Guia sobre uso de luzes fotométricas com o Indigo Renderer

A escolha do melhor tipo de iluminação para cada ambiente ou projeto pode ser uma tarefa bem trabalhosa, pois dependendo do objetivo de cada projeto a escolha em si pode ser determinante para alcançar ou não esses objetivos. Por exemplo, projetos que exigem o máximo em fidelidade entre a simulação dos ambientes reais com a iluminação criada nos softwares, demanda técnicas e ferramentas que possam simular essa situação. Nesses casos, a melhor escolha é usar as chamada luzes fotométricas baseadas em perfis do tipo IES. Quando escolhemos esse tipo de iluminação para nossos projetos, estaremos usando um pequeno arquivo de texto com extensão “ies”, que armazena todas as informações relevantes sobre a fonte de luz usada para emitir energia.

Esse é um recurso que não é suportado por todos os renderizadores ou softwares, mas a tendência é que a maioria dos renderizadores passar a oferecer esse tipo de suporte. Caso você seja usuário do Indigo Renderer, pode fazer o download de um excelente guia sobre configuração e uso de luzes IES no Indigo.

guia-render-luzes-ies-indigo-renderer.jpg

Para quem decide usar esse tipo de luz no Indigo ou qualquer outro renderizador, o primeiro desafio é conseguir encontrar os arquivos IES corretos. Nesse caso, a melhor opção é recorrer aos web sites dos fabricantes de lâmpadas, pois a grande maioria oferece o download de inúmeros arquivos IES prontos para usar em qualquer projeto. Isso dá um aspecto de maior veracidade a iluminação, pois é possível aplicar o mesmo tipo de lâmpada especificada no projeto real, na visualização criada no computador.

Além do pequeno guia em PDF que mostra o básico e necessário para usar luzes IES no Indigo, mesmo que você não seja usuário do Indigo Renderer, pode achar dois outros links extremamente úteis no artigo. O primeiro é um pequeno arquivo zip com diversos perfis de lâmpadas prontas para uso, todas já no formato ies. Mas, como seria complicado trabalhar com esse tipo de visualização, tendo que aplicar o perfil em um modelo 3d para visualizar o efeito da luz, existe também um pequeno software que permite abrir o arquivo IES e visualizar uma prévia da iluminação gerada pelo perfil, assim como dados sobre a lâmpada.

Junto com o Indigo Renderer, esses perfis podem ser usados no LuxRender e futuramente no YafaRay, quando o suporte a luzes IES estiver estável.

Tutorial sobre grupos de luzes no LuxRender e Blender 3D para maquetes eletrônicas

Nos últimos dias tenho falado bastante sobre técnicas de renderização usando o LuxRender e o Blender 3D, para produzir material de qualidade em projetos de visualização arquitetônica. Uma das maiores dificuldades que escuto dos meus alunos e pessoas que começam a trabalhar com o LuxRender, é relacionada ao controle de tonalidade e intensidade da iluminação. Até a versão 0.5 do LuxRender era um pouco complicado de trabalhar com esse tipo de recurso, o que afastava os artistas do software e fez com que muita gente fosse usar o Indigo. Com o surgimento do recurso chamado de grupos de luzes ou Light Groups a coisa mudou completamente, e o gerenciamento de cores e intensidade de luzes no LuxRender ficou muito mais dinâmico.

Para mostrar de maneira prática o seu funcionamento e configuração, gravei mais um tutorial com uma demonstração da sua aplicação e efeito em uma cena que representa o interior de uma residência. Caso você queira fazer o download do vídeo, pode acessar o mesmo tutorial sobre grupos de luzes no Vimeo.

O cenário é apenas composto por paredes e piso que formam um interior bem típico de apartamentos. Para usar os grupos de luzes é necessário definir os objetos que devem iluminar o ambiente. Nesse caso são três os grupos usados:

  • Luz do sol
  • Spots embutidos no forro
  • Spots embutidos na parede recuada

O primeiro grupo de luzes é configurado no painel Cam/Env, em que é possível fazer ajustes para o ambiente e também na câmera. Quando escolhemos a opção Sunsky como sendo o tipo de plano de fundo para a cena, podemos determinar um nome para o grupo de luz que representa o sol. É interessante configurar uma luz do tipo Sun na 3D View para determinar a direção do sol.

Para as outras fontes de luz a configuração é feita diretamente nos materiais, pois os objetos que emitem energia luminosa no LuxRender devem ter um material do tipo Light associado a eles. Na configuração desse tipo de material é possível configurar um grupo. Todos os objetos que possuem esse tipo de material aplicado fazem parte do grupo.

Se você está se perguntando: o que é possível fazer com os grupos de luz? Entre os principais controles e ajustes que podemos fazer com os grupos estão:

  • Determinar a intensidade e cor da luz
  • Ligar e desligar uma luz

Isso mesmo! Com os grupos de luz é possível até mesmo ligar e desligar uma luz. Com isso o artista pode simplesmente desligar a luz do sol e gerar uma imagem iluminada apenas com luzes artificiais.