Como usar o Magic Mouse em softwares 3d?

As opções para quem procura trabalhar com modelagem 3d e renderização em ambientes Mac está muito melhor servida hoje do que alguns anos atrás, pois vários softwares e até mesmo empresas como o a Autodesk estão dando maior atenção a plataforma que é adotada por centenas de artistas 3d a cada dia. Eu mesmo trabalho apenas em ambientes Mac usando o Blender já faz pelo menos 4 anos, e nunca tive dificuldades ou problemas no uso de softwares ou periféricos.

Mas, existe um problema que muitos artistas que começam a usar a plataforma Mac enfrentam quando fazem a migração pela primeira vez, e esse problema está relacionado a um periférico dos computadores da maçã, que é o Magic Mouse. O problema desse periférico é que ele não possui um botão do meio ou scroll físico, o que pode atrapalhar a vida de muita gente que pretende usar computadores da Apple para produção 3d. A grande maioria desses softwares depende do botão do meio ou scroll para operações de Zoom ou manipulação do espaço 3d. Existe solução? Claro que sim!

Como usar o Magic Mouse em softwares 3d?

Para quem não quiser abandonar o Magic Mouse, existe um pequeno utilitário gratuito chamado de MagicPrefs que pode ser copiado de maneira gratuita nesse endereço. Com esse utilitário podemos configurar o Magic Mouse de diversas maneira, inclusive adicionando a função do botão do meio com um toque no eixo central do corpo do mouse. O aplicativo precisa estar aberto para que as funções ajustadas com o MagicPrefs fiquem ativas no uso do software 3d.

Já usei diversas vezes o Blender e outras ferramentas 3d com o Magic Mouse no Mac sem grandes problemas.

No meu caso utilizo outro mouse ao invés do Magic Mouse em aplicações 3d no Mac, mas devido a problemas de ergonomia. O mouse é muito baixo para a minha mão, e acabo achando mais confortável usar outro modelo que seja um pouco mais “alto” e se encaixe perfeitamente na minha mão. Esse tipo de escolha pode ser determinante para evitar as dores provenientes de longos períodos modelando e ajustando cenas em 3d.

Espero que o MagicPrefs ajude outras pessoas que queiram usar o Magic Mouse no Mac para softwares 3d como Blender, AutoCAD, SketchUp, Cinema 4D ou outro qualquer.

Dicas sobre cursos e softwares na área de computação gráfica

O final do ano está chegando e com ele aparece a época do ano em que as pessoas procuram por cursos ou projetos, que podem desenvolver ao longo de 2011. Como recebo muitos e-mails com mensagens pelo formulário de contato com dúvidas muito parecidas, resolvi escrever esse artigo com dicas sobre quais cursos e softwares você deve estudar, caso queira trabalhar na área de computação gráfica. Espero que com isso você possa tomar decisões com mais segurança e com menos chance de arrependimento.

Entre as perguntas que recebo com a maior freqüência pelo formulário de contato, uma das que mais se repete é: qual é o melhor software 3d?

Essa é uma pergunta muito difícil de responder, pelo simples fato das ferramentas 3d como um todo apresentarem particularidades que surgem como vantagens em projetos específicos. Esse é um dos motivos pelos quais em grandes produções com orçamentos generosos, diversas ferramentas são usadas de maneira a aproveitar o que cada uma tem de melhor. Isso pode deixar o aprendizado de qualquer ferramenta mais complicado, mas existe uma maneira de contornar o problema.

Então, podemos concluir que não existe uma ferramenta única que deve ser usada para estudar? A resposta é sim! Caso você queira trabalhar na área, é importante conhecer mais de uma ferramenta. Como cada estúdio acaba adotando uma ferramenta, ser especialista em apenas uma ferramenta pode acabar fechando algumas portas.

Inside the 3D Animation & Visual Effects Campus

A dica que sempre passo para meus alunos é tentar entender o processo como um todo, e sempre estar disposto a aprender novos métodos e não se prender em interfaces. Por exemplo, a modelagem poligonal é um excelente exemplo de técnica praticamente universal. Ao aprender o seu funcionamento em ferramentas como o Blender, você será capaz de migrar para outra ferramenta, apenas com o trabalho de localizar as ferramentas usadas na modelagem.

Sei que os usuários iniciantes podem ter um pouco de dificuldade em visualizar esse tipo de informação nos primeiros contatos com esse tipo de ferramenta, mas garanto que um pouco de paciência e atenção podem ajudar muito quando as oportunidades surgirem. Ainda lembro quando precisei trabalhar com o Cinema 4D pela primeira vez. Como já tinha experiência com modelagem no 3dsmax, Blender e Maya. O processo de migração para a nova interface consistiu basicamente na localização das ferramentas necessárias para a criação dos objetos 3d.

Quando vale a pena investir pesado em apenas um software?

Caso você perceba que na sua cidade ou região a maioria dos estúdios e produtoras usa determinada ferramenta, então essa é uma excelente justificativa para estudar apenas um software em especial. Se esse não for o caso, recomendo que procure um bom curso e foque no processo.

E os cursos?

Esse é assunto para outro artigo.

Com que velocidade você atualiza seus softwares de computação gráfica?

Com a aproximação do lançamento do Blender 2.50 previsto para Outubro, os usuários estão se preparando para fazer a atualização do software assim que uma versão estável da ferramenta for lançada. Uma parte dos usuários deve fazer isso imediatamente, mas muitas pessoas assim como eu devem esperar um pouco para passar o seu ambiente de produção para a nova versão do software, assim que ele for lançado. Esse tipo de questionamento não é restrito aos usuários do Blender 3D, mas envolve todos os artistas que trabalham com modelagem 3d, animação ou computação gráfica de maneira geral.

A aplicação de softwares novos e com os quais você tem pouca experiência em ambientes de produção é algo muito arriscado, pois o aparecimento de problemas e dificuldades para as quais você não estava preparado é muito grande. Qualquer tipo de dificuldade no uso do software acarreta em atrasos na produção e que inevitavelmente acabam se convertendo no comprometimento dos prazos. Se você já trabalhou em projetos comerciais, sabe que o atraso na entrega dos trabalhos envolve multas e prejuízos financeiros. Por isso, o assunto deve ser levado de maneira muito séria.

It's here. CS3 on the house.

Uma prática comum de muitos usuários é fazer a atualização das ferramentas, apenas quando for disponilizada uma versão posterior ao primeiro lançamento da ferramenta já com os problemas iniciais encontrados e resolvidos. Por exemplo, os usuários do 3ds Max geralmente fazem a atualização depois que um Service Pack é lançado.

Outro ponto a considerar é a retrocompatibilidade entre projetos. Essa retocompatibilidade pode salvar um projeto, principalmente quando são necessárias apenas pequenas atualizações em um projeto, como a alteração de objetos nas cenas. Semana passada mesmo, precisei realizar uma atualização simples em um projeto de visualização arquitetônica desenvolvido em 2007. Nessa época os softwares usados para criar a visualização foram o Blender 2.43 e o YafRay 0.0.9. Se fosse necessário atualizar o projeto para o YafaRay 0.1.1, seria preciso testar as configurações de iluminação e os ajustes da cena novamente. Como a atualização demandava apenas que alguns blocos de móveis fossem substituídos, foi necessário apenas instalar os softwares novamente e depois de uma rápida edição, renderizar a cena.

E você? Com que velocidade atualiza os softwares usados para seus projetos? Imediatamente? Espera um pouco?

Com que velocidade você atualiza seus softwares 3D?(polling)

Interfaces Multi-touch para modelagem 3d?

A evolução das interfaces e dos dispositivos que permitem a interação entre nós usuários e os computadores está em pleno período de transição, para sistemas que devem aproveitar cada vez mais as capacidades dos sistemas sensíveis ao toque. Isso é algo positivo para diversas tarefas, como a manipulação de arquivos e a navegação em vídeos. O mouse ainda será usado por muito tempo, mas para algumas tarefas o uso dos dedos e mãos para manipular objetos ainda será bem difundido e simples de usar. Mas, e para modelagem 3d? Será que poderemos abandonar o Mouse? Já existem algumas iniciativas e tecnologias experimentais que tentam fazer a união entre softwares de modelagem 3d e essas novas interfaces.

O vídeo mostra um software de design industrial chamado SpaceClaim, sendo usado para modelar um personagem robótico:

Como você pode perceber pelo vídeo, a capacidade de modelar um personagem 3d complexo como o apresentado no vídeo não é problema para a interface Multi-touch.

O que você achou do vídeo? Esse será o futuro?

A minha única preocupação com esse tipo de tecnologia sendo apresentada para interfaces de modelagem 3d é que teremos que usar mais combinações de movimento, como o uso dos dedos em conjunto com movimentos das mão para conseguir alterar o zoom e até mesmo para selecionar partes específicas do modelo 3d. É bem funcionam em termos de prática, mas pode esconder alguns problemas de saúde.

Repare no vídeo que para conseguir executar algumas da tarefas de modelagem 3d simples, o usuário do software precisa realizar movimentos amplos com os dedos e com as mãos também. Esses movimentos demandam que os braços tenham movimentos mais amplos em três direções, e como não podemos apoiar os membros sobre uma mesa ou superfície de suporte, o resultado disso é uma lesão com o tempo. Imagine trabalhar dessa maneira por longos períodos de tempo, com projetos de modelagem e animação mais complexos?

O uso do conjunto Mouse/Teclado ainda deve ser bem difundido entre artistas 3d, pelo menos enquanto esse tipo de modelagem demandar tanto *esforço* físico por parte do artista. Quem sabe um sistema híbrido, que mescla os dois sistemas, seja a solução para evitar esse tipo de lesão.

E você o que acha dessa tecnologia?

As interfaces Multi-touch devem substituir o conjunto Mouse/Teclado nos softwares 3D?(polls)