Tutorial Blender: Criando um copo com líquido

A renderização de superfícies e materiais que simulam líquidos é um desafio interessante para qualquer artista 3d, pois esse tipo de material agrega vários efeitos óticos avançados, e muita coisa pode atrapalhar a visualização realista desse tipo de objeto. Se o líquido estiver dentro de um recipiente transparente a coisa pode ficar ainda mais complexa, pois a superfície do líquido acaba se mesclando com a do recipiente transparente, e pequenos defeitos aparecem na renderização.

Se você nunca tentou simular esse tipo de material e cena no Blender, encontrei um tutorial em vídeo que pode ser de grande ajuda. No vídeo o autor cria um copo de vidro com uma quantidade de líquido dentro, representando o que seria leite.

O vídeo é bem curto e pode ser acompanhando de maneira muito simples, mesmo por usuários com pouca experiência com Blender, mas com algum conhecimento básico sobre as ferramentas.

A modelagem do copo e do líquido é o segredo para conseguir um bom resultado nesse tipo de situação, e o autor consegue resolver esse problema de maneira engenhosa, por meio de um conjunto de ferramentas do Blender. Primeiro é criado o perfil do copo usando curvas para conseguir arcos mais arredondados para os cantos do copo, que em seguida são convertidos para polígonos. A conversão é necessária para que seja possível usar o Spin e gerar a superfície do copo.

Com a superfície criada o próximo passo é fazer a separação do volume que irá representar posteriormente o volume do líquido, e nesse tutorial esse líquido tem as propriedades de leite.

Uma opção muito útil do Blender e que poucas pessoas conhecem é o separate, acionado no modo de edição com a tecla P. Ao selecionar qualquer parte de um polígono e pressionando essa tecla, podemos criar novas partes de um polígono com base na seleção. Em várias situações de modelagem esse tipo de ferramenta ajuda de maneira significativa a compor novos polígonos!

No final do tutorial o autor aplica o material que irá representar o leite, e fazendo uso do preset de Subsurface Scattering para o leite, a coisa fica bem rápida de configurar! Com a cena pronta, é possível alterar o tipo de material do líquido para visualizar efeitos diferentes de transparência.

Render farm para YafaRay com 20% de desconto

No processo de produção de animações o planejamento de todo o fluxo de trabalho é de fundamental importância, para evitar problemas durante a criação e também evitar dificuldades na finalização. Apesar da enfase na parte de preparação da animação usando storybards e roteiros, poucas são as pessoas que e preocupam com a finalização da animação, principalmente quando falamos de render. Já tive a oportunidade de participar de projetos que mudaram completamente devido ao render, pois o uso de efeitos avançados de iluminação e materiais acarretavam tempos de render muito altos. Com tempos de render altos o risco de entregar o projeto atrasado é muito grande. Para reduzir o tempo de render sem perder resolução, a solução é remover efeitos e até mesmo geometria extra da cena.

Nesse tipo de situação é interessante recorrer a serviços conhecidos como Render Farms, que são estruturas com centenas de computadores que permitem distribuir o render em várias máquinas, resultando na diminuição drástica no tempo de render. Hoje existem diversas empresas que prestam esse tipo de serviço, permitindo até mesmo que projetos com orçamento pequeno possam se beneficiar desse tipo de estrutura.

blender-yafaray.jpg

Na semana passada fui contatado pelo representante de uma dessas empresas chamada de Core Farm, especializada no render de projetos usando o Blender e YafaRay. O serviço é voltado exclusivamente para usuários do Blender, e como forma de ajudar na divulgação do serviço o pessoal do Core Farm está oferecendo um desconto para os leitores do allanbrito.com! Caso voce utilize o serviço e informe o código ALLANBRITO no momento do registro, estará garantindo um desconto de 20% no valor do render. Esse código é valido para utilização por 30 dias a partir dessa data.

O uso de uma render farm é ideal para projetos grandes, mas deve ser bem planejado também para evitar surpresas, principalmente no que se refere ao custo total da renderização. Como meta para trabalhar sem surpresas no final do projeto, voce pode planejar um tempo de render alvo e organizar o projeto de maneira a chegar nesse tempo. Por exemplo, se o tempo de render alvo for 2 minutos por frame e o projeto estiver com tempo de 5 minutos, voce sabe que precisa otimizar o render para cortar 3 minutos do render em cada frame.

Guia sobre renderização e V-Ray

O uso de ferramentas que ajudam ou facilitam a vida de profissionais e artistas para gerar imagens realistas, sempre foi prática comum na computação gráfica. A grande maioria dos profissionais não se importa muito em usar softwares diferentes ou conjuntos de ferramentas, contanto que as opções escolhidas proporcionem o maior grau de qualidade com o mínimo de tempo para o render. Nos casos em que é possível investir largas quantias financeiras em softwares, esse tipo de mentalidade é bastante aceitável. Entre as soluções de render que mais atraem usuários em busca do equilíbrio entre qualidade e render, o V-Ray é um dos mais visados, principalmente no mercado de visualização para arquitetura. Mas, a sua fama se espalha até mesmo em empresas de renome como o estúdio Blur.

Basta conferir essa entrevista com Kevin Margo que foi supervisor de computação gráfica no trailer de Firefall. A animação produzida pelo estúdio Blur fez uso do V-Ray para materiais e diversos outros elementos da produção, que segundo o Kevin Margo, impressionou a todos no estúdio devido a rapidez com que as imagens eram geradas, sem perder a qualidade.

Será que a animação ficou boa? O vídeo abaixo mostra o resultado:

Assim como acontece com todos os projetos em que o estúdio Blur se envolve, o resultado é impressionante em termos visuais e também técnicos.

Esse tipo de resultado se deve ao uso do software ou o talento das pessoas envolvidas no projeto? Claro que o conhecimento técnico e a habilidade artística da equipe são fundamentais, mas o software ajuda com recursos disponíveis para gerar imagens mais rápidas ou com algoritmos avançados.

Se você nunca uso ou teve a oportunidade de testar o V-Ray, encontrei um texto interessante sobre o software que faz referência ao seu uso como opção de render para diversas plataformas. O texto é intitulado de “O que é o V-Ray? Como funciona e sua evolução?“. Claro que tomei a liberdade de traduzir o título, pois o texto original está em inglês. Caso você não goste ou tenha dificuldades de ler em inglês, sempre temos a opção do Google Translator que resulta em algo até compreensível.

int_kitchen

O texto é interessante devido a abordagem do autor que comenta sobre o surgimento do V-Ray como ferramenta auxiliar para o 3dsmax ainda nos anos 90, e a sua posterior expansão. E para explicar a evolução do software de uma abordagem voltada apenas para o uso de CPU e a recente evolução para as GPUs, acaba explicando muitos conceitos relacionados com computação gráfica como Render e geração de imagens. Esse guia sobre renderização com o V-Ray deve ajudar muitas pessoas a conhecer mais sobre o software. Essa é uma realidade para muitos artistas, pois o V-Ray já se desprendeu do 3dsmax faz tempo, estando disponível para Cinema 4D, Maya, Blender e muitos outros softwares.

Guia sobre as funcionalidades do YafaRay e Blender 3D

Um dos maiores desafios para os artistas 3d acostumados a usar o Blender 3D junto com o YafRay, foi a recente reformulação do software que mudou praticamente todos os conceitos e componentes do renderizador de código aberto. As mudanças foram tão grandes que é necessário reaprender todos os conceitos e configurações do YafaRay novamente, para poder trabalhar de maneira razoável com o renderizador. Caso você esteja querendo uma fonte de referência nova para o YafaRay, recomendo visitar uma página que explica de maneira detalhada vários conceitos e ferramentas do novo renderizador, inclusive fazendo referência ao script que exporta cenas diretamente do Blender 3D.

Existe apenas um pequeno detalhe a respeito do tutorial que pode desestimular um pouco a leitura, que é o fato de estar escrito todo em Francês. Mas, nada que uma tradução automática do Google não ajude. Você pode conferir o tutorial sobre YafaRay e Blender 3D traduzido nesse link, e o original sem tradução nesse outro link.

blender3d-yafaray-tutorial.jpg

Essa é a lista de itens que podemos encontrar bem explicados e exemplificados no artigo:

  • O que é o YafaRay?
  • Exportando cenas com o Blender 3D
  • Ajustes de câmera
  • Configurando a iluminação
  • Ajustando materiais e texturas
  • Métodos de renderização
  • Ajustes gerais de cada método de renderização
  • Suavizando as bordas com Anti-aliasing
  • Configurando o plano de fundo
  • Links úteis

As explicações em texto do artigo são excelentes e descrevem muito bem a função de várias das configurações do YafaRay. Mas, o que realmente chama a atenção no tutorial são as ilustrações e testes realizados pelo autor. Por exemplo, para testar as diferenças entre a renderização usando Photon Mapping e Path Tracing, você muito provavelmente vai acabar fazendo um render com cada um desses métodos, para comprovar a melhor escolha para a sua cena. Isso acaba gastando tempo e nem sempre esclarece as diferenças entre as configurações do render.

Pois, no artigo em questão o autor oferece diversas imagens associadas as explicações que já exemplificam bem as diferenças de configuração e ajuste para cada item. Sendo assim, a única coisa que você precisa fazer é interpretar as diferentes opções de render, para encontrar o melhor ajuste para a sua cena no Blender.

Caso você ainda esteja usando o YafRay, recomendo migrar para a nova versão o quanto antes, pois no Blender 2.50 não estará mais disponível o suporte ao antigo YafRay. Aquela opção no render para exportar a cena para o YafRay vai desaparecer.