Render interno do Blender 3D com Iluminação Global?

Essa semana foi anunciado mais um projeto que pode mudar significativamente, partes importantes do Blender 3D. O mesmo desenvolvedor responsável pela simulação de volumetria no render do Blender, chamado Farsthary, está engajado na melhoria do renderizador interno do Blender 3D com a incorporação de recursos para gerar iluminação global, que hoje só pode ser realizada com renderizadores externos, como o YafaRay.

O projeto ainda está na sua fase inicial, mas renders já podem ser conferidas nesse link, em que várias imagens e vídeos de teste estão disponíveis. A mensagem que divulgou o projeto, assim como alguns comentários de outros artistas que usam Blender, pode ser conferida nesse endereço do fórum Blenderartists.org.

Para facilitar a percepção de como isso pode ajudar o render interno do Blender, montei um mosaico com algumas das imagens:

blender3d-global-illumination

Um dos recursos que deve ser adicionado ao Blender com esse novo projeto é a possibilidade de simular Caustics. Temos que admitir que é louvável o trabalho de melhorar esse tipo de recurso no Blender 3D, mesmo sendo um trabalho árduo, implementar um sistema de iluminação global no render do Blender, deve exigir uma completa reformulação do software.

Mesmo sendo trabalho voluntário, ainda me pergunto se recursos como o desenvolvimento do já lendário Render API, que permitiria uma melhor integração com outros softwares externos, como o YafaRay, Indigo e quem sabe até com renderizadores comerciais (V-Ray, Mental Ray e outros). Isso hoje ocorre com Scripts em Python que exportam o arquivo temporariamente para um formato compatível com o renderizador.

O meu objetivo não é criticar o desenvolvimento de mais uma ferramenta, apenas refletir sobre a real necessidade dela. As pessoas que ajudam no desenvolvimento do Blender o fazem pelos mais diversos motivos podem ser uma pesquisa acadêmica ou o simples fato de ajudar mesmo.

O problema nesse caso é a perda de foco do Blender, em tarefas que já podem ser realizadas, e muito bem, por softwares livres já existentes e com boa base de desenvolvimento. O YafaRay é um ótimo exemplo disso. Quem sabe mais ferramentas de modelagem, opções de configuração com nós ou animação avançada.

Esse é um ponto delicado no desenvolvimento do Blender, e outros softwares de código aberto. Quando um dos meus alunos me pergunta; por que o pessoal da Fundação não trabalha para criar ferramentas que igualem o Blender ao 3ds Max ou Maya?

A minha resposta é simples; eles não têm obrigação de fazer nada, inclusive o código fonte do software é aberto. Se você quiser criar ou melhorar uma ferramenta, basta fazer o download do código e modificar você mesmo.

Por isso, podemos refletir e até mesmo desejar melhorias no Blender, mas seria demais cobrar resultados ou ferramentas das pessoas que trabalham no código de maneira voluntária.

Só para concluir, acho que é uma coisa boa a iluminação global, mas ainda assim devo continuar usando o YafaRay, pela compatibilidade de projetos passados e atuais. Para chegar no mesmo nível do YafaRay, deve demorar um pouco para que esse projeto seja concluído.

Guia completo sobre o funcionamento da renderização por Radiosidade

Qual a melhor técnica para renderizar uma cena? A quantidade de opções e soluções disponíveis é tão grande que fica difícil escolher. Nos renderizadores modernos como o Mental Ray, V-Ray e Maxwell Render quase não encontramos mais o termo Radiosidade sendo colocado em destaque, mas ele ainda é um dos métodos mais eficientes para calcular e iluminação real de uma cena. Duas das ferramentas que oferecem soluções baseadas em radiosidade fantásticas são o finado LightScape da Autodesk, que já foi descontinuado e o LightWave.

Esse último ainda apresenta um módulo de Radiosidade muito poderoso, e devo dizer um dos melhores renders que conheço, há pelo menos 10 anos que trabalho com 3d.

Um web site da Holanda, publicou um guia completo sobre as configurações e o funcionamento do sistema de radiosidade do LightWave 9.5, que aborda tanto a parte teórica da Radiosidade, como o processo de configuração do LightWave.

Recomendo uma visita ao guia, para compreender melhor o processo de funcionamento da radisosidade, assim como o comportamento dos raios de luz ao interagir com esse tipo de sistema.

Como é possível perceber pela imagem que ilustra esse artigo, o tutorial é ilustrado de maneira muito rica, com representações das trajetórias dos fótons e seu comportamento.

Esses são os assuntos abordados no tutorial:

  • Introdução
  • Painel de controle do LightWave
  • O processo de Radiosidade (explica como funciona o processo)
  • Radiosidade pelo algoritmo Monte Carlo
  • Radiosidade e Final Gather
  • Radiosidade apenas para o plano de fundo do cenário
  • Opção de interpolação
  • Controlando raios secundários
  • Resolvendo possíveis problemas

Ficou interessado? Para acessar o guia sobre Radiosidade, visite esse endereço.

O tutorial está bem escrito e mostra algumas imagens fantásticas, produzidas pela equipe do web site. As imagens são relacionadas com visualização de projetos arquitetônicos e design, todas renderizadas com o LightWave.

Se você não conhece o LightWave, devo dizer que é hoje ainda uma das ferramentas com melhor custo x benefício entre as suítes 3d proprietárias. Da última vez em que precisei recomendar uma ferramenta como essa, para uma instituição de ensino interessada em plataformas de animação, mas que não se interessaram pelo Blender, o LightWave foi a ferramenta mais em conta. O preço da licença era de aproximadamente 950 dólares, e não haviam diferenças entre versões, como acontece com a maioria das ferramentas hoje. Segundo o exemplo da Microsoft que vende o Windows em inúmeras versões, a Autodesk, por exemplo, comercializa o 3ds Max e o Maya em várias versões diferentes.

Bem, deixando a questão das licenças de software de lado, o tutorial é recomendado a todos que queiram aprender mais sobre o funcionamento, dos diferentes tipos de renderização. Mesmo que você não use o LightWave, pode aproveitar alguns dos conhecimentos para configurar melhor o seu próprio renderizador.