Dicas para criar seu TCC usando animação 3d

Um dos pontos positivos da expansão e popularização das tecnologias relacionadas com a computação gráfica 3d é a abertura de vários cursos de graduação que usam alguma coisa da área, sejam eles de cinema ou mesmo jogos. O importante é que todos os cursos acabam usando como base a computação gráfica como meio para gerar seus produtos finais, e dentro desse contexto estão os trabalhos finais de graduação dos alunos. Sempre que chega o final de um semestre, recebo vários e-mails de pessoas pedindo conselhos e ajuda para escolher o tema para seus projetos.

Os temas para os projetos podem abranger diversas áreas e produtos, mas a escolha deles deve estar condicionada a vários fatores, e a capacidade técnica e financeira do artista ou equipe responsável pela produção. Uma coisa que você deve colocar em mente quando escolher o tema do seu projeto é a sua capacidade de trabalhar na produção do mesmo, considerando o prazo e principalmente os recursos financeiros disponíveis.

Já tive a oportunidade de acompanhar alguns projetos de graduação, como orientador e também do ponto de vista de “consultor”, que está mais para um conselheiro da parte técnica. Nesses projetos que tive a oportunidade de acompanhar, o maior problema estava no dimensionamento do trabalho em relação ao tempo disponível. É importante lembrar que nesse ponto você deve equalizar os seus conhecimentos dentro de um projeto, mas entregar no prazo é mais importante do que produzir algo cinematográfico. Se você tiver condições de gerar um projeto assim, excelente! Mas, caso contrário é melhor “cumprir a tabela” e entregar o material com tranqüilidade.

Portanto, essas são algumas dicas para produzir um bom projeto de graduação usando computação gráfica ou animação:

  1. Comece com um pequeno roteiro
  2. Depois do roteiro crie um storyboard
  3. Anime o storyboard para gerar um animatic
  4. Mostre o animatic para o seu orientador
  5. Discuta as melhorias propostas para o animatic
  6. Identifique os objetos que aparecem repetidas vezes nos cenários para modelagem
  7. Sente na frente do computador para criar os modelos 3d finais
  8. Trabalhe na animação dos cenários

Repare que a parte de execução dos objetos 3d finais acontece apenas no final do processo! Nada de produzir animações com os modelos 3d finais para mostrar para o orientador, pois esse trabalho pode muito bem ser perdido, caso o mesmo recomende mudanças drásticas no projeto. Nesse ponto você deve lembrar que não é possível comprar tempo de execução para os projetos, e qualquer dia perdido refazendo algo que estava pronto pode ser muito prejudicial para todo o trabalho.

Outro ponto que é sempre relegado nesse tipo de projeto é a escolha da trilha sonora. Sim, todos pensam nas animações e personagens, mas deixam os sons e trilha sonora para o final.

Uma excelente idéia para trabalhos de graduação envolve a criação de um videoclip. Escolha uma música de fundo e crie as animações para essa música, como o exemplo abaixo que usa uma faixa do Offspring como pano de fundo para o enredo da animação e consegue criar um trabalho bem razoável.

Essas são apenas algumas dicas para quem precisa começar a pensar em projetos de conclusão de curso. Esse semestre já está no fim, mas até o final do ano muita gente deve precisar começar a trabalhar na sua graduação, e o quanto antes você começar mais fácil será de executar.

Apresentação sobre o futuro da computação gráfica para jogos

Entre os diversos motivos e razões que levam a industria a trabalhar com ênfase no desenvolvimento de soluções cada vez mais poderosas para hardware em computação gráfica, é o mercado de jogos eletrônicos. Esse é um ambiente que já supera em cifras o mercado de cinema e publicitário de longe, e acelera a criação de sistemas e hardware baseado em centenas de núcleos de processamento como é o caso das GPUs modernas. Para quem é simplesmente usuário de computadores ou “Gamer”, basta conhecer as especificações de hardware dos jogos e aplicativos que você pretende executar, e comparar com as da sua placa de vídeo.

Mas, para os que pretendem estudar e desenvolver material para a área como é o caso dos acadêmicos e profissionais especializados, sempre é importante conhecer o funcionamento em detalhes dessas ferramentas e peças de hardware. Uma das fontes de informação para esse tipo de conteúdo são as apresentações que empresas de software ou hardware realizam ao longo do ano, e para a nossa alegria disponibilizam o material usado para consulta gratuita.

Esse foi o caso de uma apresentação da CryTek sobre o desenvolvimento da sua última Engine 3D chamada de CryEngine 2 e também do que podemos esperar para a CryEngine 3. A apresentação foi realizada na conferência de gráficos com alta performance de 2010. O material usado na apresentação pode ser copiado nesse endereço no formato PPT.

cryengine-3-slides-download.jpg

O material mostra o desenvolvimento da CryEngine nos últimos anos e lista alguns dados interessantes como a quantidade de pessoas envolvidas no projeto, e o tempo necessário para criar a última versão do software.

Do meio para o final da apresentação de slides é que encontramos o material que comenta os avanços e novidades previstas para a CryEngine 3. Entre esses avanços previstos para a CryEngine 3 temos o crescente suporte a cada vez mais GPUs e a renderização de jogos no lado do servidor. Isso seria fantástico, mas fica a dúvida: qual o poder de processamento de um servidor que fosse capaz de suportar as sofisticadas engines gráficas? Ainda mais com centenas de jogadores pendurados no mesmo servidor?

Fora isso, temos uma boa lista de técnicas e efeitos de renderização que vemos em softwares sofisticados, mas que não estavam presentes em engines gráficas para jogos.

Se você é acadêmico e pensa em realizar o seu trabalho de conclusão de curso na área de computação gráfica, esse material deve ajudar de maneira significativa na sua pesquisa. É interessante conferir as outras apresentações realizadas na High Performance Graphics 2010, que devo comentar ainda essa semana aqui no blog.