Guia de pintura com GIMP: Criando um planeta com anéis

A criação de cenários e ambientes espaciais foi um dos motivos pelos quais comecei a me interessar por computação gráfica, ainda quando era criança. Hoje, com uma gama enorme de ferramentas e opções disponíveis para trabalhar tanto na parte de criação 3d como em ferramentas de pintura, deixa esse processo ainda mais divertido. Sempre que posso tento adicionar o tema em alguma das minhas aulas, seja com efeitos de pintura no Maya ou partículas no Blender. Caso você tenha interesse por esse tema e goste de usar ferramentas voltadas a pintura digital, encontrei um tutorial simples e rápido de executar que ensina a reproduzir planetas com anéis no GIMP.

A técnica é bem simples e consiste na aplicação de alguns filtros e pequenos truques de edição, para ter como resultado final a seguinte imagem:

tutorial-gimp.jpg

Pela complexidade e passos envolvidos, o tutorial pode ser muito útil para projetos em que você precisa reproduzir vários planetas. Nesse caso, o único requisito para gerar outros planetas é trocar a textura.

O processo é descrito em poucos passos, e consiste basicamente na utilização de uma textura indicada pelo próprio autor do tutorial. A mesma textura deve ser redimensionada e ter um filtro do tipo Blur aplicado no mínimo três vezes para conseguir suavizar as linhas na imagem.

Depois do filtro o autor recomenda aplicar um efeito de lente que dará o aspecto esférico para a imagem, lembrando que é necessário criar uma camada no plano de fundo sem nada, para que depois possamos adicionar um plano de fundo com pequenos pontos representando estrelas.

As estrelas são criadas usando outro filtro do GIMP chamado de HSV Noise que é aplicado em uma camada com preenchimento preto. Isso é feito logo antes de usarmos a ferramenta de gradiente do GIMP para gerar o efeito de iluminação e finalmente atribuir o aspecto esférico ao planeta.

Agora, o truque interessante está na criação da atmosfera em que será necessário selecionar a borda do planeta e com a opção Feather border do Border Select separar o controno do planeta para pintura com uma cor semelhante a usada na textura.

A parte mais complicada do tutorial é a criação dos anéis, envolvendo o uso do filtro Difference Clouds e Whirl and Pinch com várias transformações. Mesmo que você decida reproduzir apenas o planeta, o tutorial já será de grande utilidade em projetos que demandem esse tipo de cenário.

Outro ponto positivo é que podemos adaptar as técnicas para uso em outros softwares, como o Photoshop e Pixelmator.

Já mencionei que o GIMP é gratuito?

Guia sobre as funcionalidades do YafaRay e Blender 3D

Um dos maiores desafios para os artistas 3d acostumados a usar o Blender 3D junto com o YafRay, foi a recente reformulação do software que mudou praticamente todos os conceitos e componentes do renderizador de código aberto. As mudanças foram tão grandes que é necessário reaprender todos os conceitos e configurações do YafaRay novamente, para poder trabalhar de maneira razoável com o renderizador. Caso você esteja querendo uma fonte de referência nova para o YafaRay, recomendo visitar uma página que explica de maneira detalhada vários conceitos e ferramentas do novo renderizador, inclusive fazendo referência ao script que exporta cenas diretamente do Blender 3D.

Existe apenas um pequeno detalhe a respeito do tutorial que pode desestimular um pouco a leitura, que é o fato de estar escrito todo em Francês. Mas, nada que uma tradução automática do Google não ajude. Você pode conferir o tutorial sobre YafaRay e Blender 3D traduzido nesse link, e o original sem tradução nesse outro link.

blender3d-yafaray-tutorial.jpg

Essa é a lista de itens que podemos encontrar bem explicados e exemplificados no artigo:

  • O que é o YafaRay?
  • Exportando cenas com o Blender 3D
  • Ajustes de câmera
  • Configurando a iluminação
  • Ajustando materiais e texturas
  • Métodos de renderização
  • Ajustes gerais de cada método de renderização
  • Suavizando as bordas com Anti-aliasing
  • Configurando o plano de fundo
  • Links úteis

As explicações em texto do artigo são excelentes e descrevem muito bem a função de várias das configurações do YafaRay. Mas, o que realmente chama a atenção no tutorial são as ilustrações e testes realizados pelo autor. Por exemplo, para testar as diferenças entre a renderização usando Photon Mapping e Path Tracing, você muito provavelmente vai acabar fazendo um render com cada um desses métodos, para comprovar a melhor escolha para a sua cena. Isso acaba gastando tempo e nem sempre esclarece as diferenças entre as configurações do render.

Pois, no artigo em questão o autor oferece diversas imagens associadas as explicações que já exemplificam bem as diferenças de configuração e ajuste para cada item. Sendo assim, a única coisa que você precisa fazer é interpretar as diferentes opções de render, para encontrar o melhor ajuste para a sua cena no Blender.

Caso você ainda esteja usando o YafRay, recomendo migrar para a nova versão o quanto antes, pois no Blender 2.50 não estará mais disponível o suporte ao antigo YafRay. Aquela opção no render para exportar a cena para o YafRay vai desaparecer.