Arte digital: Personagens virtuais

A criação de arte digital é uma das melhores maneiras de divulgar o seu trabalho e também o potencial criativo que cada ferramenta de produção possui. Esse é o caso do Blender e de diversos outros softwares 3d que tem na arte criada pelos seus usuários a maior fonte de divulgação. Um artista chamado swmo publicou nos fóruns Blenderartists uma imagem impressionante, tanto pela qualidade da modelagem 3d como do render em geral. O título da imagem é “summer kiss” e remete a chegada do verão no hemisfério norte.

arte digital blender personagens virtuais

Além de ser uma peça de arte digital que impressiona pela qualidade, você ainda terá a oportunidade de aprender um pouco da técnica usada pelo artista na produção da imagem, caso visite o link que leva diretamente para o fórum. Entre o material que pode interessar a você como aprendizado, destaco:

  • Wireframe com a topologia das personagens virtuais
  • Janela do node editor usada para composição da imagem
  • Material do tecido usado nas personagens

Um truque muito inteligente usado pelo artista foi a composição da imagem possuir a forma de um coração, o que potencializa ainda mais o título e ação desempenhada pelas personagens.

Já falei que o projeto foi totalmente modelado no Blender e renderizado usando o Cycles?

Aprendendo a usar o Blender

No EAD – Allan Brito você encontra cursos online sobre Blender que podem ajudar você a desenvolver suas habilidades no software, para que os seus projetos usem técnicas avançadas de modelagem e render. Os cursos que podem ajudar você são os seguintes:

Ainda não possuo nenhum curso voltado para modelagem de personagens, mas a metodologia é ensinada em uma das aulas do curso sobre técnicas de modalegem com Blender. Aproveite os descontos da Cyber monday que terminam hoje (01/12/2014), com cursos custando R$ 29,00 e os combos também estão com valores reduzidos.

Configurando rigs de personagens com CAT no 3dsmax

A tarefa de adicionar e configurar rigs em personagens está entre as atividades mais desafiadoras da criação de objetos virtuais, pois um rig feito de maneira errada pode comprometer a dinâmica dos movimentos gerados posteriormente, assim como um bom rig ajuda bastante no processo de animação em 3d. Para ajudar os artistas a resolver as situações inerentes ao rigging e personagens, existem muitas soluções e plugins que adicionam flexibilidade e opções inexistentes as ferramentas de rigging das suítes 3d. Essas ferramentas aceleram de maneira significativa o processo de configuração dos personagens e são melhores do que as opções nativas, a ponto de algumas vezes deixar os animadores dependentes desse tipo de ferramenta. Mas, a dependência nesse caso se dá pelo fato da ferramenta ser algo positivo para o artista, por facilitar o seu trabalho.

Entre as opções que complementam o trabalho de animadores, uma das melhores opções é o CAT que só está disponível para usuários do 3dsmax. E devo admitir que o CAT é sem sombra de dúvida uma ferramentas para rigging mais avançadas e flexíveis do mercado. Algumas pessoas inclusive acreditam que o CAT foi um dos motivadores para que a Autodesk adquirisse o Softimage alguns anos atrás, para conseguir incorporar a ferramenta dentro do 3dsmax.

Mas, será que o CAT é realmente bom? Uma das grandes vantagens do CAT é a flexibilidade de não estar limitado apenas aos personagens bípedes. Permitindo que os artistas possam configurar personagens com vários membros e características distintas.

Criando um rig para personagens no CAT

O tutorial abaixo é uma ótima oportunidade para os usuários do 3dsmax que não conhecem o CAT, possam entender como é o processo de configuração do rig usando a ferramenta. E para a felicidade da maioria dos artistas a coisa é simples a ponto de parecer a configuração de primitivas geométricas alinhadas com um personagem virtual.

O primeiro passo para ajustar o rig é adicionar o CAT Parent que será a base para a criação de todo o personagem. O artista trava a edição e transformações do modelo 3d que representa o personagem, para evitar deslocar os polígonos acidentalmente durante a construção do rig. Com o CAT Parent posicionado, é preciso apenas abrir o painel de modificadores para adicionar a pélvis do personagem que já possui um botão próprio. E depois o processo consiste na criação dos membros adjacentes.

Um ponto positivo para os rigs criados usando o CAT é que já existem controles para cinemática inversa e direta prontos dentro do CAT, facilitando a animação do personagem em inúmeras situações.

Exemplo de Rigging de personagens para jogos 3D

Na criação de animações envolvendo personagens virtuais é sempre preciso passar pelo processo conhecido como Rigging, antes de partir para a animação dos elementos 3d. O Rigging consiste na configuração dos elementos que devem deformar a malha do modelo 3d para que o mesmo possa representar da melhor maneira possível as ações planejadas para a animação. E isso se aplica não só as animações, mas também aos projetos de jogos digitais. Todos os jogos 3d que envolvem algum tipo de personagem acabam precisando de trabalhos de Rigging e nos jogos mais detalhados em termos de personagens, o Rigging é extremamente sofisticado.

Caso você queira conhecer um pouco sobre o Rigging de um jogo recente, encontrei o reel de um dos artistas que trabalhou na produção do jogo Gears of War 3, que inclusive é um dos jogos que estou jogando atualmente, e no reel do artista chamado Jeremy Ernst é possível perceber que os detalhes e controles do Rig são impressionantes.

O software usado para apresentar o Rig é o Maya, mas as ferramentas de controle e configuração do personagem não são as existentes por padrão no Maya. Foi criado um script que ajuda nas tarefas de Rigging e muitas das facilidades que visualizamos no vídeo são oriundas exatamente dessa ferramenta personalizada.

Esse é um caminho natural para artistas que acabam se especializando em Rigging que é o de criar as suas próprias ferramentas, pois todos que já trabalharam com Rigging sabem que existem muitas tarefas repetitivas no processo.

O exemplo é bem interessante como demonstração de habilidade com o Rigging, e espero que sirva de inspiração para os artistas que estejam interessados em seguir o caminho da produção de material 3d para jogos. E como sempre gosto de procurar mais detalhes sobre esse tipo de projeto, existem dois documentos interessantes na página da Unreal Engine que mostram detalhes técnicos sobre o Rigging facial usado no Gears of War 3 e outro sobre a segunda versão do jogo, comentando sobre a iluminação e detalhes implementados nos cenários.

Esse tipo de jogo é excelente para os longos períodos de espera em que precisamos aguardar a renderização de um projeto terminar.

Dica: Se você quiser aprender um pouco sobre Rigging, estou oferecendo um curso online sobre Rigging de personagens com Blender. Para informações sobre como se inscrever, visite a página de detalhes do curso sobre Rigging de personagens.

Tutorial Maya: Criando um pé reverso para animação de personagens

A construção de uma estrutura de controle para personagens virtuais é uma das tarefas mais trabalhosas em computação gráfica 3d, pois dependendo do personagem, pode ser necessária uma grande quantidade de ajustes para conseguir bons efeitos e controles no personagem para animação. Quando trabalhamos com personagens bípedes ou que tenham pés articulados como os humanos, um dos tipos de ajuste que os animadores sempre procuram realizar é o do chamado pé reverso. Esse tipo de ajuste é evidentemente focado no controle e articulação dos pés dos personagens, e seu intuito é basicamente o de ajudar na animação.

A imagem abaixo mostra um exemplo da configuração da perna de um personagem usando o Reverse Foot. A imagem foi criada usando o Blender 2.4x e ilustra bem o conceito do pé reverso. Muitos animadores ainda tentam reproduzir a estrutura dos ossos de um personagem, seguindo a sua fisiologia real. Isso está completamente errado, pois mesmo sendo biologicamente correto, o processo de animação não é facilitado com o uso desse tipo de configuração.

ikReverseFoot.jpg

Como criar um pé reverso para personagens no Autodesk Maya?

A criação desse tipo de configuração de ossos não é simples em nenhum software 3d, pois é necessária uma grande quantidade de ajustes e constraints, mas no vídeo abaixo que está dividido em duas partes, você vai aprender a criar esse tipo de configuração nos bones do Maya e aplicar os constraints corretos para criar o pé reverso.

O segredo para conseguir criar um pé reverso em qualquer software é visualizar com antecedência o que cada bone vai fazer no conjunto completo do pé. Portanto, é muito importante que você faça uma boa pesquisa por referências sobre o Reverse Foot no próprio Youtube, procurando por exemplos de pés já criados por outros artistas. Nos vídeos apresentados como exemplo desse artigo, o artista segue esse mesmo princípio, mas criando a estrutura com o Maya em mente.

A parte complicada do pé reverso são os bones de controle que precisam ser ajustados para controlar o movimento e a rotação da estrutura. Depois que o Rig está pronto, podemos perceber como é fácil animar um personagem usando esse ajuste do pé reverso.

Ferramentas de animação para personagens no Cinema 4D R13

As ferramentas existentes para criar animações em 3d hoje em dia são bem sofisticadas, e se formos analisar opções como o Softimage ICE, 3ds Max com CAT e outros o resultado será sempre uma enorme gama de opções e modelos “prontos” para uso em animações. Como forma de acelerar a produção de animações rápidas, até é uma opção viável, mas para quem está aprendendo a trabalhar com softwares 3d acho perigoso depender desse tipo de software, pois o seu modo de trabalho é muitas vezes único, e não permite migrar para outras opções.

Um software 3d que está com um módulo de animação especilizado e dedicado ao movimento de personagens é o Cinema 4D na sua versão R13. O Cinema 4D agora dispõe de uma excelente gama de ferramentas e modelos de personagens prontos, para criar rigs de maneira muito rápida!

Como usar as ferramentas de animação para personagens no Cinema 4D?

Depois de pesquisar um pouco sobre esse novo sistema de animação para personagens no Cinema 4D, encotrei um tutorial em vídeo que é na verdade a demonstração de como esse novo sistema funciona. O procedimento necessário para aplicar um rig em qualquer personagem é bem simples. O vídeo mostra bem o seu funcionamento.

Na demonstração, o autor do vídeo apresenta a metodologia necessária para aplicar um esqueleto pronto preparado para personagens bípedes. As opções de esqueletos e estruturas no Cinema 4D R13 são bem diversas e envolvem pássaros, quadrúpedes e vários outros. O esqueleto para bípedes não é criado na escala correta do personagem, mas já conta com toda uma estrutura conectada e configurada. Se o personagem não tiver nenhuma característica especial que demande deformações no estilo cartoon, o processo de ajuste se restringe apenas a escala e posicionamento das juntas do personagem.

Ainda é possível adicionar até mesmo um ciclo de caminhada pronto, que não está perfeito, mas já permite avaliar o efeito da deformação do esqueleto sobre o personagem.

A ferramenta aparentemente é bem versátil e completa, permitindo adicionar rigs prontos e vários tipos de personagens, mas pode ser perigiso para usuários iniciantes. É muito iimportante saber como criar os seus próprios rigs, pois é comum precisar de movimentos ou deformações específicas em animações.