Distribuição de texturas usando Scripts no Maya

Qual a utilidade em conhecer e aplicar scripts no seu cotidiano como artista 3d? Esse é o tipo de pergunta que muitos artistas iniciantes se fazem ao começar os seus estudos, pois no meio da parte artística do processo aparece alguém falando que eles precisam aprender lógica condicional, estruturas e repetição e outros assuntos relacionados a programação. Será que e realmente necessário? Para exemplificar o quanto esse tipo de conhecimento pode salvar tempo de produção e literalmente, fazer com que você tenha seu projeto terminado em menos tempo, encontrei um tutorial sobre o uso de Scripts em MEL no Maya.

O tutorial está em Frances, mas não é nada que o Google não possa resolver.

unfoldLogic02

Para quem conhece o Maya, fica a dica sobre como usar esse tipo de script para distribuir texturas em objetos, e os que não conhecem podem se inspirar a estudar um pouco mais sobre Python, MAXScript ou outra linguagem específica da sua ferramenta 3d.

Esse tutorial é dividido em quatro partes, em que o artista é orientado a criar uma banca de revistas de que apresenta uma prateleira, semelhante a que vemos também em livrarias, para expor revistas. Até esse ponto não há dificuldade técnica alguma, na verdade o objeto como um todo é bem simples de criar. O problema aparece, quando é necessário adicionar texturas aos modelos 3d que representam as revistas.

Como esses modelos estão em grande quantidade na prateleira, caso o artista fosse configurar todos manualmente, seria necessário ajustar as texturas para cada um dos planos. Mas, ao invés disso ele usa um Script em MEL que usa como base uma textura já aplicada, para depois pegar um padrão com o nome do arquivo da textura, com o nome do objeto para fazer várias cópias.

Isso é feito com uma estrutura de repetição simples, que existe em praticamente todas as linguagens.

Para consultar o Script, use o arquivo original, pois o Google traduziu os termos do Script e caso você venha a utilizar o mesmo texto, uma mensagem de erro vai aparecer no Maya.

Espero que com isso, você tenha percebido como é importante, em algumas situações, conhecer esse tipo de artifício para acelerar o processo de criação.

Quando o assunto é 3D, muitas vezes o lado artístico precisa se integrar com a parte mais técnica, para criar de maneira mais rápida.

Caso você queira, consulte as outras páginas do tutorial que são muito boas também.

Como simular músculos no Maya?

O que pode ser mais complexo na animação de uma personagem? Bem, cada pessoa tem o seu ponto forte e fraco na configuração e setup de personagens para animação. Um ponto extremamente complicado, que nas minhas aulas acaba sendo um grande desafio mostrar com tempo de sobra nos cursos de animação é a deformação da face. A animação facial é geralmente o que mais dá trabalho, pois as configurações dos vértices e pesos das faces é um dos processos mais trabalhosos em animação, fora a sincronia com os fonemas básicos, para passar a impressão que o personagem está realmente falando.

Além da animação facial, outro tema que deixa alguns animadores com os cabelos em pé é a simulação de musculatura nos personagens. Existem ferramentas e técnicas variadas para deformar personagens, usando os famosos Bones, que simulam o comportamento dos ossos. Mas ainda é complicado encontrar material que mostre de maneira clara e simples, como fazer para simular músculos.

Fazendo minhas pesquisas rotineiras sobre Maya, encontrei esse ótimo tutorial de 2006, que mostra de maneira bem simples como criar simulações de músculos com o Maya.

No vídeo, o artista usa uma gama de ferramentas do Maya, para poder configurar a animação do músculo. Antes de analisar a parte técnica da animação, repare que o artista descreve no vídeo de maneira clara a sua intenção com a animação. No caso, a musculatura do personagem precisa se movimentar com atraso de alguns frames, para dar a impressão desejada na dinâmica da animação.

A dinâmica é a seguinte; o músculo se move antes que o membro em si comece a se mover. Então o artista precisa fazer com que o modelo 3d que representa o músculo, se movimente antes de uma contração ou extensão do braço ou perna.

Como ele faz isso? Animação manual? Não, ele acaba criando uma expressão para controlar a animação.

Mesmo que hoje em dia já existam plugins e ferramentas especializadas em criar esse tipo de simulação, o artista nos mostra um ótimo exemplo da importância de se conhecer scripts, para automatizar alguns processos em animação.

Esse exemplo demonstra de maneira clara, a dificuldade e trabalho que dá fazer uma animação realista. Será que assim você se anima em estudar um pouco mais scripts para animação? Isso sim, pode ser considerado um grande diferencial para qualquer profissional que queira atuar na área.