Tutorial Blender: Renderizando fumaça para animação 3D

Já faz algum tempo que produzi um pequeno tutorial em vídeo mostrando como editar e configurar simulações de fumaça (Smoke) no Blender, para gerar efeitos realistas de poeira ou qualquer coisa que possa aproveitar esse tipo de comportamento “fluido” da fumaça. O tutorial é bem direto e simples, mas ficou faltando explicar uma coisa no vídeo que agora foi remediada. Como renderizar o resultado da simulação de fumaça? Quando você simplesmente gera uma simulação e aciona o render, o resultado é que nada do que foi gerado e visualizado na 3D View acaba aparecendo na imagem.

Como criar uma simulação de fumaça no Blender?

Podemos relembrar o processo de criação de fumaça no Blender com o tutorial abaixo que já tem algumas semanas:

A criação da fumaça em si não tem grandes mistérios e segue a mesma fórmula de outros tipos de simulação no Blender, como é o caso dos fluidos que precisam de um domínio e um segundo objeto que pode ser a própria fumaça ou então o emissor. Nesse caso é preciso trabalhar com partículas para usar a fumaça.

Como renderizar a fumaça no Blender?

Agora o tema principal desse tutorial que é a renderização da fumaça. O segredo para conseguir renderizar a fumaça é aplicar um material do tipo Volume ao objeto. Esse material deve ter a sua densidade configurada para zero, o que fará com que todo o material desapareça no render. Para fazer com que ele volte a aperecer, precisamos adicionar uma textura do tipo Voxel Data e determinar que essa textura deve alterar a densidade do material. O que vai acontecer nesse caso é que a textura aplicada na fumaça fará com que as partes do material do tipo volume não fiquem mais transparentes. E veremos a fumaça na renderização.

Dicas para melhorar a renderização de fumaça no Blender

Uma coisa que você deve ter em mente ao tentar criar uma animação usando fumaça no Blender, é que ela é um dos tipos de render mais demorados, principalmente com valores de qualidade ajustados para produção. Você deve sempre usar o Cache do Smoke e das partículas para tentar acelerar o processo e a reprodução da animação. Mas, ainda assim será lento!

Mesmo com essas dificuldades, ainda é muito legal conferir o resultado na animação. Um exemplo disso pode ser conferido no vídeo abaixo em que utilizei um trecho de uma simulação usando fumaça.

Esse material foi usado como exercício em uma das minhas aulas. O conteúdo necessário para fazer esse tipo de animação é abordado no curso de Animação com Blender, que está disponível no EAD – Allan Brito.

Exercício de animação com física no Blender

Nas últimas semanas publiquei aqui no blog um pequeno estudo de animação que produzi com base no exercício que realizei para os participantes do curso de Animação 3D com Blender. O exercício o objetivo de passar uma esfera entre vários braços robóticos, que permitem exercitar conhecimentos em áreas do Blender como hierarquias, constraints e drivers. Toda a animação é controlada por uma série de pequenos cubos localizados na parte superior de cada braço.Desde que montei essa seqüência de animação, queria adicionar algum tipo de modificação na cena para incluir efeitos baseados em física. Foi nesse intuito que renderizei outra versão da animação, em que aplico alguns efeitos físicos do Blender na esfera.

A lista de efeitos teve que ser encurtada para liberar o computador em que a animação estava sendo produzida, pois caso contrário já começaria a sofrer atrasos em outros projetos. Os efeitos usados nessa animação foram:

  • Vidro com raytracing
  • Partículas simulando cabelos e física
  • Fumaça (Smoke)
  • Partículas com Halo

Todos esses efeitos foram adicionados usando praticamente os seus ajustes padrão, sem grandes modificações. O único que mereceu atenção especial foi a fumaça, que inclusive foi um dos grandes problemas dessa animação. De maneira geral os trechos de animação demoravam em torno de 20-30 minutos para renderizar em 720p. O trecho com fumaça levou sozinho 4 dias! Claro que o render era interrompido esporadicamente, mas o computador ficava renderizando a maior parte do dia.

Esse atraso no render da fumaça me fez desistir de criar alguma coisa envolvendo fluidos para adicionar nessa animação.

Se você quiser tentar criar animações com fumaça como essa, recomendo alguns cuidados especiais para conseguir gerar o seu vídeo de maneira eficiente:

  • Planeje muito bem o uso da fumaça, para evitar longos tempos de render e cálculos das partículas. Só use quando for realmente necessário;
  • Lembre que tanto a fumaça como as partículas precisam de pré-processamento. Será preciso armazenar a simulação em Cache;
  • No domínio da fumaça é preciso adicionar um material do tipo Volume com uma textura Voxel Data.

Com essa última dica você será capaz de renderizar e visualizar a fumaça no Blender. Fico imaginando como ficariam esses efeitos físicos renderizados como o Blender Cycles?

Tutorial Blender 3D 2.50: Usando o Smoke para simular fumaça em 3D

Na semana passada a fundação Blender surpreendeu a todos quando anunciou que o Blender 3D 2.50 deve ser lançado na conferência Blender em outubro desse ano, o que me fez errar a previsão de lançamento da ferramenta em apenas seis meses! Essa foi uma excelente notícia para todos que estavam aguardando ansiosamente por alguma notícia ou comunicado sobre a data em que essa nova versão reformulada do Blender seria lançada. Entre as diversas novidades que estão previstas para o Blender 2.50, está um sistema que deve ajudar na simulação de fumaça em 3d, para eliminar parcialmente os truques necessários para trabalhar com esse tipo de animação no Blender.

O sistema é bem rápido e ágil na criação de fumaça em 3d, podendo funcionar como apoio para diversos tipos de animação. Como estou estudando a fundo essas mudanças no Blender 3D 2.50, resolvi gravar um pequeno tutorial em vídeo mostrando o funcionamento do sistema chamado Smoke do Blender, para que você possa se preparar e usar as simulações de fumaça nos seus projetos quando essa versão do Blender for lançada.

Em termos de funcionamento o sistema Smoke do Blender é bem parecido com o Fluid, pois é necessário configurar no mínimo dois objetos para que a simulação funcione:

  • Um objeto deve ser o Domain
  • Um objeto deve ser configurado como Inflow da fumaça

A diferença é que no Inflow precisamos associar um sistema de partículas ao objeto, que serve como guia para a fumaça. Apesar de a fumaça possuir controles para a gravidade e outros elementos, muito do que se refere à dinâmica dos objetos na simulação é controlado pelo sistema de partículas. Como é possível perceber no vídeo, o tutorial usa dois elementos bem simples para simular a fumaça que são um cubo configurado como Domain e um plano subdividido que funciona como emissor das partículas e da fumaça.

Um aspecto interessante em relação ao tutorial e que não apareceu no vídeo, é que podemos fazer alterações nas configurações da fumaça e em tempo real essas alterações são exibidas na 3D View.

Se você quiser fazer alguns testes com a versão do Blender 3D 2.50 usada para esse tutorial, o download pode ser feito nesse endereço, apenas para Windows. Todas as versões de teste mais recentes do Blender 2.50 já acompanham o Smoke, portanto é só visitar o graphical.org e escolher uma versão apropriada para o seu sistema operacional.