma enorme gama de opções e modelos “prontos” para uso em animações. Como forma de acelerar a produção de animações rápidas, até é uma opção viável, mas para quem está aprendendo a trabalhar com softwares 3d acho perigoso depender desse tipo de software, pois o seu modo de trabalho é muitas vezes único, e não permite migrar para outras opções.

Um software 3d que está com um módulo de animação especilizado e dedicado ao movimento de personagens é o Cinema 4D na sua versão R13. O Cinema 4D agora dispõe de uma excelente gama de ferramentas e modelos de personagens prontos, para criar rigs de maneira muito rápida!

Como usar as ferramentas de animação para personagens no Cinema 4D?

Depois de pesquisar um pouco sobre esse novo sistema de animação para personagens no Cinema 4D, encotrei um tutorial em vídeo que é na verdade a demonstração de como esse novo sistema funciona. O procedimento necessário para aplicar um rig em qualquer personagem é bem simples. O vídeo mostra bem o seu funcionamento.

Na demonstração, o autor do vídeo apresenta a metodologia necessária para aplicar um esqueleto pronto preparado para personagens bípedes. As opções de esqueletos e estruturas no Cinema 4D R13 são bem diversas e envolvem pássaros, quadrúpedes e vários outros. O esqueleto para bípedes não é criado na escala correta do personagem, mas já conta com toda uma estrutura conectada e configurada. Se o personagem não tiver nenhuma característica especial que demande deformações no estilo cartoon, o processo de ajuste se restringe apenas a escala e posicionamento das juntas do personagem.

Ainda é possível adicionar até mesmo um ciclo de caminhada pronto, que não está perfeito, mas já permite avaliar o efeito da deformação do esqueleto sobre o personagem.

A ferramenta aparentemente é bem versátil e completa, permitindo adicionar rigs prontos e vários tipos de personagens, mas pode ser perigiso para usuários iniciantes. É muito iimportante saber como criar os seus próprios rigs, pois é comum precisar de movimentos ou deformações específicas em animações.

Tutorial Cinema 4D: Logotipo do Telecine

A reformulação de uma marca já existente pode ser ainda mais complicado do que elaborar algo a partir do nada, pois é necessário garantir que a nova marca consiga passar a mesma mensagem que a anterior, usando linguagem renovada e melhorada. Esse foi o caso do canal a cabo Telecine, que nos últimos meses passou por uma reformulação completa na sua identidade visual, incluindo vinhetas e a marca de cada um dos seus canais. O estúdio responsável pela mudança foi o Beeldmotion do Rio de Janeiro. A marca ficou muito legal, usando imagens e efeitos de iluminação 3d de maneira interessante e que passam uma mensagem de sofisticação e simplicidade para a marca.

Mas, o objetivo desse artigo não é fazer a análise detalhada da reformulação da marca, mas mostrar um vídeo que faz uma análise diferente da reformulação da identidade visual do Telecine. Você gostaria de reproduzir esse efeito em 3d? Caso queira tentar reproduzir o mesmo efeito, encontrei um vídeo no final do ano passado que mostra o processo completo de criação dessa mesma marca, mas usando o Cinema 4D. O autor do vídeo é o editor do blog chamado greyscalegorilla, especializado no uso do Cinema 4D.

Um dos seus vídeos atende o pedido de um leitor que perguntou como seria a criação dessa identidade visual usando o Cinema 4D. Pois bem, o resultado pode ser conferido no vídeo abaixo que mostra a reprodução da marca em quase uma hora de vídeo.

How To Make A Metal Logo Type in Cinema 4D and Photoshop from Nick Campbell on Vimeo.

Esse vídeo já estava na minha lista de publicação desde dezembro, mas apenas agora no carnaval tive a oportunidade de assistir com calma o material, para conseguir recomendar o tutorial e fazer alguns comentários sobre o conteúdo.

No tutorial o artista perfaz todos os passos necessários para conseguir reproduzir o mesmo efeito, só que o texto usado não é o do Telecine, mas outros que se enquadram no contexto do tutorial as palavras relacionadas com próprio Cinema 4D.

O primeiro passo para recriar a logotipo é o trabalho de ajuste na tipografia do Cinema 4D, aproveitando todos os recursos disponíveis para reproduzir o efeito gerado nas letras e design da logotipo. Isso demora um pouco para ser realizado, mas com um pouco de trabalho o artista localiza uma fonte que se enquadra no design, e aplica modificadores para simular a curvatura e aparência dos textos.

Essa é a parte mais simples do tutorial que é inclusive destacada pelo autor como sendo a mais fácil. A pior parte do processo é conseguir reproduzir o efeito de iluminação da logotipo. Para quem gosta de fazer engenharia reversa em projetos ou imagens, é interessante acompanhar as deduções e comparações que o artista realiza ao longo do tutorial, até conseguir o mesmo efeito.

E no final fica bem parecido!

Python agora oficialmente no Cinema 4D

Entre as diversas opções de trabalho em ambientes que envolvem o trabalho com computação gráfica 3d, a que mais gera demanda em estúdios e produtoras de médio ou grande porte é a capacidade de criar ferramentas personalizadas. Por exemplo, se para um determinado projeto você precisa trabalhar com animação de coisas repetitivas como trens e vagões, seria excelente ter uma ferramenta que já criasse os trilhos e depois ajustasse a trajetória de animação do trem sobre os trilhos. Isso é o ideal, e não a criação manual de todo o conjunto. Para conseguir esse nível de sofisticação é preciso conhecer alguma linguagem que se integre com a ferramenta 3d e criar as opções.

Uma das linguagens mais usadas na área de computação gráfica agora ganhou o suporte oficial da Maxon, empresa que desenvolve e comercializa o Cinema 4D. A Maxon comprou o software que fazia a integração entre o Python e o Cinema 4D chamado de Py4D. Essa é uma jogada da Maxon para oferecer mais capilaridade entre os profissionais de computação gráfica, pois já existem várias ferramentas de alto nível usando Python.

cinema-4d-python-py4d.png

Por exemplo, entre essas ferramentas podemos citar o Blender, Softimage e o Houdini. Todas elas usam Python para criar ferramentas personalizadas e até mesmo alterar aspectos da interface. O que a Maxon faz com isso é permitir que profissionais e estúdios que já usam Python, tenham mais “conforto” ao escolher o Cinema 4D para desempenhar algum tipo de tarefa nos seus projetos.

A necessidade de usar Python em projetos é tamanha que estúdios como o Blur, trabalham no desenvolvimento de maneiras para adaptar e interpretar Python em ferramentas como o 3ds Max. Assim eles podem criar ferramentas parecidas para o Softimage e o 3ds Max. O projeto do Blur se chama Py3dsMax e pode ser copiado de maneira gratuita no link indicado.

Quem já usa o Blender e estuda a criação de scripts em Python tem uma excelente vantagem competitiva nesse aspecto, pois pode migrar depois para a criação de ferramentas para o Softimage, Houdini, Cinema 4D e até mesmo 3ds Max. Se você estava em dúvida sobre que linguagem usar, recomendo estudar Python.