Como orçar projetos de computação gráfica?

Entre os assuntos mais discutidos aqui no blog nesses últimos 5 anos estão os temas relacionados ao mercado profissional de computação gráfica. Um dos textos mais comentados é o que aborda o assunto da formulação de preços no mercado de computação gráfica. Será que você sabe como estipular um preço pelo seu trabalho? O tema é complexo, sendo inclusive tema de oficinas em cursos com foco no empreendedorismo. Toda a semana recebo pelo menos duas ou três mensagens de pessoas pedindo dicas sobre o assunto. Portanto, acho que é interessante voltar a falar sobre o tema, pois desde a última vez em que abordei o assunto existem diversos novos leitores aqui no blog.

Spreadsheet

Como você cobra pelo seu trabalho em computação gráfica?

Existem diversas maneiras de cobrar por projetos, inclusive levando em consideração a diversidade de tipos de projeto. Por exemplo, você pode ser contratado para realizar a visualização e apresentação de produtos, assim como também pode simplesmente animar uma cena previamente pronta.

As principais formas de estipular um preço pelo seu projeto são:

  • Hora de trabalho técnica: Aqui você deve fazer uma conta simples, determinando um valor pela sua hora de trabalho, e depois multiplicando esse valor pela quantidade de horas necessárias para executar a tarefa desejada. O ponto negativo desse formato é que você deve ter uma boa noção sobre o tempo necessário para realizar o projeto, caso contrário existe o risco de dimensionar as horas para menos, e acabar levando tendo que fazer trabalhos extras. Nessa situação o cliente não paga extra, pois a previsão foi feita de maneira equivocada. Por exemplo, se a sua hora de trabalho for de R$ 50,00 e o projeto para o qual você está fazendo o orçamento necessitar de 30 horas de trabalho, o valor será de 50 * 30 = R$ 1.500,00. O ponto positivo desse método é que o cliente pode entender muito bem como foi orçado o projeto, pois a fórmula é de fácil compreensão.
  • Preço fechado: A formulação do preço de um projeto com base na sua dimensão é algo difícil de fazer, principalmente para pessoas com menos experiência. Mas, alguns profissionais com mais experiência podem apenas analisando o conteúdo do projeto, estipular o seu valor. É ao mesmo tempo rápido e arriscado, pois o profissional precisa ter o conhecimento necessário, inclusive para prever possíveis problemas e dificuldades ao longo da execução do projeto e prever isso no orçamento. Outro problema, é que o cliente dificilmente entende os critérios usados para a formulação do preço.
  • Tabela de preços: O último método usado para formular preços é o da tabela. Nesse tipo de situação o profissional ou empresa, estipula preços fixos para determinados projetos. Por exemplo, uma animação pode ser cobrada por segundo ou as pessoas que produzem visualização para arquitetura cobram por imagem renderizada. É uma maneira de orçar projetos rápidos, mas pode trazer complicações dependendo da complexidade do projeto. Por exemplo, alguns tipos de animação são rápidos de produzir e outros demandam muito tempo de trabalho e edição. Então, podem existir variações grandes entre demandas de trabalho para o mesmo projeto. Uma renderização de pequenas residências habitacionais é muito mais simples de produzir, que um edifício comercial com dezenas de pavimentos.

Agora, independente da maneira usada para estipular o preço de um projeto, você deve ter me mente que o seu cliente irá questionar sobre a formulação do preço. Se você não conseguir defender o seu orçamento, esteja preparado para fazer reduções significativas no valor, pois as pessoas mais experientes acabam percebendo que você não tem muita certeza do valor, e acabam tentando barganhar cortes.

E você? Qual método utiliza para orçar seus projetos? Caso tenha alguma sugestão para adicionar na lista, utilize os comentários desse artigo para contribuir com o artigo.

O que é necessário para se tornar um animador sênior?

Entre os diversos pedidos e dúvidas que recebo por e-mail aqui no blog, um deles se destaca pela freqüência que costuma aparecer não só aqui no blog, mas também com os meus alunos nas aulas presenciais. Essa dúvida está relacionada com os requisitos necessários para entrar em grandes estúdios de animação. O que é preciso estudar? Quais cursos fazer? Quais softwares? Para responder a esse tipo de dúvida, nada melhor que conferir os anúncios de emprego que esses mesmos estúdios publicam na internet. Por exemplo, a Lucas Film de Singapura está divulgando em fóruns especializados a necessidade de contratar um modelador 3d sênior, o e que o objetivo do trabalho da pessoa contratada será o projeto da série animada The Clone Wars.

Isso significa que é um trabalho de algo nível e com requisitos igualmente elevados. O que é preciso para trabalhar lá? Visite esse link para conferir a pequena lista de demandas da Lucas Film, para ser considerado um animador sênior.

Clone Wars

Como a lista de requisitos está toda em inglês, tomei a liberdade de fazer uma tradução rápida dos itens necessários para se candidatar a vaga, além da descrição do que fará um modelador sênior. Vamos começar pela descrição do cargo de modelador sênior:

  • Modelar e ajustar texturas em modelos 3d complexos representando cenários, arquitetura, personagens e outros objetos usados em produção de animações.
  • Colaborar com outros artistas para criar objetos 3d e cenários para animações.
  • Criar e manter bibliotecas de expressões faciais para animação.
  • Trabalhar com a equipe de pré-produção para criar as texturas planejadas de maneira idêntica ao que for determinado pela equipe, para aplicar em modelos 3d e personagens.
  • Trabalhar em equipe para ajudar nas decisões de design dos modelos 3d.
  • Manter ou exceder um nível consistente de produtividade, cumprindo os prazos estipulados e criando modelos 3d de alta qualidade.

Essa é uma descrição do que fará o modelador, caso seja contratado. Agora vamos aos requisitos técnicos para poder se candidatar:

  • Diploma de bacharel em ciências da computação, visualização em computador, animação por computador (preferido).
  • Mais de quatro anos de experiência em animação 3d por computador, ou efeitos visuais para filmes.
  • Conhecimentos sólidos em personagens, cenários, veículos e outros.
  • Conhecimentos em Linux, Unix e Windows.
  • Domínio de Photoshop.
  • Conhecimentos avançados em Maya ou ouro software de animação hig-end é necessário.
  • Domínio de técnicas como Texturas UV, Layout UV, projeção de texturas e pintura de texturas.
  • A criação de texturas procedurais por meio de scripts é desejável.
  • Domínio no uso de texturas em ao menos um software 3d.
  • Habilidade artística comprovada.
  • Atenção para detalhes em personagens.
  • Capacidade de aprender rápido e assimilar novas informações.
  • Boa capacidade de comunicação.
  • Bom relacionamento interpessoal.
  • Apresentar um demo reel com exemplos de trabalhos realizados em arte tradicional, fotografia e animação por computador. Sendo que na animação por computador é necessário mostrar os wireframes e um pequeno making of das cenas.

Então, será que você já pode se inscrever?

Só para usar um trocadilho e descrever a importância de um animador sênior no desenvolvimento de uma equipe, esse seria o Jedi da modelagem 3d, e pelos requisitos apresentados para esse emprego, fica fácil de perceber a razão pela qual o título é merecido. A responsabilidade desse profissional é igualmente grande no projeto, pois ele estará no topo da hierarquia dos modeladores 3d e comandará uma pequena equipe de artistas 3d.

O trabalho requer conhecimentos e domínio tanto da parte artística da representação de visuais em 3d, como o desenvolvimento de scripts e shaders para o Maya, assim como o trabalho com arte tradicional. Acho que com essa pequena lista, fica bem fácil ter uma idéia dos caminhos e tópicos necessários para chegar nessa posição.