Tutorial SketchUp: Usando e configurando linhas guia

O uso de linhas guia é mais comum em softwares como o Adobe Photoshop ou InDesign, em que é útil alinhar objetos e elementos usando apenas o mouse. No caso dos softwares 3D, esse tipo de recurso já é mais raro, pois na maioria dos softwares como o 3ds Max ou Blender 3D, existem ferramentas como o grid ou transformações numéricas que suprem quase todas as necessidades dos artistas 3D. Mas, nos casos de ferramentas como o SketchUp que usam muito o desenho e modelagem a mão-livre, o uso de linhas guia é muito importante.

E o SketchUp consiste em uma dos únicos softwares 3D que apresentam essa opção de linhas guia. Essa ferramenta é chamada de Protactor, que cria essas linhas guia na área de modelagem do software. O vídeo abaixo mostra o funcionamento dessa opção que pode acelerar em muito o processo de modelagem, com precisão e interagindo com outras partes do modelo 3D.

O posicionamento de linhas guia ortogonais é extremamente simples, basta acionar a ferramenta chamada Tape (a fita métrica), selecionar um elementos como uma aresta ou plano e começar a medir. No canto inferior direito do SketchUp é possível visualizar a dimensão que está sendo marcada pela ferramenta. Por exemplo, você pode fazer a marcação para a abertura de uma porta que está a 2 metros de distância de outra parede. Para isso, basta digitar 2 no teclado enquanto a ferramenta está sendo usada, para que o próprio SketchUp adicione uma linha guia precisamente no local marcado. Esse é o procedimento necessário, para a maioria dos casos.

No caso de linhas guia inclinadas é possível usar a ferramenta chamada Protractor, que pode trabalhar com ângulos inclinados, para facilitar a criação desse tipo de linha auxiliar. Essa é a última parte do tutorial.

Apesar de ser básico, o tutorial é de grande ajuda para os artistas 3d interessados em modelagem com mais precisão.

Por isso, alguns artistas 3d especializados em modelagem 3d para arquitetura utilizam o SketchUp para criar modelos volumétricos dos seus trabalhos, para depois exportar o material para outros softwares como 3ds Max ou Blender. Nesses softwares é possível trabalhar o detalhamento dos modelos 3d, adicionando mais elementos orgânicos e cursos, um pouco difíceis de trabalhar no SketchUp. Com o surgimento de ótimas opções de renderização nativas ao SketchUp, como o V-Ray e Maxwell Render, a ferramenta gratuita do Google também é usada como a única fonte de produção para alguns escritórios de arquitetura e design de interiores também.

Já conheço algumas pessoas interessadas em abandonar os softwares 3d mais abrangentes e adotar apenas o SketchUp para seus trabalhos.

Tutorial AutoCAD: Como funciona o Object Tracking?

Quando o assunto é modelagem ou desenho técnico, umas das ferramentas ou artifícios mais usados por artistas e desenhistas são as chamadas linhas de construção. Na semana passada, um artigo aqui do blog comentou o uso dessas linhas na modelagem com base em fotografias no SketchUp. Na modelagem 3d é até mais complicado usar esse tipo de linha, mas no desenho 2D é muito comum. Considere desenho 2d, todas as categorias de desenho, seja ele feito no AutoCAD ou no Illustrator. Como funciona? Imagine a seguinte situação, você precisa fazer um desenho com figuras geométricas simples, como um quadrado que tem um círculo, desenhado exatamente no seu centro.

Se a ferramenta de ilustração tem opções para alinhar os objetos, ótimo! Mas no caso dos sistemas de CAD esse tipo de ferramenta é praticamente inexistente, então entra em cena a figura da linha de construção, em que você pode traçar uma diagonal no quadrado, para depois desenhar o círculo, usando o ponto mediano da linha em diagonal como centro do círculo.

Estou falando sobre esse tipo de ferramenta, pois na última semana um ex-aluno estava com dificuldades em desenhar um projeto, exatamente por falta de experiência com linhas de construção. No caso dele eu até recomendei que verificasse o Object Tracking do AutoCAD, a ferramenta que ele estava tentando usar.

O object tracking é uma opção relativamente recente do AutoCAD, que permite criar de maneira dinâmica essas linhas de construção.

Veja esse vídeo, que mostra um exemplo igualmente simples, sobre o uso da ferramenta:

O que essa ferramenta faz? Com ela é possível desenhar de maneira dinâmica as linhas de construção, apenas arrastando o mouse sobre o objeto desenhado e desenhando a projeção. No exemplo do vídeo, o autor mostra como criar um círculo, usando a referência de duas linhas criadas com o Object Tracking, apenas arrastando o mouse sobre elas para criar as referências.

Apesar de ser uma ótima ferramenta de desenho, ainda tenho algumas restrições no uso desse tipo de ferramenta. Sempre deixo bem claro nas minhas aulas, que esse tipo de ferramenta tem um lado positivo e negativo:

  • Positivo: Economia de tempo e recursos, sem a necessidade de criar camadas especiais e novas linhas no desenho.
  • Negativo: Você não pode usar as mesmas linhas depois para fazer ajustes e correções. À medida que o desenho vai ficando mais complexo, com vários objetos na tela, fica muito difícil se localizar com o Tracking novamente.

Para usuários mais experientes, o uso dessa ferramenta não deve trazer maiores problemas, mas usuários com menos experiência no desenho técnico, podem encontrar dificuldades na hora de lidar com projetos mais complexos. Por isso, ainda recomendo o desenho mesmo das linhas de construção, com camadas próprias e que ficam sempre desligadas ou congeladas, ao longo do desenho, sendo ativadas apenas para criar linhas de construção quando necessário.