Configurando iluminação artificial no 3ds Max e V-Ray

A grande maioria das pessoas que trabalha com visualização de interiores procura representar a iluminação natural de um ambientes, pois esse é o tipo de luz mais comum e que oferece a possibilidade de avaliar como o ambiente em questão aproveita a luz natural. Mas, como uma demanda crescente por projetos de visualização, é cada vez maior o número de pessoas que precisam trabalhar com a iluminação noturna e consequentemente artificial de ambientes. Esse tipo de projeto pode ser bem desafiador, pois demanda conhecimentos específicos e bem técnicos sobre softwares e ferramentas para conseguir simular a luz usando luminárias e não o sol.

Configurando iluminação artificial no 3ds Max e V-Ray

Se você trabalha com o 3ds Max e o V-Ray para renderizar seus projetos de visualização, o site Aleso 3D publicou um tutorial muito interessante sobre como ajustar a iluminação artificial em ambientes com 3ds Max e V-Ray. O resultado final do tutorial pode ser conferido na imagem abaixo.

3ds-max-vray-luz-artificial.jpg

O tutorial em si explica o processo de configuração e posição de cada uma das luzes que fazem parte do cenário. Um dos problemas da iluminação artificial é descrito pelo autor do tutorial de maneira bem clara, que são os diferentes efeitos que cada ponto de luz deve e pode gerar no ambiente. É necessário planejar bem o que se deseja com cada ponto de luz para depois posicionar os emissores em locais estratégicos. Por exemplo, a luz suave da lua que é comum em ambientes noturnos é gerada por um ponto de luz posicionado fora do ambiente em local estratégico para gerar o efeito desejado no ambiente. A configuração da luz no V-Ray é apresentada no tutorial como sendo uma VRayLight do tipo Dome com um multiplier bem alto, marcando 60 unidades.

Para o efeito da luz difusa que é emitida do forro foram usadas luzes fotométricas ajustadas para assumir forma linear. Dentro das luminárias sobre a mesa de jantar foram posicionadas duas luzes fotométricas, que também são usadas nas pequenas spots apontando para as paredes.

Se você quiser tentar reproduzir o efeito no 3ds Max e V-Ray, todas as configurações das luzes estão disponíveis para consulta no tutorial. É preciso apenas cuidado com a escala do modelo 3d, pois as luzes fotométricas podem precisar de ajustes dependendo da escala usada na cena.

Tutorial SketchUp e V-Ray: Usando luzes fotométricas para arquitetura

O uso de luzes fotométricas é extremamente importante para qualquer artista interessado em desenvolver projetos e renderizações realistas, independente do software ou renderizador utilizado. Para quem não sabe ou nunca trabalhou com esse tipo de arquivo, uma luz fotométrica armazena em arquivos com extensão “ies”, os dados em formato de texto de como uma fonte de luz se comporta. Portanto, podemos associar esse tipo de dado em fontes de luzes virtuais, para fazer com que as mesma se comportem exatamente como as suas referências no mundo real. É o mais próximo que temos em termos de fidelidade entre a iluminação real e a virtual.

Quando a técnica é usada em conjunto com renderizadores poderosos, como a maioria dos renders do tipo Unbiased (Maxwell Render, LuxRender, FryRender, Indigo Renderer e outros). Caso você nunca tenha usado esse tipo de renderizador, encontrei um excelente tutorial para iniciantes, abordando o uso da técnica no sketchUp e renderizando com o V-Ray. Apesar do V-Ray para SketchUp ser muito criticado por usuários avançados, pela falta de diversos recursos existentes na interface do 3ds Max que desaparecem no SketchUp, ele ainda é um ótima e poderosa opção para renderizar no SketchUp.

O tutorial sobre luzes fotométricas no V-Ray e SketchUp está salvo em PDF e pode ser copiado no link indicado no início desse parágrafo.

tutorial-sketchup-vray-luzes-arquitetura.jpg

No tutorial podemos acompanhar todos os passos necessários para ajustar uma luz no V-Ray para receber o arquivo IES, que fará com que a mesma adote as características físicas descritas no arquivo IES. Isso é feito no menu Light Editor do V-Ray em que podemos carregar um arquivo externo logo abaixo do sampling.

Depois de feito isso, basta configurar o render sem nenhum tipo de iluminação além das luzes fotométricas do próprio V-Ray, e teremos uma imagem realista e com valores corretos das luzes.

Esse procedimento é útil para todos os artistas 3d, principalmente se você trabalha com renderização de interiores para arquitetura. Como eventualmente um dos pontos de luz do ambiente deve estar acionado, para auxiliar na iluminação, a escolha de luzes fotométricas pode ajudar a criar o efeito desejado.

Se você é usuário do SketchUp e V-Ray, agora já sabe como fazer para aproveitar mais esse recurso na renderização.

Guia sobre uso de luzes fotométricas com o Indigo Renderer

A escolha do melhor tipo de iluminação para cada ambiente ou projeto pode ser uma tarefa bem trabalhosa, pois dependendo do objetivo de cada projeto a escolha em si pode ser determinante para alcançar ou não esses objetivos. Por exemplo, projetos que exigem o máximo em fidelidade entre a simulação dos ambientes reais com a iluminação criada nos softwares, demanda técnicas e ferramentas que possam simular essa situação. Nesses casos, a melhor escolha é usar as chamada luzes fotométricas baseadas em perfis do tipo IES. Quando escolhemos esse tipo de iluminação para nossos projetos, estaremos usando um pequeno arquivo de texto com extensão “ies”, que armazena todas as informações relevantes sobre a fonte de luz usada para emitir energia.

Esse é um recurso que não é suportado por todos os renderizadores ou softwares, mas a tendência é que a maioria dos renderizadores passar a oferecer esse tipo de suporte. Caso você seja usuário do Indigo Renderer, pode fazer o download de um excelente guia sobre configuração e uso de luzes IES no Indigo.

guia-render-luzes-ies-indigo-renderer.jpg

Para quem decide usar esse tipo de luz no Indigo ou qualquer outro renderizador, o primeiro desafio é conseguir encontrar os arquivos IES corretos. Nesse caso, a melhor opção é recorrer aos web sites dos fabricantes de lâmpadas, pois a grande maioria oferece o download de inúmeros arquivos IES prontos para usar em qualquer projeto. Isso dá um aspecto de maior veracidade a iluminação, pois é possível aplicar o mesmo tipo de lâmpada especificada no projeto real, na visualização criada no computador.

Além do pequeno guia em PDF que mostra o básico e necessário para usar luzes IES no Indigo, mesmo que você não seja usuário do Indigo Renderer, pode achar dois outros links extremamente úteis no artigo. O primeiro é um pequeno arquivo zip com diversos perfis de lâmpadas prontas para uso, todas já no formato ies. Mas, como seria complicado trabalhar com esse tipo de visualização, tendo que aplicar o perfil em um modelo 3d para visualizar o efeito da luz, existe também um pequeno software que permite abrir o arquivo IES e visualizar uma prévia da iluminação gerada pelo perfil, assim como dados sobre a lâmpada.

Junto com o Indigo Renderer, esses perfis podem ser usados no LuxRender e futuramente no YafaRay, quando o suporte a luzes IES estiver estável.

Usando luzes fotométricas no YafaRay e Blender 3D para arquitetura

Assim como acontece com o Blender 3d que recebe versões de testes para que os artistas e usuários possam testar novas ferramentas, antes que um lançamento seja disponibilizado, o YafaRay ganhou no início desse mês uma versão preliminar do que será a versão 0.1.2. Entre as diversas melhorias dessa versão estão correções em problemas conhecidos e a promessa de menos artefatos na renderização, que são aqueles incômodos pontos pretos que teimam em aparecer na tela quando renderizamos algumas cenas. Mas, entre a lista de novidades incluídas nessa versão do YafaRay, está uma que me deixou muito interessado por equiparar o YafaRay em termos de recursos de iluminação com ferramentas como o LuxRender e o Indigo Render.

Agora também poderemos usar luzes fotométricas no YafaRay, que também são conhecidas pela sigla IES. As chamadas luzes IES atribuem maior realismo em projetos de visualização, pois usam dados reais dos pontos de luz. Por exemplo, ao projetar um ambiente interno é possível solicitar a equipe responsável pelo projeto a marca e modelo das fontes de luz artificial. Depois é só visitar o web site do fabricante e fazer o download dos arquivos “.ies” e associar os mesmos aos pontos de luz. O resultado é muito bom e próximo do real.

Se você quiser fazer o download dos arquivos de instalação dessa versão do YafaRay para testar o seu funcionamento, visite esse endereço nos fóruns de usuários do YafaRay. Devo lembrar que por se tratar de uma versão experimental, não é aconselhável usar cenas ou modelos 3d dos quais você não possui cópias de segurança. Todo cuidado é pouco com versões experimentais de softwares!

Como usar essas luzes no YafaRay?

Depois que tudo estiver instalado, tanto o YafaRay como o script que exporta as cenas para o renderizador. Podemos configurar o uso desse tipo de luz. No YafaRay apenas as luzes do tipo Spot podem receber arquivos IES. Selecione uma luz desse tipo de acione a aba Object o YafaRay.

yafaray-luzes-fotometricas-design-01.jpg

Lá podemos encontrar o seletor para os tipos de luz e encontramos a opção IES Light. Para informar o uso desse tipo de luz, precisamos digitar o nome do arquivo, sem a extensão, que representa a luz IES.

yafaray-luzes-fotometricas-design-02.jpg

Mas, em que pasta esse arquivo deve estar localizado? Nesse caso precisamos fazer uma verificação no local em que essa versão do YafaRay foi instalada. Caso não exista, crie uma pasta chamada “iesFlies”. Ficaria assim para os usuários do windows “c:\arquivos de programas\yafaraydevbranch\iesFiles“. Os arquivos IES devem estar copiados nessa pasta.

Agora basta criar uma cena e posicionar vários pontos de luz e configurar a renderização para ter uma cena usando luzes fotométricas.

yafaray-luzes-fotometricas-design-03.jpg

yafaray-luzes-fotometricas-design-04.jpg

Os artistas 3d que trabalham com visualização para arquitetura devem gostar bastante desse tipo de recurso.

Como renderizar no LuxRender e Blender 3D com luzes fotométricas?

Assim como era possível fazer com o Indigo Renderer, o LuxRender também suporta o uso das chamadas luzes fotométricas como base para criar iluminação em ambientes 3D no Blender. Essas luzes são extremamente importantes para as pessoas interessadas em usar o Blender 3D na visualização de projetos arquitetônicos, pois com elas podemos simular de maneira extremamente fiel à iluminação artificial proveniente de lâmpadas. Para mostrar a maneira com que podemos configurar esse tipo de iluminação no Blender, criei mais um tutorial em vídeo sobre o assunto.

No vídeo que pode ser assistido em 720p, o processo de configuração resulta na cena abaixo:

Blender3D-LuxRender-luz-fotometrica.png

O vídeo é bem curto e não aborda a configuração das texturas e a modelagem da cena.

Tutorial Blender 3D e LuxRender: Usando luzes fotométricas from Allan Brito on Vimeo.

Se você já usou esse tipo de recurso no Índigo, vai achar o procedimento de configuração muito parecido no LuxRender. Para conseguir usar as luzes fotométricas é necessário configurar um material do tipo Light, que faz com que os objetos com esse material comecem a emitir energia luminosa.

Assim que esse tipo de material é configurado, podemos imediatamente acionar o botão Photometric Info que permite selecionar um arquivo com extensão IES, para associar o material com o arquivo. Esse é o arquivo que armazena as informações físicas das luzes fotométricas e podem ser copiados em vários locais, inclusive nos web sites de alguns fabricantes famosos de lâmpadas. Nesse tutorial foram usados alguns tipos de luzes IES que acompanham o Indigo.

Depois de associar os arquivos IES ao material aplicado em cada um dos planos ou objetos que devem emitir luz, você precisa apenas se certificar que as normais do objeto estão apontando na direção em que a energia luminosa deve ser emitida. Basta fazer isso para que a sua cena seja renderizada usando esse tipo de iluminação, que é bem mais realista em termos de simulação de luzes artificiais do que tentar fazer o processo completo usando apenas as lâmpadas padrão do Blender 3D.

Lembre de usar nas configurações do environment a opção None, para que não exista nenhum tipo de influência da iluminação do sol ou background na cena.

Se você quiser fazer o download de mais arquivos IES, existem ótimas opções nos web sites desses fabricantes: