Tutorial Blender 3D: Configurando uma paisagem com o Node Editor

Entre os diversos recursos do Blender 3D que chamam a atenção de artistas e usuários de outros softwares 3d está o Node Editor, que muitas vezes é relegado por artistas menos experientes, pela sua inerente complexidade de uso. O problema do Node Editor é que a ferramenta apresenta tantas opções de configuração e uso, que muitas vezes acaba se tornando complexo, apenas pela dificuldade em visualizar uma edição simples. Se você só usou o Node Editor para criar materiais e texturas, sem ter aplicado nenhum tipo de efeito em composição, o tutorial abaixo é uma excelente fonte de informações sobre a ferramenta para aplicação em pós-produção de imagens.

No tutorial, um artista 3d usa o Node Editor do Blender para alterar as configurações de uma cena 3d aparentemente simples e que precisa de ajustes, para que a imagem de referencia apresentada no início do tutorial seja reproduzida. O objetivo do tutorial é esse: reproduzir uma paisagem já existente!

Antes de continuarmos, assista ao vídeo:

[fusion_builder_container hundred_percent=”yes” overflow=”visible”][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ background_position=”left top” background_color=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” spacing=”yes” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” padding=”” margin_top=”0px” margin_bottom=”0px” class=”” id=”” animation_type=”” animation_speed=”0.3″ animation_direction=”left” hide_on_mobile=”no” center_content=”no” min_height=”none”][Tutorial]Creating atmosphere in Blender node system from adrian2608 on Vimeo.

A primeira coisa que podemos perceber quando o artista começa editar os nós de composição, é que podemos ajustar os aspectos visuais da cena usando apenas parâmetros simples. Por exemplo, repare no início do vídeo que o artista adiciona uma espécie de névoa a cena, realizando ajustes rápidos e sem a necessidade de fazer nenhum tipo de render. Depois são adicionados mais nós de composição para fazer alterações nas cores e elementos visuais da cena.

Essa é a essência dos nós! Você vai adicionando novos elementos e fazendo ajustes finos nos parâmetros de cada um deles, até que o resultado final seja atingido. O problema de trabalhar com nós de composição ou materiais, é que na maioria dos casos encontramos apenas receitas prontas, descrevendo a combinação e seqüência de ajustes necessários para reproduzir um determinado efeito. O certo mesmo é parar um pouco e analisar a influência que cada nó exerce sobre o conjunto, para compreender o seu funcionamento.

Hoje o Node Editor do Blender 3D já está se expandindo, com a adição de um novo módulo ao editor que permite elaborar texturas também. Isso fará com que as texturas procedurais do Blender voltem a ser usadas em projetos! Mas, apenas quando um sistema semelhante ao Houdini 3D aparecer, com o Node Editor influenciando a geometria dos objetos é que veremos e real poder desse tipo de ferramenta, para organizar e trabalhar com elementos ainda mais complexos.

[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]

Tutorial de introdução ao Terragen 2: Criando nuvens em 3D

Desde que publiquei na última semana um artigo falando sobre o lançamento do Terragen 2, algumas pessoas me solicitaram um pequeno tutorial em português, com algumas dicas de como começar a trabalhar com o software. Nesse final de semana acabei gravando um vídeo mostrando o básico sobre a interface do Terragen 2, assim como uma introdução a configuração de paisagens e efeitos atmosféricos do software. Para produzir esse tutorial, foi usada a versão gratuita do Terragen, que apresenta algumas limitações em termos de renderização, como limites para o anti-aliasing e detalhamento dos objetos no cenário, mas nada que dificulte a criação de ambientes e paisagens.

Antes de continuar, assista ao vídeo com a introdução ao Terragen:

Na parte superior da interface do Terragen, encontramos vários botões com opções para configurar a cena e adicionar efeitos e propriedades a atmosfera, iluminação, terreno, elevações e outros. Todas as vezes que você quiser editar ou adicionar elementos, use um desses botões. No menu localizado a esquerda da interface, aparecem as opções de ajuste e configuração dos elementos geométricos.

Um dos pontos interessantes para quem está conhecendo o Terragen pela primeira vez, é a quantidade de parâmetros e opções que simulam ambientes e características reais de paisagens. Por exemplo, repare no nome que cada um dos tipos de nuvens recebe. Como forma de estudar a composição climática da nossa atmosférica, os itens de configuração do software ajudam muito. Principalmente pela possibilidade de adicionar e visualizar em tempo real as alterações.

Por isso, o uso do Terragen é muito interessante para estudantes e pessoas na criação de paisagens realistas.

No tutorial é apresentada a técnica necessária para acionar nuvens volumétricas ao cenário virtual, que são uma representação em 3D das nuvens. Existem outros objetos que representam simulações das nuvens em 2D. O consumo de recursos nesse caso é bem menor, mas por outro lado à qualidade visual das nuvens é inferior ao efeito de nuvens volumétricas.

Se você quiser continuar com a criação dessa interface, recomendo que adicione algum tipo de elemento ao terreno, como elevações ou mesmo superfícies com água. O resultado do render com esse tipo de paisagem é excelente. O processo de criação para esse tipo de objeto é bem semelhante ao que fizemos para os itens da atmosfera, quando foram adicionadas as nuvens.