Tutorial Maya: Usando o soft selecting e paint selecting

Um dos primeiros conhecimentos que as pessoas devem procurar ao aprender novos softwares 3d é relacionado com os meios de seleção. Esse tipo de conhecimento é fundamental para conseguir manipular e trabalhar com diversos tipo de elementos na modelagem e animação. Por exemplo, a seleção em ferramentas com o Blender é particular e consiste na primeira barreira que novos usuários acostumados a seleção em softwares como 3ds max ou AutoCAD precisam vencer. Mas, com um pouco de tempo e prática essas barreiras podem ser facilmente vencidas. Se você estiver aprendendo a trabalhar com o Autodesk Maya, encontrei um vídeo que ajuda no estudo de dois meios de seleção importantes para o software. O vídeo aborda o Soft e Paint Selecting.

O vídeo é esse:

Esse é um dos problemas mais comuns para usuários que estão aprendendo a trabalhar com o Maya, principalmente as pessoas que acabam pressionando “acidentalmente” algumas teclas. No Maya a tecla B é responsável pelo acionamento do chamado Soft Selection, que deixa os vértices e objetos ao redor de qualquer seleção amarelados. O resultado disso é que as transformações aplicadas em qualquer objeto são passadas de maneira proporcional para os elementos nos arredores.

Nos casos em que a modelagem demandar esse tipo de interação a ferramenta é de grande ajuda, mas nos casos em que usuários sem experiência no Maya acabam acionando acidentalmente o Soft Selection, o resultado pode ser bem frustrante. Se isso acontecer com você, lembre de pressionar a tecla B. Além da tecla de atalho, podemos usar também o Tool Settings para acionar a ferramenta, assim como é demonstrado no vídeo.

O Paint Selecting é um pouco diferente e permite trabalhar literalmente com um pincel que selecionar objetos usando procedimento semelhante a pintura, ao longo da superfície de qualquer objeto. A opção não é tão usada como o Soft Selecting, mas pode ajudar em situações específicas de modelagem 3d em que o controle sobre detalhes é importante.

Um ótimo recurso que mostra dicas variadas e a resolução de problemas comuns com o Maya está nesse endereço, com orientações sobre a interface do software. E aqui existe um ótimo guia com os principais atalhos de teclado do Maya.

Criando personagens realistas para jogos 3D com o Autodesk Maya 2008 e ZBrush

Um concurso muito interessante chamado Dominance Wars acontece de tempos em tempos, reunindo diversos artistas e profissionais de computação gráfica 3d para criar personagens e arte para jogos digitais. No último concurso que foi a quarta edição, diversos profissionais e artistas mostraram imagens incríveis de personagens e criaturas para jogos. Esse concurso é um tipo de olimpíada de computação gráfica 3d, em que os artistas representam comunidades de criação 3d que são os diversos fóruns de usuários espalhados pelo mundo todo. Cada artista acaba se qualificando para representar uma comunidade de usuários, funcionando de maneira muito semelhante a representação dos países nas olimpíadas.

Os prêmios são bem interessantes e podem chegar a até dez mil dólares em dinheiro. Um dos vencedores desse ano, que é o artista Russo chamado Vadim, publicou dois vídeos com o seu processo de criação para um ciborgue chamado N0X-2292. O projeto foi desenvolvido na sua maior parte usando o Maya 2008 para a modelagem 3d do robô. Os vídeos mostram o processo de criação desde a parte conceitual até a finalização da modelagem. A comunidade representada pelo artista é o CGTalk.ru.

Making of N0X-2292 (part 1) from Slipgatecentral on Vimeo.

Making of N0X-2292 (part 2) from Slipgatecentral on Vimeo.

Nos vídeos o artista faz a descrição do seu processo de criação usando legendas, o que facilita muito o entendimento de algumas partes. Mesmo que você tenha dificuldades em entender a narração ou explicação em inglês dos tutoriais, a parte escrita é bem mais simples de seguir. Durante as explicações do processo de modelagem e configuração de todas as partes móveis do projeto, o autor apresenta dicas valiosas sobre como é possível criar no Maya, usando alguns scripts em MEL. Existe até um que mostra o uso de curvas para organizar cópias dos objetos de maneira semelhante ao que o DupliVerts do Blender 3D faz.

Para as partes mais orgânicas do projeto, o artista usou em alguns pontos o ZBrush para trabalhar com escultura. O modelo base era criado no Maya e exportado para o ZBrush, assim ficava mais fácil adicionar os diversos detalhes e características do modelo 3d. O detalhamento do personagem é um dos destaques do projeto, que pode ser conferido em diversas imagens nesse endereço.

Se você quiser saber mais sobre o Dominance Wars e conferir os seus respectivos vencedores, visite esse endereço.